Receitas tradicionais

Quer uma fatia de Di Fara por US $ 1?

Quer uma fatia de Di Fara por US $ 1?

O evento contará com fatias de US $ 1 de algumas das melhores pizzarias da cidade

As fatias Di Fara geralmente custam US $ 5 por fatia.

Quando pensamos em uma fatia de pizza de US $ 1, normalmente pensamos naquelas pizzarias que usam ingredientes baratos e produzem pizza que está diminuindo a qualidade em todas as áreas. Mas por apenas um dia, 9 de outubro, fatias de algumas das melhores pizzarias de Nova York serão vendidas por apenas um dólar.

Slice Out Hunger será realizado naquele dia às 18h00. na Igreja de Santo Antônio, na Rua Sullivan, e no evento anual de caridade, a pizza de Di Fara (que normalmente é vendida por US $ 5 a fatia) será vendida por apenas US $ 1, assim como pizza de mais de 35 outras pizzarias, incluindo Lombardi's, Keste, John's Pizzeria, Arturo's e Motorino, nenhum dos quais normalmente vende pizza em fatias.

Cada dólar arrecadado no evento será equiparado pela Scott’s Pizza Tours e outros patrocinadores, e 100 por cento dos rendimentos irão diretamente para o Banco de Alimentos da cidade de Nova York.

Então, espere, podemos comer fatias de algumas das melhores pizzarias da cidade, por US $ 1, para caridade? Onde nós assinamos?


10 restaurantes que você deve visitar em Nova York (e seu prato mais popular)

Tentar diminuir dez restaurantes que não podem ser perdidos em Nova York é difícil, mas esses são os melhores dos melhores.

Tentar diminuir dez restaurantes imperdíveis em Nova York é como tentar escolher um filho favorito. A incrível variedade de cozinhas deixa os visitantes com o problema de descobrir em que local parar para almoçar. Chefs de classe mundial e restaurantes premiados se enfileiram nas ruas, oferecendo quase todos os tipos de refeição que podem satisfazer até os desejos mais exclusivos. Dê uma olhada nos 10 restaurantes que você deve visitar em Nova York e prepare-se para comer mais.


Como a Brooklyn Style Pizza é diferente de outros estilos de pizza?

A pizza estilo Brooklyn teve origem na Itália. Apesar de ter origem italiana, a pizza se popularizou nas costas indianas e também na Big Apple. Normalmente é considerada "pizza americana". É único e delicioso em comparação com outras pizzas. Aqui estão algumas das razões pelas quais é diferente:

A crosta pode ser dobrada

Ao contrário de outras pizzas com crosta densa, a crosta da pizza estilo Brooklyn é fina, mais crocante e com uma sensação mais arejada. Comparado ao de Chicago com uma qualidade semelhante à de uma sopa, o estilo do Brooklyn é mais equilibrado quando se trata de coberturas. A proporção entre o molho, a crosta e as coberturas é equilibrada. Por mais fina que a crosta seja, ela ainda é macia para que você possa cravar os dentes.

As fatias são maiores em comparação com a pizza normal. Como a crosta é fina, ela pode ser dobrada ao meio e comida. O tamanho da crosta o torna portátil. Você pode facilmente andar com ele embrulhado em papel.

Fácil de personalizar

É fácil personalizar a pizza do Brooklyn ao seu gosto. Você pode optar pelo caminho tradicional ou optar por complementar sua pizza com calabresa e queijo. Se quiser, você pode enlouquecer com a combinação de coberturas como tomates secos, cebolas caramelizadas e bacon.

Você também pode escolher a composição de sua pizza. Por exemplo, se você é alérgico a algumas substâncias alimentares como o glúten, você pode comer pizza sem glúten. Se você não leva laticínios, peça uma pizza estilo Brooklyn sem queijo. Você nunca vai perder nenhuma fatia de pizza de seu gosto.


O que você diria que é a sua cinco pizzas que você deve ir & # x27s?

Estou dedicando um dia para migrar ao redor do Brooklyn para comer apenas pizza, uma Pizza Pilgrimage se você quiser, e adoraria receber algumas sugestões. Até agora, tenho L & ampB para a fatia quadrada, Di Fara & # x27s porque c & # x27mon e Williamsburg & # x27s Pizza, pois foi minha fatia favorita do Brooklyn da última vez que visitei (desculpe, Melhor Pizza, ainda te amo.). Também tenho considerado Lucali & # x27s, Roberta & # x27s, Paulie Gee & # x27s e Luigi & # x27s. Mas chega de falar sobre mim, estou interessado no que vocês estão vendo.

* editar Tenho recebido repetições no Totonnos aqui. Acho que tenho que visitar agora haha.

** editar Portanto, o que percebi é que Di Fara & # x27s não vale a pena esperar e dinheiro e alguns de vocês pensam que Roberta & # x27s é superestimado. Portanto, agora estou substituindo Di Fara & # x27s por Archie & # x27s, já que estou ouvindo muitos elogios daquele lugar, assim como Paulie Gee & # x27s. Minhas paradas atuais agora são Totonno & # x27s & gtL & ampB Spumoni Gardens & gtArchie & # x27s & gtWilliamsburg Pizza & gtPaulie Gee & # x27s. Obrigado pelo feedback pessoal! Continue vindo se você tiver mais sugestões.


The Best Pizza Ever & # 8211 Di Fara & # 8217s Pizza

Dom termina uma torta quadrada para viagem & # 8211 uma torta quadrada normal (só queijo) custa 32 dólares ou 5 dólares a fatia. Uma torta redonda normal custa 28 dólares ou 5 dólares a fatia & # 8211 vale cada centavo!

Pizza é um dos alimentos mais populares no mundo culinário e extremamente difícil de acertar com suas preferências de sabor variadas, dependendo de quem você pergunta: prato fundo, pizza, siciliano, crosta fina, crosta grossa, crosta bem fina, queijo na crosta (obrigado Papa Johns), mussarela, provolone, cheddar, fontina, queijo branco, molho picante (obrigado 2 Boots), molho doce, molho branco. Para garantir, a melhor maneira de testar a capacidade de um pizzaiolo é pedir uma torta comum com crosta, molho à base de tomate e queijo e ver o que isso faz por você. Se isso te deixa perplexo, então você sabe que há alguma habilidade séria envolvida. Admiro qualquer pessoa que faça uma torta de queijo matadora. As coberturas são apenas enfeites que agregam uma grande variedade de sabores e texturas. Eu gosto de uma bela torta de anchova salgada ou da quintessencial & # 8220Meat Lover & # 8217s & # 8221 (obrigado Pizza Hut).

Cada pizza feita por Dom é lentamente esticada, temperada com queijo, coberta e assada até a imperfeição. a clássica torta redonda é preparada com uma mistura de queijo de mussarela e parmesão e coberta com parmesão, azeite e manjericão fresco após o cozimento.

Midwood, onde você encontrará Di Fara & # 8217s Pizza, não está & # 8217t exatamente, & # 8220Na grade & # 8221. Talvez um pouco mais na grade do que L & amp B Spumoni Gardens, mas consideravelmente menos na grade do que Motorino. Mas, como o proverbial velho sábio diria & # 8220 as melhores coisas da vida, você tem que trabalhar para & # 8221 (ou algo assim) & # 8211, o que, neste sentido, significa que você & # 8217 terá que pegar o trem D para a Avenida J e está lá quando você vem acima do solo & # 8211 não é nada demais.

Esta não é uma fábrica onde as tortas estão constantemente entrando e saindo. Dom leva seu tempo batendo na massa, esticando a massa, temperando, ralando a mussarela, espalhando, cobrindo com parmesão, levando ao forno. Ele provavelmente poderia fazer isso mais rápido, diz ele, mas isso simplesmente não estaria certo. Não há pressa para ele. Seus clientes, pelo menos os que sabem, eles não se importam. Um cliente, um morador da vizinhança, ri: “É como se ele fosse Michelangelo a maneira como faz cada torta”. Isso é o que eu respeito, mais do que tudo. Este não é um lugar onde você vem pedir uma pizza e se sentar. Este é um lugar para observar um homem e sua arte em ação. Mesmo se a pizza fosse uma merda, assistir o processo seria interessante o suficiente.

Di Fara & # 8217s Square ou Sicilian Pie é uma pizza de crosta espessa carregada de queijo The Line fora da Di Fara & # 8217s Pizza pouco antes de abrir para o almoço. Começou a se formar meia hora antes de o restaurante abrir, e antes de abrirem as portas, a fila já tinha cerca de 25 pessoas.

Este não é um ponto de brunch da moda em seu bairro favorito de Nova York. Não é uma moda passageira (ele faz pizzas há mais de 50 anos). Este é o negócio real e eu não me importo com o que você diz & # 8211 se você não comeu a pizza Di Fara, você ainda não comeu a melhor pizza.

Murray & # 8217s Cheese Bar Oferece Conforto em LIC

Pizza da Difara
1424 Avenue J
Brooklyn NY 11230
718-258-1367

Leia mais sobre Di Fara e # 8217s Pizza no Snap Food

Eric Isaac é um fotógrafo americano de culinária e viagens que mora em Nova York. Seu blog, SnapFood, destaca a comida em Nova York e nos arredores, bem como o que ele descobre em suas viagens pelo mundo.


Voltar para Di Fara

Nunca fui um leitor regular de blogs de comida, quadros de avisos ou colunas até que comecei a escrever Word of Mouth no início deste ano. Uma das minhas maiores surpresas quando comecei a seguir o que outros foodies estavam falando, especialmente via Chowhound, foi que uma pizzaria (esse é o termo oficial tradicional de Nova York para "pizzaria") do meu antigo bairro do Brooklyn, Di Fara's, tinha alcançou status de lenda entre os conhecedores de pizza. Agora, a última vez que comi no Di Fara's foi provavelmente em 1978, ano em que deixei o antigo bairro de Midwood. Naquela época, era uma pizzaria de bairro boa e sólida, mas não me lembro de ser notável. Então eu me perguntei sobre o que era toda essa confusão. E eu estou falando alarido. Às vezes, os devotos de Di Fara parecem um estranho culto religioso.

O que acabei descobrindo, por meio do Chowhound e da cobertura de outras mídias, como o excelente blog de pizza Slice, é que em algum momento dos anos 80 o dono de Di Fara, Dom DeMarco, que abriu o lugar em 1964, se tornou religioso da pizza e começou a se dedicar atenção artesanal quase obsessiva para suas tortas, mudando para ingredientes importados de qualidade nunca vistos na maioria das pizzarias de bairro. Pude constatar nos evangelhos que Dom alcançou a divindade da pizza por volta de 1990 e que continua a mexer em suas receitas. Dom, no entanto, exerceu seu comércio em relativa obscuridade até que a internet revolucionou a natureza do "boca a boca". Alguns dão ao fundador do Chowhound, Jim Leff, grande parte do crédito, citando um kvell de 1997 que causou uma avalanche.

Quanto ao nome, nunca houve um Sr. Di Fara. Dois anos atrás, Dom disse ao New York Times, "Quando abri a loja, o nome do meu sócio era Farina. Meu nome é DeMarco. Então, quando o advogado fez o jornal, ele juntou os dois nomes. Di Fara. Di para mim e Fara para ele. Comprei meu sócio em 1978, eu acho. " Parece que Farina e eu saímos do bairro mais ou menos na mesma época.

No que diz respeito à receita, Adam Kuban do Slice escreve: "O Sr. DeMarco usa uma combinação de tomates San Marzano frescos e enlatados para o molho, que ele faz diariamente - às vezes várias vezes ao dia, pelo que entendemos. Então há o queijo: uma combinação de mussarela regular de alta qualidade, mussarela de búfala fresca que ele importa da Itália e uma polvilhada de grana padana picante e ligeiramente saborosa crocância do forno. " Tem também o azeite de oliva extra-virgem.

Agora, a esquina da Avenue J com a East 15th Street no meu antigo bairro é um importante destino gastronômico. Uma pizzaria de bairro antes tranquila se tornou um local de peregrinação constantemente movimentado. E como em qualquer peregrinação digna desse nome, há provações a suportar.

As longas esperas no Di Fara's são lendárias, com quarenta e cinco minutos para uma fatia sendo talvez a média mais citada. Vários fatores explicam a longa espera: o cuidado e a precisão de Dom o fato de ele e ele sozinho fazer todas as pizzas, do início ao fim o fato de todas as tortas serem assadas na hora (ou seja, não há pizzas frias esperando para serem reaquecidas) o fato de que apenas um nível do forno (seu forno de convecção básico, aliás), o mais próximo da chama, é usado para assar as tortas, o que significa que há espaço para apenas dois de cada vez e, claro, a incrível popularidade do lugar. Outro fator é que às vezes, aparentemente, Dom trabalha sozinho, sem ajuda para receber pedidos ou dinheiro dos fregueses, ou para ralar queijo, ou para encher os decantadores de azeite.

Tonto com a agitação, achei que tinha que dar uma chance ao Di Fara, embora voltar para meu antigo bairro sempre me dê arrepios. Dada minha desconfiança em todas as religiões e movimentos de massa, eu estava cético. Eu tinha certeza de que Di Fara's não poderia corresponder à sua reputação. Eu também estava relutante em esperar em uma fila interminável por algumas fatias de pizza, então adiei minha visita até que pudesse chegar lá em um "horário de folga", ou pelo menos um fac-símile razoável disso. Na sexta-feira, 4 de agosto, saí do escritório mais cedo e fui para Midwood no Q Train. Cheguei à casa de Di Fara por volta das 15h15. Parecia exatamente o mesmo dos anos 70 - a mesma placa grosseira pintada à mão, o mesmo interior sujo, o mesmo forno, tenho certeza, que parecia ter visto um serviço ativo no campo de batalha. A única diferença foi o fato de haver artigos, homenagens e prêmios pendurados nas paredes.

Havia cerca de três ou quatro outros clientes na loja. Dei minha ordem à filha de Dom, cuja ajuda ajuda, de uma certa forma, a correr mais bem. Pedi uma fatia normal com alcachofra, especialidade da casa, e uma fatia quadrada. Em menos de cinco minutos, uma torta redonda saiu. A filha de Dom colocou os corações de alcachofra refogados na minha fatia. Eu o trouxe para uma mesa, junto com minha lata de Limonata, e comecei a comer.

Sim, isso foi bom. Foi muito bom. Mas foi transcendente? Não. Era uma fatia de pizza muito boa, e a crosta fina e densa de nozes era impressionante. Ainda assim, eu me perguntei, isso é tudo que existe? O burburinho e o ímpeto fizeram com que as pessoas viessem de todos os cantos de Nova York, sem falar do mundo, e esperassem em longas filas por uma fatia de pizza muito boa e não transcendente?

Terminei a fatia. Não havia nenhuma torta quadrada à vista. Eu esperei. As pessoas iam e vinham, algumas para comer fatias, outras para tortas inteiras. Por volta das dez para as quatro, ainda não havia uma torta quadrada à vista. Uma torta normal tinha acabado de sair e, milagrosamente, ainda havia algumas fatias sobrando depois que todas as encomendas foram feitas. Resolvi reclamar um, para comer enquanto esperava pela minha praça. Eu comi. Foi muito bom, como o anterior. Ainda assim, não estava convencido de que valia a pena todo o esforço.

Às quatro da tarde, eu já estava lá há 45 minutos e ainda não havia praça. Então, minha fatia inicial rápida foi realmente parte do teste. Já tinha suportado a famosa espera Di Fara de 45 minutos, com vontade de experimentar os dois tipos de torta, mas também tive a opção de sair, relativamente saciada, e poder dizer que tinha feito a peregrinação. Isso simplesmente não funcionaria. Eu estava determinado a tentar um quadrado. Achei que tivesse esperado 28 anos para voltar, mais alguns minutos não me matariam.

Não havia nenhum quadrado porque Dom continuou colocando tortas regulares no forno e não tinha começado em um quadrado durante todo o tempo que eu estive lá. Então algumas pessoas entraram e pediram uma torta quadrada para viagem. A filha de Dom perguntou a ele: "Você vai fazer um quadrado a seguir? Há pessoas esperando pelas fatias e há outra para ir." Dom continuou trabalhando em tortas redondas, e a cada cinco minutos sua filha o lembrava de que as pessoas estavam esperando por quadrados.

Comecei a falar com algumas das pessoas que estavam esperando. Alguns caras que estavam lá há quase tanto tempo quanto eu também estavam esperando por fatias quadradas. Um morava em Manhattan, mas seu amigo estava visitando de Dublin. O cara que havia pedido a torta quadrada para viagem, um ex-morador do Brooklyn, havia saído de carro de Long Island com sua filha adolescente. Depois da festa de Di Fara, eles foram para Coney Island. Não tenho ideia de onde planejavam comer pizza.

Finalmente, perto das 4h30, Dom recebeu a mensagem e começou a trabalhar em uma torta quadrada. As crostas das tortas quadradas agora estão parcialmente pré-assadas, aparentemente uma mudança recente que as impede de amarrar o forno por muito tempo. Dom tirou a crosta da frigideira e despejou uma grande quantidade de azeite de oliva extravirgem por baixo. Em seguida, acrescentou o molho e os queijos por cima. Depois foi ao forno. A essa altura, eu já estava lá havia cerca de uma hora e quinze minutos - fora do horário de pico.

Em um forno bem quente, com a crosta quase toda pré-assada, não demora muito para cozinhar uma torta quadrada, uma vez que Dom começa a fazer isso. A filha de Dom me serviu minha fatia e eu a levei de volta para a mesa. Estava oleoso e sujo, então usei garfo e faca nele. Eu dei uma mordida.

Foi transcendente. Foi único. Estava uma delícia.

Agora, para um aviso de isenção. Embora eu goste de pizza, não sou fanático por pizza. Já gostei de pizzas na Itália, mas não costumo pedir muito quando estou lá. Também prefiro pides turcas e tartes flambées da Alsácia à pizza. Ainda assim, no que diz respeito à pizza, não consigo pensar em nenhuma que tenha sido melhor do que a fatia quadrada do Di Fara. A principal diferença entre os dois tipos de torta é, aparentemente, o molho. Para o quadrado, Dom usa um molho que foi cozido com presunto ou pancetta. Acho que é o coração deste molho, juntamente com a forma como os queijos se casam por cima, que talvez faça a diferença notável. Além disso, Dom acrescentou manjericão fresco às fatias quadradas, o que deu outra dimensão ao sabor.

Portanto, agora sou um verdadeiro crente de Di Fara, mas um sectário da praça. No entanto, pode demorar algum tempo antes de eu voltar. Como eu disse, não sou fanático por pizza - apenas um humilde peregrino.


A famosa Di Fara Pizza do Brooklyn agora é vendida em todo o país

As melhores pizzas da cidade de Nova York são encontradas em suas periferias - lugares que são um pouco difíceis de se visitar se você não mora perto. Se você quiser ir ao Lee’s Tavern em Staten Island ou ao New Park Pizza em Howard Beach, você precisa de um carro. Uma fatia bem passada no Pizza Wagon vai forçá-lo a pegar o trem R até sua penúltima parada. Pegue o trem até Coney Island para ter a experiência religiosa de engolir uma torta de Totonno's, e você ainda terá que caminhar para o lado oposto da ilha do Cyclone e Wonder Wheel, descendo para a glamourosa faixa onde o lojas de carrocerias de automóveis são encontradas.

Para chegar à lendária Di Fara Pizza, costumava-se pegar os trens B ou Q até a parada da Avenue J em Midwood, um bairro predominantemente judeu ortodoxo no Brooklyn central. E então, quando você finalmente chegava à sua velha loja de esquina, era preciso esperar na fila. UMA grande linha. Quando eu estava crescendo no Brooklyn dos anos 1980, a espera não era tão ruim. Então a internet surgiu e o tempo de espera cresceu cada vez mais até que me vi esperando uma hora em uma noite de neve de terça-feira por uma pequena torta simples. O que tornava a pizza tão boa é que todas as tortas feitas desde o dia em que foram inauguradas em 1965 foram feitas pelas mãos do mestre da pizza Dom DeMarco. Conforme a popularidade de Di Fara crescia, Dom estava envelhecendo e diminuindo a velocidade, mas ainda fazendo todas as tortas sozinho. A espera se estendeu cada vez mais, até o ponto em que parei de visitar Di Fara por completo. Claro, era uma pizza boa, mas não uma hora de espera em uma tempestade de neve. (Acontece que acho que o Totonno's é melhor, mas eles fecham às terças-feiras.)

Dom está agora com 83 anos e, embora ainda faça tortas ocasionais, na maioria das vezes passa as rédeas para seus sete filhos. Um segundo local foi inaugurado em Williamsburg, o bairro que se tornou famoso como a Boêmia hipster e agora é um playground para os ultra-ricos. Você pode finalmente pedir suas pizzas para entrega, graças ao GrubHub. E, a partir de hoje, você pode pedir pizzas congeladas Di Fara de qualquer lugar da América, graças a uma parceria com a Goldbelly. Duas pizzas Nea politan (em Brooklyn: tortas redondas) custarão US $ 69 (legais) duas pizzas sicilianas (tortas quadradas) custarão US $ 129. Estes são os preços antes frete, embora as primeiras 1.000 tortas vendidas tenham essas taxas isentas. No momento em que escrevo isso, as tortas estão disponíveis há pouco mais de uma hora e os pacotes de desconto da edição limitada já se esgotaram.

Eu não provei uma torta de Di Fara em mais de uma década e não pensei muito sobre isso. Para mim, Dom DeMarco é Di Fara. A menos que eu esteja observando suas mãos envelhecidas cortando cuidadosamente manjericão fresco sobre as piscinas derretidas de mussarela de búfala, fior di latte e Parmagiano-Reggiano ralado, é apenas uma pizza. Mas se você não teve a sorte de provar uma torta Di Fara pelo menos uma vez na vida, pode querer jogar isso na sua lista de desejos.

Allison Robicelli é escritora, czar de receitas, ex-chef profissional, autora de quatro (muito bons) livros e The People's Hot Pocket Princess. Envie um tweet para obter ajuda com a receita: @Robicellis.


Vencedores do prêmio Chowzter Fast Feast & # 8230 e minhas escolhas de Bristol!

Então, no último fim de semana eu estava em Londres para o Chowzter Annual Awards & # 8211, uma celebração dos melhores banquetes rápidos de todo o mundo. I & # 8217m um dos quase 100 blogueiros cuja responsabilidade é fazer a curadoria de uma lista dos melhores banquetes rápidos em sua própria cidade, fornecendo um guia local prático para os melhores restaurantes locais e independentes em cidades de todo o mundo.

Passei alguns dias na capital com cerca de 40 outros blogueiros da Europa, Ásia, América do Norte, América do Sul e Australásia, conferindo o agitado cenário gastronômico de Londres & # 8217s e participando da cerimônia de premiação no L & # 8217Anima, que será inaugurado em breve. Café perto da estação Liverpool Street. Os vencedores estão todos listados abaixo, com fotos & # 8211 junto com minhas escolhas de Bristol para cada categoria & # 8230

A Pizza Mais Deliciosa da Terra e # 8211 Pizza Slice @ Di Fara, Brooklyn, Nova York (indicado por Yvo Sin do The Feisty Foodie)

Estas pizzas artesanais de Di Fara parecem verdadeiramente fantásticas & # 8211, mas a minha escolha de Bristol seria a Allegretto Pizza no À capella em Totterdown. Recentemente classificada como a melhor pizzaria do Reino Unido pelo TripAdvisor, A Cappella serve um banquete de mussarela, cogumelos salteados, pancetta defumada, cebolas caramelizadas, brie e um ovo. Deve tentar!

Os frutos do mar mais saborosos do planeta: Alaskan King Crab 5 Ways @ Dynasty, Vancouver (indicado por Mijune Pak do Follow Me Foodie)

De fevereiro a abril é a temporada do caranguejo-rei do Alasca em Vancouver, e o restaurante chinês Dynasty é conhecido por seu jantar de caranguejo-real. Meu prato de frutos do mar favorito em Bristol tem que ser o Sopa Macia de Tofu com Frutos do Mar no Surakhan na Park Row & # 8211 uma sopa superpimentada servida com arroz e três saladas diferentes.

O Vegetariano Mais Saboroso da Terra & # 8211 Falafel Especial @ L & # 8217As du Fallafel, Paris (indicado por Mathilde Dewilde de Mathilde & # 8217s Cuisine)

Eu sei o que você está pensando. Você está surpreso que o melhor prato vegetariano veio da França. Nós também! O bom falafel é sempre um vencedor em meu livro, embora & # 8211, e é por isso que meu melhor banquete vegetariano rápido de Bristol é o Caixa de Salada Mezze a partir de Edna e cozinha # 8217s, perto do Castle Park. É uma refeição realmente satisfatória, incluindo (na minha opinião!) O melhor falafel de Bristol.

Os Noodles Mais Saborosos da Terra & # 8211 Pad Thai @ Pad Thai Thip Samai, Bangkok (indicado por Mark Wiens de Eating Thai Food)

Se você está procurando experimentar o autêntico Pad Thai na Tailândia, o Pad Thai Thip Samai é o lugar para estar, um restaurante especializado nessa iguaria. Embora seja improvável que qualquer prato de macarrão Bristol acabe com seus equivalentes asiáticos, ainda temos muitos lugares excelentes para saborear um bom macarrão. Meu favorito? o Ramen de Frango no Noa Restaurante Japonês em Clifton Village. Limpo e fresco em seus sabores, acho que Noa é de longe o melhor lugar em Bristol para saborear este prato de sopa de macarrão japonês.


O pássaro mais saboroso da terra e # 8211 Roast Goose @ Yat Lok, Hong Kong (indicado por Juliana Loh de bilbaobab: Chicken Scrawlings)

Às vezes, os pratos mais simples são os mais saborosos. Simplesmente torrado com uma deliciosa marinada, este ganso assado ficou em primeiro lugar na categoria & # 8220Passaro mais saboroso & # 8221. E em Bristol? Bem, meu voto vai para o frango marroquino no Al Bab Mansour no St Nick & # 8217s Market: um prato fumegante de frango, arroz e vegetais que irá fornecer-lhe um almoço farto a um ótimo preço e em um lindo local.

Tastiest Sandwich On Earth & # 8211 Caribbean Roast @ Paseo, Seattle (nomeado por Naomi Bishop of The Gastrognome)

Carne de porco, molho aioli e cebolas caramelizadas em uma baguete crocante definitivamente soa bem na minha rua! Mas em Bristol, fazemos sanduíches bem, com um grande número de ótimos lugares para obter o seu pão e recheios na hora do almoço. Meu favorito pessoal é o Sanduíche de carne salgada no Carne e pão no Three Tuns (ele está fazendo uma pausa no momento da escrita, mas estará de volta em breve!) & # 8211 servido com chucrute, picles e molho russo. A melhor parte é que o proprietário Ben cura suas próprias carnes, picles seus próprios picles e faz todos os seus próprios molhos também.

O Arroz Mais Saboroso da Terra e # 8211 Arroz de Frango Hainanese @ Tian Tian Hainanese Rice, Cingapura (nomeado por Catherine Ling de Camemberu)

Com Anthony Bourdain e Gordon Ramsay entre seus fãs, não é de surpreender que este prato de frango com arroz tenha vencido em sua categoria! Tal como acontece com a categoria de macarrão, o arroz é provavelmente uma categoria em que é improvável que tenhamos um vencedor de Bristol no próximo ano! Minha recomendação local, porém, seria a Arroz de frutos do mar no Cozinha Yume & # 8211 um ótimo prato de arroz frito com lula, salmão, camarão e vegetais.

A Pastelaria Mais Saborosa da Terra & # 8211 Fried Jam Croissant @ Albion, Londres (indicado por Niamh Shields de Eat Like A Girl)

Nós tentamos este deleite muito carregado de calorias quando estivemos em Londres para o fim de semana de premiação, e ele é muito perverso! A Pastelaria Mais Saborosa é uma categoria pela qual estou lutando para fazer Bristol, já que normalmente não sou uma pessoa que toma café da manhã! Se você tiver alguma sugestão, me avise e eu & # 8217 vou experimentá-las para poder adicionar a categoria à minha lista do Chowzter & # 8230

Se você acessar o site do Chowzter, poderá ver os vencedores regionais de todo o mundo & # 8211, bem como o prato escolhido como o banquete mais saboroso do mundo & # 8217s em geral! Você também poderá assistir a clipes de vídeo que descrevem cada um dos vencedores & # 8211 e se eles não aguçarem seu apetite para resolver um ou dois feriados gastronômicos, eu & # 8217 ficarei surpreso & # 8230

Quanto a Bristol, você pode ver minha lista Chowzter atual (que é um pouco um trabalho em andamento!) Clicando aqui. Tenho muitos outros pratos excelentes para adicionar à lista & # 8211, mas se você achar que perdi algo ainda mais saboroso nas categorias listadas acima, deixe um comentário para me informar e eu & # 8217 tentarei! Eu realmente quero colocar Bristol no mapa no próximo ano como um vencedor do prêmio Chowzter & # 8230


Comente

Re: Minha missão para replicar Di Fara's Square Pizza

Aqui está minha primeira tentativa com a Pizza Square do Di Fara. Primeiro, enrolei minha massa em uma fôrma de alumínio (do Sam's Club) levemente azeitada (com azeite de oliva leve) e deixei a massa espalhada descansar por cerca de 30 minutos. Em seguida, espalhei o molho sobre a massa. Quando a temperatura da superfície do meu WFO estabilizou em 700 graus F, coloquei na bandeja a massa e o molho. Dentro de 3 minutos, notei que a panela deformava no meio. Provavelmente tem a ver com a maldita panela barata da Sam's.

Após 5 minutos, retirei a bandeja e levantei a crosta para verificar o fundo. O fundo quase não tinha cor. Achei que talvez fosse necessário mais óleo no fundo para estimular alguma atividade de fritura e fiz exatamente isso. Em seguida, coloquei um pouco de queijo mussarela de baixa umidade sobre ele. Em seguida, eu segui com mussarela de búfala fresca. Eu usei apenas cerca de? da quantidade de búfala fresca em comparação com o queijo mussarela de baixa umidade. Não queria usar muito búfalo fresco porque é um queijo muito úmido e não gosto que minha pizza fique muito encharcada. Despeje um pouco mais de molho vermelho sobre o queijo e coloque um pouco de grana padano ralada fresca sobre tudo. Pulei a etapa do azeite de oliva (antes de Dominic carregar a frigideira no forno para o segundo assado, ele despejou um pouco de azeite por toda parte) porque acho que tenho azeite mais do que suficiente no fundo. Deslize-o de volta no WFO. Após 6 minutos, notei que a crosta parecia seca, então puxei para fora. Levante a crosta para verificar o fundo e ainda estava branco. Aparentemente, o azeite de oliva adicional não adiantou. Decidi remover tudo da panela e deixar cozinhar diretamente no chão do WFO. Em 2 minutos, a parte inferior parecia muito melhor, mas a crosta na parte superior neste ponto é mais forte. Corte um pouco de manjericão fresco sobre a pizza e corte-os em quadrados. Logo de cara, percebi que coloquei muito queijo mussarela de baixa umidade porque não conseguia ver o molho. O fundo era muito gorduroso para o meu gosto. Eu precisava de mais molho vermelho. Fora isso, tinha um gosto muito bom.

Tentei novamente com uma frigideira mais escura e menor e o resultado foi muito melhor. Eu adicionei um pouco de pepperino desta vez. Eu não tinha ideia de que a frigideira escura faria uma diferença tão grande. No entanto, eu estava com pouco molho para este quadrado em particular, mas ainda tinha um gosto bom. Meu filho de dois anos tinha três quadrados e geralmente não se importa com minha pizza em fatias. Ainda não cheguei lá, mas até agora foi a minha melhor pizza caseira.


15 melhores pizzas da América

15. South Brooklyn Pizza, New York City (New York Style): Embora conhecida como uma ótima cidade para pizza, o estado da fatia de Nova York não é o que você pensa, especialmente quando está nas garras de a mania napolitana e comida bêbada de US $ 1,99. Mas há esperança na forma do East Village & # 39s South Brooklyn Pizza, onde o proprietário Jim McGown oferece um forno a gás convencional que dá à saia superior um leve carvão que parece adequado. Uma fatia da pizza exclusiva do New York Style leva tempo (em média, até 10 minutos), mas vale a pena esperar. O molho San Marzano não é muito doce nem ácido e é finalizado com camadas de finas rodelas de mussarela ovóide, salpicadas de cubos de fontina e finalizadas com uma generosa garoa de azeite, manjericão e pecorino ralado ou Grana Padano. A fina crosta racha, mas carrega o queijo e o molho por todo o caminho até a fatia, picante após mordida. "/>.99- alimentos para beber em papelão. Mas há esperança na forma de East Village e # 39s South Brooklyn Pizza , onde o proprietário Jim McGown adota um forno a gás convencional que dá à saia superior um leve carvão que parece perfeito. Uma fatia da pizza exclusiva do New York Style leva tempo (em média, até 10 minutos), mas vale a pena esperar . O molho San Marzano não é muito doce nem ácido e é coberto com camadas de fatias finas de mussarela ovóide, salpicadas com cubos de fontina e finalizado com uma generosa garoa de azeite, manjericão e pecorino ralado ou Grana Padano. A fina crosta racha, mas carrega o queijo e o molho por todo o caminho até a fatia, picante mordida após mordida. " />

Interessado neste tópico? Você também pode querer ver estas galerias de fotos:

13. Paulie Gee's, Brooklyn, NY (Regina): Greenpoint, Brooklyn, não é muito bonito, mas Paulie Gee's é a casa de um amante de pizza, um espaço limpo e rústico que parece um celeiro, mas oferece uma torta para competir cada memória de Nápoles que você teve ou sonhou ter. Há cerca de 19 tortas, todas ótimas por conta própria e com nomes inteligentes e ótimas combinações de cobertura - In Ricotta Da Vita, Ricotta Be Kiddin 'e Luca Brasi (sem anchovas) - mas quando o The Daily Meal fez check-in na pizzaria , a Regina foi a torta anotada como assinatura: mussarela, tomate, pecorino romano, azeite e manjericão fresco. E os palestrantes concordaram que Paulie's Regina bem merecia um lugar de destaque entre as 20 melhores pizzas da América. (Foto: Paulie Gee & # 39s)

Pizza is about as varied and beloved a genre, as opinionated a subject, and also as accessible a food as there is, which makes determining the country's best pizzas a truly challenging task.

Yes, pizza is tough to rank responsibly. But once again, that's just what The Daily Meal set out to do.

1. Frank Pepe's, New Haven, Conn. (White Clam)

If you want to discuss the loaded topic of America's best pizza with any authority, you have to make a pilgrimage to this legendary New Haven pizzeria. Frank Pepe opened his doors in Wooster Square in New Haven, Conn., in 1925, offering classic Napoletana-style pizza. After immigrating to the United States in 1909 at the age of 16 from Italy, Pepe took odd jobs before opening his restaurant (now called "The Spot," next door to the larger operation). Since its conception, Pepe's has opened an additional seven locations.

What should you order at this checklist destination? Two words: clam pie ("No muzz!"). This is a Northeastern pizza genre unto its own, and Pepe's is the best of them all — freshly shucked, briny littleneck clams, an intense dose of garlic, olive oil, oregano and grated parmesan atop a charcoal-colored crust. The advanced move? Clam pie with bacon. Just expect to wait in line if you get there after 11:30 a.m. on a weekend.

2. Di Fara, Brooklyn, N.Y. (Di Fara Classic Pie)

Domenico DeMarco is a local celebrity, having owned and operated Di Fara since 1964. Dom cooks both New York and Sicilian-style pizza Wednesday through Sunday (noon to 4:30 p.m., and from 6:30 p.m. to 9 p.m.) for hungry New Yorkers and tourists willing to wait in long lines, and brave the free-for-all that is the Di Fara counter experience. Yes, you're better off getting a whole pie than shelling out for the $5 slice. Yes, it's a trek, and sure, Dom goes through periods where the underside of the pizza can trend toward overdone, but when he's on, Di Fara can make a very strong case for being America's best pizza. If you want to understand why before visiting, watch the great video about Di Fara called The Best Thing I Ever Done. You can't go wrong with the classic round or square cheese pie (topped with oil-marinated hot peppers, which you can ladle on at the counter if you elbow in), but the menu's signature is the Di Fara Classic Pie: mozzarella, parmesan, plum tomato sauce, basil, sausage, peppers, mushroom, onion, and of course, a drizzle of olive oil by Dom.

3. Pizzeria Bianco, Phoenix (Marinara)

"There's no mystery to my pizza," Bronx native Chris Bianco was quoted as saying in O jornal New York Times. "Sicilian oregano, organic flour, San Marzano tomatoes, purified water, mozzarella I learned to make at Mike's Deli in the Bronx, sea salt, fresh yeast cake and a little bit of yesterday's dough. In the end great pizza, like anything else, is all about balance. It's that simple." Try telling that to the legions of pizza pilgrims who have made trip to the storied Phoenix pizza spot he opened more than 20 years ago. The restaurant serves not only addictive thin-crust pizzas but also fantastic antipasto (involving wood-oven-roasted vegetables), perfect salads and homemade country bread. The wait, once routinely noted as one of the worst for food in the country, has been improved by Pizzeria Bianco opening for lunch, and the opening of Trattoria Bianco, the pizza prince of Arizona's Italian restaurant in the historic Town & Country Shopping Center (about 10 minutes from the original). This is another case where any pie will likely be better than most you've had in your life (that Rosa with red onions and pistachios!), but the signature Marinara will recalibrate your pizza baseline forever: tomato sauce, oregano, and garlic (no cheese).

4. Una Pizza Napoletana, San Francisco (Margherita)

When Anthony Mangieri, pizzaiolo for the East Village's Una Pizza Napoletana, closed in 2009 "to make a change," move West, and open somewhere he could get "a chance to use his outrigger canoe and mountain bike more often," it was the ultimate insult to New Yorkers. You're taking one of the city's favorite Neapolitan pizzerias, defecting to a temperate climate, to people who denigrate New York's Mexican food? So you can canoe and mountain bike? Traitor! Good for Mangieri, and good for San Franciscans, who inherited one of the country's best Neapolitan pies (if only Wednesday through Saturday, 5 p.m. until they're "out of dough"). A thin crust with chewy cornicione, a sauce that's tart and alive, an appropriate ratio of cheese . you could almost imagine yourself at the pantheon to pizza in Naples: Da Michele, a place where the pizza is poetry and pizza poetry is on the wall. Mangieri harkens that same ethos on his website — check out the pizza poem "Napoli" — and delivers the edible version to his patrons. There are only five pies, all $25 (a $5 hike since last year), plus a special Saturday-only pie, the Apollonia, made with eggs, parmigiano-reggiano, buffalo mozzarella, salami, extra-virgin olive oil, basil, garlic, sea salt and black pepper. But when you're this close to godliness, you don't need extras. Keep it simple with the margherita (San Marzano tomatoes, buffalo mozzarella, extra-virgin olive oil ,fresh basil, sea salt, tomato sauce) and know the good.

5. Pizzeria Mozza, Los Angeles (squash blossoms, tomato, burrata)

Renowned baker and chef Nancy Silverton teamed up with Italian culinary moguls Mario Batali and Joe Bastianich to open Osteria Mozza, a Los Angeles hot spot where the famous clientele pales in comparison to the innovative, creative fare. The pizzeria, which is attached to the main restaurant, offers a variety of Italian specialties, from antipasti to bruschetta, but the Neapolitan-style pizzas steal the show. Their list of 21 pies ranges from $11 for a simple aglio e olio, a classic cheese pizza, to $23 for a more unique pie with squash blossoms, tomato, and burrata cheese — a delicious and simple pizza that transports through the quality and nuance of its ingredients. So it's no surprise that Batali and Bastianich have taken a stab at duplicating the success of this model pizzeria, opening in Newport Beach, Singapore (!), and soon, San Diego.

6. Roberta's, Brooklyn, N.Y. (Margherita)

Say Roberta's is in the new class of restaurants that has fanned the flames of the Brooklyn vs. Manhattan debate, call it a great pizza joint, recall it as a frontrunner of the city's rooftop garden movement, and mention that Carlo Mirarchi was named a Best New Chef by Food & Wine, and you'd still be selling it short. Roberta's is in Bushwick six stops out of Manhattan on the L, and it's one of the city's best restaurants (it even serves one of the city's hardest-to-score tasting menus). In Bushwick! Pizza may not be the only thing at Roberta's, but its Neapolitan pies are at the high end of the debate about the city's best (and according to an interview with the blog Slice, inspired another great pizzeria on this list, Paulie Gee's). Yes, some of them have names like "Family Jewels," "Barely Legal," and - after disgraced New York City mayoral candidate Anthony Wiener - "Carlos Danger," but you can afford not to take yourself seriously in an environment where Brooklyn hipsters and everyone else tolerate each other when your pizza is this good. As much as the Amatriciana and the Bee Sting (when Roberta's goes mobile) may tempt, the Margherita (tomato, mozzarella, basil) is Roberta's pizza Lothario.

7. Sally's Apizza, New Haven, Conn. (Tomato Pie)

Sally's Apizza is a New Haven classic, operating from the same location where they opened in the late 1930s in New Haven's Wooster Square. Their pizza is traditionally thin-crust, topped with tomato sauce, garlic and "mozz." The pies look pretty similar to what you'll find down the street at Frank Pepe, which any New Haven pizza believer will note is because the man who opened Sally's is the nephew of the owner of Pepe. The folks at Sally's will be the first to tell you that Pepe makes a better clam pie, but their tomato pie (tomato sauce, no cheese), well, they have the original beat there.

8. Flour + Water, San Francisco (Margherita)

Although this San Francisco restaurant claims to specialize in house-made pastas, their pizza is formidable. Baked in a wood-fired oven, the thin-crust pizza at Flour + Water blends Old World tradition with modern refinement, according to chef and co-owner Thomas McNaughton. Pizza toppings vary depending on what's in season, making each dining experience unique, but Flour + Water's textbook Margherita is amazing. Heirloom tomatoes, basil, fior di latte, and extra-virgin olive oil . if only the simplicity implied by the restaurant's name could be duplicated in pizzerias across the country.

9. Motorino, New York City (Brussels Sprout)

Some spaces are cursed. Others? Blessed. When Anthony Mangieri shuttered Una Pizza Napoletana at 349 East 12th St. and headed West, Mathieu Palombino took over the lease, renamed the space Motorino, and the East Village pizza scene hardly skipped a beat. Motorino offers a handful of spirited pies, including one with cherry stone clams another with stracciatella, raw basil and Gaeta olives and the cremini mushroom with fior di latte, sweet sausage and garlic. But contrary to every last fiber of childhood memory you hold dear, the move is the Brussels Sprout pie (fior di latte, garlic, Pecorino, smoked pancetta and olive oil), something both Hong Kong natives and Brooklynites can now attest to since Palombino opened (and reopened) his Asian and Williamsburg outposts earlier in 2013.

10. Al Forno, Providence, R.I. (Margarita)

On South Main Street in the heart of Providence, R.I., Al Forno offers a quintessential Italian dining experience for those who can't afford the flight. Husband-and-wife owner-chefs George Germon and Johanne Killeen received the Insegna del Ristorante Italiano from the Italian government, a rare honor for Americans, attributable to their informed passion for pasta along with their invention of the grilled pizza. The restaurant bakes their pies in wood-burning ovens as well as on grills over hardwood charcoal fire. Their most notable grilled pizza? The Margarita. It's served with fresh herbs, pomodoro, two cheeses and extra-virgin olive oil.

11. Modern Apizza, New Haven, Conn. (Italian Bomb)

Established in 1934 as State Street Pizza, Modern's coal-fired brick oven puts out pizza in the same thin-crust style. It's likely that you'll hear it spoken about as the place "the locals go instead of Pepe's and Sally's." That may be so. The atmosphere is great — wood paneling, friendly servers, a clean feeling — but it doesn't play third-string just because it's not on Wooster. Modern's pies are a little topping-heavy with less structural integrity. Given the focus on toppings, the iconic Italian Bomb is the pie to try: bacon, sausage, pepperoni, garlic, mushroom, onion and pepper.

12. Totonno's, Brooklyn, N.Y. (Margherita)

By all accounts, Totonno's shouldn't be around anymore. Consider first that it was opened in Coney Island in 1924 (by Antonio "Totonno" Pero, a Lombardi's alum). Then factor in the fire that broke out in the coal storage area and ravaged the place in 2009. Add to that insult the destruction (and some reported $150,000 in repairs) incurred in 2012 during Hurricane Sandy when 4 feet of water destroyed everything inside the family-owned institution. You'll probably agree that Brooklyn (and the country) should be counting its lucky stars Totonno's is still around. And yet it does more than that.

It doesn't just keep a storied pizza name, or nostalgia for simpler times (and perhaps more authentic and consistent pies) alive. No. Owners Antoinette Balzano, Frank Balzano and Louise "Cookie" Ciminieri don't just bridge our modern era's festishizing of pizza to the days of its inception at Lombardi's. The coal-fired blistered edges, the spotty mozzarella laced over that beautiful red sauce . ah, fuggedabout all the teary-eyed try-too-much words, this is Neptune Avenue! This is Brooklyn! This is Totonno's. And this, is how you make pizza.

13. Paulie Gee's, Brooklyn, N.Y. (Regina)

With a love for pizza, little formal training, without finishing high school, with a career he has characterized as having "masqueraded as a computer geek," and a fear of becoming Shelley Levene from "Glengarry Glen Ross," Paulie Giannone struck out into the unknown, to Greenpoint, Brooklyn. He ventured there before "Girls," before the condos, in a time when the dream of a two-bedroom, two-bathroom apartment a 10-minute walk from the subway to Manhattan on the Polish word-of-mouth, no-lease real estate wire still went for less than $2,000.

This backyard do-it-yourselfing pizza passionista put it all on the line and earned every kind word he's gotten. Greenpoint isn't much to look at, but Paulie Gee's is a pizza lover's home, a clean, rustic space that looks like a barn but puts out a pie to rival every Naples memory you've had or dreamed of having. There are some 19 pies, all great in their own right and featuring clever names and great topping combinations — In Ricotta Da Vita, Ricotta Be Kiddin', and the Luca Brasi (no anchovies) — but when The Daily Meal checked in with the pizzeria, the Regina was the pie noted as the signature: mozzarella, tomatoes, pecorino romano, olive oil and fresh basil. And panelists agreed that Paulie's Regina well deserved a top spot among America's 20 best pizzas.

14. Apizza Scholls, Portland, Ore. (Apizza Amore)

Apizza Scholls has some of the best pizza in Portland, and some have argued, north of San Francisco — and that's using an electric oven! But they do have some guidelines for patrons interested in composing their own topping combinations on their 18-inch pies: only three ingredients, and no more than two meats per pie. So choose wisely from a list of toppings that in addition to classics like anchovies, red onions, garlic, pepperoni, sausage and basil includes capicollo, house-cured Canadian bacon, cotto salami, arugula, jalapeño and pepperoncini. Heads-up: bacon is "not offered for build your own toppings." If you aren't up to building your own pie, there are 10 classics to choose from, including the signature Apizza Amore: margherita with capicollo (cured pork shoulder). The signature Amore features a spicy kick offset a bit by the somewhat sweet mozzarella and balanced sauce. That's amore!