Receitas tradicionais

Hillary Clinton é ovacionada de pé pelos outros comensais no Upland de Nova York

Hillary Clinton é ovacionada de pé pelos outros comensais no Upland de Nova York

Nada além de respeito, aparentemente, pelo ex-candidato presidencial

Tempo de sonhos

A ex-secretária de Estado e senadora por Nova York Hillary Rodham Clinton foi saudada com uma salva de palmas quando estava sentada à sua mesa em um restaurante de Nova York em 20 de fevereiro. A candidata presidencial de 2016 estava jantando com sua filha Chelsea em Upland, um sofisticado Restaurante de Manhattan perto de Madison Square Park.

Os aplausos dados à autora e ex-primeira-dama foram captados em um vídeo gravado por Katharine Keton que ela compartilhou com o Instagram. “Quando você está jantando em Nova York, w @katiekr e ela pergunta por que você está olhando para as duas mulheres que acabaram de entrar e é bc é Hillary e Chelsea Clinton e elas estão ao seu lado e você fica de queixo caído, mas então você aperta suas mãos e diz que os ama (e diga que o Texas também os ama bc #represent). Então, todos no restaurante os ovacionam de pé ”, Keton escreveu a legenda do vídeo.

Upland é quase universalmente elogiado por é deleitável massas, asas de pato crocantes yuzu kosho, pizza de linguiça e couve e cogumelo de galinha do bosque inteiro crocante, entre outros pratos conceituados. E Clinton não é o primeiro político proeminente a aparecer - o ex-presidente Barack Obama é conhecido por visitar suas filhas para um brunch e foi aplaudido de pé em 2017.

Claro, os políticos às vezes têm opiniões divergentes sobre o jantar. Você sabia que o ex-presidente Obama e Trump têm hábitos alimentares incrivelmente diferentes?


Hillary Clinton é ovacionada de pé pelos outros comensais no Upland de Nova York - Receitas

Depois de visitar as lojinhas pitorescas (a Newport Mansions Store em Bannister Wharf é uma parada obrigatória), fomos ao clube de campo. Tínhamos ingressos VIP, que nos davam direito a um coquetel, com aperitivos passados ​​e uma estação de massas, e a oportunidade de conhecer os autores e ter nossos livros autografados.

O evento com lotação esgotada foi preenchido principalmente por mulheres, todas leitoras, muitas das quais compareceram a este evento anualmente. Robin apresentou cada autor e deu-lhes alguns minutos para fazer uma breve visão geral e ler seus livros.

Robin Kall com a irmã e os autores

Romance de Jillian Cantor, A carta perdida, é um romance histórico ambientado em dois períodos de tempo. A primeira é a Áustria de 1938 durante a ocupação alemã, com um aprendiz de gravador de carimbos.
A carta perdida

O segundo período é 1989, quando Katie tem que mudar seu pai para uma unidade de cuidados de Alzheimer e tem sua coleção de selos avaliada. O avaliador encontra um selo incomum, e isso une os dois períodos de tempo. É uma história que mostra família, mulheres fortes e a resistência judaica.

Angelica Baker Nossa pequena raquete é um romance de estreia ambientado em 2008 em Greenwich Connecticut, sobre as consequências da falência de um grande banco e como a falência afeta cinco mulheres envolvidas com o CEO do banco, que enfrenta acusações de transgressão.

Nossa pequena raquete

Laura Dave, cujo último romance 800 uvas foi um best-seller, está de volta com Olá raio de luz, um conto moderno sobre o papel das mídias sociais em nossas vidas. Seu protagonista é uma personalidade de sucesso do YouTube que conseguiu entrar em um programa de TV da Food Network. Quando ela é hackeada, descobre-se que ela é uma fraude. O livro já foi escolhido para um filme, com o marido roteirista de Dave, Josh Singer (Holofote) escrever o roteiro.
Olá raio de luz

Kall perguntou às mulheres qual era a inspiração delas, e Baker disse isso quando sua escrita estava indo mal, e ela começou a ler sobre os colapsos do Bear Stearns e do Lehman Brothers, com os quais ela não estava familiarizada. Ela disse que pode ler ficção quando escreve.

Cantor não consegue ler ficção histórica quando escreve. Ela não sabia nada sobre selos quando começou, e seu agente sugeriu o assunto a ela. Durante uma visita ao Museu Nacional do Holocausto em Washington DC, ela ficou fascinada com a exposição da Resistência, e o fato de que muitos eram tão jovens era impressionante.

Sua personagem Elena foi inspirada por uma mulher da exposição. A Cantor criou um painel no Pinterest com itens sobre selos, a Resistência e a Kristallnacht que a ajudaram nas pesquisas. Ela falou das pessoas comuns que viveram em tempos extraordinários.

Dave ficou intrigado com o hack da Sony, que a fez se perguntar quem seria a vida quando posta sob um microscópio pareceria pura, e tirou sua história daí. Ela mergulhou na Food Network e em blogueiros de comida para conhecer a aparência de sua personagem.

Ela mencionou algo que o público achou interessante. Ela falou sobre um pesquisador de casamento que disse que ela poderia dizer o que faz um casamento funcionar. Se o casal usasse a palavra "nós" em vez de "eu", eles conseguiriam. Dava para ouvir as rodas girando enquanto o público considerava a palavra que eles usavam. Dave fez o público rir quando ela disse que agora diz "nós" está aborrecida com você "ao falar com o marido.

Os escritores falaram sobre espionar as conversas dos outros (em restaurantes, no metrô), os editores pedindo-lhes para serem ativos nas redes sociais, Skype com clubes do livro (eles gostam) e situações que eles não vão usar (a maioria tem que fazer com família imediata).

Dave falou sobre derramar água em seu computador e perder 200 páginas de um romance. Ela ficou triste por um dia, mas então se recompôs e começou de novo. Isso levou a uma discussão sobre a importância de enviar o manuscrito por e-mail para você mesmo à medida que avança.

Kall terminou fazendo minha pergunta favorita - o que você está lendo? - aos autores. Cantor elogiou o Georgia Hunter's Nós éramos os sortudos, os sete maridos de Evelyn Hugo, Sarah Dunn's O arranjo e um livro de não ficção mais antigo, Erik Lawson's No Jardim das Feras.

Baker está lendo Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, e de Britt Bennett As mães.

Dave tinha cinco livros em sua lista: James Hansen's Primeiro homem, (que também é um filme escrito por seu marido, estrelado por Ryan Gosling como o astronauta Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Santos para todas as ocasiões, De Matt Klam Quem é rico?, e dois livros mais antigos, Michael Chabon's Meninos maravilha e memórias de Isabel Gilles Acontece todos os dias.

A Robin comeu biscoitos deliciosos para todos nós na saída, e foi o final perfeito para uma noite informativa e interessante. Você pode descobrir mais sobre os eventos do Reading With Robin aqui.


Hillary Clinton é ovacionada de pé pelos outros comensais no Upland de Nova York - Receitas

Depois de visitar as lojinhas pitorescas (a Newport Mansions Store em Bannister Wharf é uma parada obrigatória), fomos ao clube de campo. Tínhamos ingressos VIP, que nos davam direito a um coquetel, com aperitivos passados ​​e uma estação de massas, e a oportunidade de conhecer os autores e ter nossos livros autografados.

O evento com lotação esgotada foi preenchido principalmente por mulheres, todas leitoras, muitas das quais compareceram a este evento anualmente. Robin apresentou cada autor e deu-lhes alguns minutos para fazer uma breve visão geral e ler seus livros.

Robin Kall com a irmã e os autores

Romance de Jillian Cantor, A carta perdida, é um romance histórico ambientado em dois períodos de tempo. A primeira é a Áustria de 1938 durante a ocupação alemã, com um aprendiz de gravador de carimbos.
A carta perdida

O segundo período é 1989, quando Katie tem que mudar seu pai para uma unidade de cuidados de Alzheimer e tem sua coleção de selos avaliada. O avaliador encontra um selo incomum, e isso une os dois períodos de tempo. É uma história que mostra família, mulheres fortes e a resistência judaica.

Angelica Baker Nossa pequena raquete é um romance de estreia ambientado em 2008 em Greenwich Connecticut, sobre as consequências da falência de um grande banco e como a falência afeta cinco mulheres envolvidas com o CEO do banco, que enfrenta acusações de transgressão.

Nossa pequena raquete

Laura Dave, cujo último romance 800 uvas foi um best-seller, está de volta com Olá raio de luz, um conto moderno sobre o papel das mídias sociais em nossas vidas. Seu protagonista é uma personalidade de sucesso do YouTube que conseguiu entrar em um programa de TV da Food Network. Quando ela é hackeada, descobre-se que ela é uma fraude. O livro já foi opcional para um filme, com o marido roteirista de Dave, Josh Singer (Holofote) escrever o roteiro.
Olá raio de luz

Kall perguntou às mulheres qual era a inspiração delas, e Baker disse isso quando sua escrita estava indo mal, e ela começou a ler sobre os colapsos do Bear Stearns e do Lehman Brothers, com os quais ela não estava familiarizada. Ela disse que pode ler ficção quando escreve.

Cantor não consegue ler ficção histórica quando escreve. Ela não sabia nada sobre selos quando começou, e seu agente sugeriu o assunto a ela. Durante uma visita ao Museu Nacional do Holocausto em Washington DC, ela ficou fascinada com a exposição da Resistência, e o fato de que muitos eram tão jovens era impressionante.

Sua personagem Elena foi inspirada por uma mulher da exposição. A Cantor criou um painel no Pinterest com itens sobre selos, a Resistência e a Kristallnacht que a ajudaram nas pesquisas. Ela falou das pessoas comuns que viveram em tempos extraordinários.

Dave ficou intrigado com o hack da Sony, que a fez se perguntar quem seria a vida quando colocada sob um microscópio puro, e tirou sua história daí. Ela mergulhou na Food Network e em blogueiros de comida para conhecer a aparência de sua personagem.

Ela mencionou algo que o público achou interessante. Ela falou sobre um pesquisador de casamento que disse que ela poderia dizer o que faz um casamento funcionar. Se o casal usasse a palavra "nós" em vez de "eu", eles conseguiriam. Dava para ouvir as rodas girando enquanto o público considerava a palavra que eles usavam. Dave fez o público rir quando ela disse que agora diz "nós" está aborrecida com você "ao falar com o marido.

Os escritores falaram sobre espionar as conversas dos outros (em restaurantes, no metrô), os editores pedindo-lhes para serem ativos nas redes sociais, Skype com clubes do livro (eles gostam) e situações que eles não vão usar (a maioria tem que fazer com família imediata).

Dave falou sobre derramar água em seu computador e perder 200 páginas de um romance. Ela ficou triste por um dia, mas então se recompôs e recomeçou. Isso levou a uma discussão sobre a importância de enviar o manuscrito por e-mail para você mesmo à medida que o avança.

Kall terminou fazendo minha pergunta favorita - o que você está lendo? - aos autores. Cantor elogiou o Georgia Hunter's Nós éramos os sortudos, os sete maridos de Evelyn Hugo, Sarah Dunn's O arranjo e um livro de não ficção mais antigo, Erik Lawson's No Jardim das Feras.

Baker está lendo Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, e de Britt Bennett As mães.

Dave tinha cinco livros em sua lista: James Hansen Primeiro homem, (que também é um filme escrito por seu marido, estrelado por Ryan Gosling como o astronauta Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Santos para todas as ocasiões, De Matt Klam Quem é rico?, e dois livros mais antigos, Michael Chabon's Meninos maravilha e memórias de Isabel Gilles Acontece todos os dias.

A Robin comeu biscoitos deliciosos para todos nós na saída, e foi o final perfeito para uma noite informativa e interessante. Você pode descobrir mais sobre os eventos do Reading With Robin aqui.


Hillary Clinton é ovacionada de pé pelos outros comensais no Upland de Nova York - Receitas

Depois de visitar as lojinhas pitorescas (a Newport Mansions Store em Bannister Wharf é uma parada obrigatória), fomos ao clube de campo. Tínhamos ingressos VIP, que nos davam direito a um coquetel, com aperitivos passados ​​e uma estação de massas, e a oportunidade de conhecer os autores e ter nossos livros autografados.

O evento com lotação esgotada foi preenchido principalmente por mulheres, todas leitoras, muitas das quais compareceram a este evento anualmente. Robin apresentou cada autor e deu-lhes alguns minutos para fazer uma breve visão geral e ler seus livros.

Robin Kall com a irmã e os autores

Romance de Jillian Cantor, A carta perdida, é um romance histórico ambientado em dois períodos de tempo. A primeira é a Áustria de 1938 durante a ocupação alemã, com um aprendiz de gravador de carimbos.
A carta perdida

O segundo período é 1989, quando Katie tem que mudar seu pai para uma unidade de cuidados de Alzheimer e tem sua coleção de selos avaliada. O avaliador encontra um selo incomum, e isso une os dois períodos de tempo. É uma história que mostra família, mulheres fortes e a resistência judaica.

Angelica Baker Nossa pequena raquete é um romance de estreia ambientado em 2008 em Greenwich Connecticut, sobre as consequências da falência de um grande banco e como a falência afeta cinco mulheres envolvidas com o CEO do banco, que enfrenta acusações de transgressão.

Nossa pequena raquete

Laura Dave, cujo último romance 800 uvas foi um best-seller, está de volta com Olá raio de luz, um conto moderno sobre o papel das mídias sociais em nossas vidas. Seu protagonista é uma personalidade de sucesso do YouTube que conseguiu entrar em um programa de TV da Food Network. Quando ela é hackeada, descobre-se que ela é uma fraude. O livro já foi escolhido para um filme, com o marido roteirista de Dave, Josh Singer (Holofote) escrever o roteiro.
Olá raio de luz

Kall perguntou às mulheres qual era a inspiração delas, e Baker disse isso quando sua escrita estava indo mal, e ela começou a ler sobre os colapsos do Bear Stearns e do Lehman Brothers, com os quais ela não estava familiarizada. Ela disse que pode ler ficção quando escreve.

Cantor não consegue ler ficção histórica quando escreve. Ela não sabia nada sobre selos quando começou, e seu agente sugeriu o assunto a ela. Durante uma visita ao Museu Nacional do Holocausto em Washington DC, ela ficou fascinada com a exposição da Resistência, e o fato de que muitos eram tão jovens era impressionante.

Sua personagem Elena foi inspirada por uma mulher da exposição. A Cantor criou um painel no Pinterest com itens sobre selos, a Resistência e a Kristallnacht que a ajudaram nas pesquisas. Ela falou das pessoas comuns que viveram em tempos extraordinários.

Dave ficou intrigado com o hack da Sony, que a fez se perguntar quem seria a vida quando posta sob um microscópio pareceria pura, e tirou sua história daí. Ela mergulhou na Food Network e em blogueiros de comida para conhecer a aparência de sua personagem.

Ela mencionou algo que o público achou interessante. Ela falou sobre um pesquisador de casamento que disse que ela poderia dizer o que faz um casamento funcionar. Se o casal usasse a palavra "nós" em vez de "eu", eles conseguiriam. Dava para ouvir as rodas girando enquanto o público considerava a palavra que eles usavam. Dave fez o público rir quando ela disse que agora diz "nós" está aborrecida com você "ao falar com o marido.

Os escritores falaram sobre espionar as conversas dos outros (em restaurantes, no metrô), os editores pedindo-lhes para serem ativos nas redes sociais, Skype com clubes do livro (eles gostam) e situações que eles não vão usar (a maioria tem que fazer com família imediata).

Dave falou sobre derramar água em seu computador e perder 200 páginas de um romance. Ela ficou triste por um dia, mas então se recompôs e começou de novo. Isso levou a uma discussão sobre a importância de enviar o manuscrito por e-mail para você mesmo à medida que avança.

Kall terminou fazendo minha pergunta favorita - o que você está lendo? - aos autores. Cantor elogiou o Georgia Hunter's Nós éramos os sortudos, os sete maridos de Evelyn Hugo, Sarah Dunn's O arranjo e um livro de não ficção mais antigo, Erik Lawson's No Jardim das Feras.

Baker está lendo Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, e de Britt Bennett As mães.

Dave tinha cinco livros em sua lista: James Hansen's Primeiro homem, (que também é um filme escrito por seu marido, estrelado por Ryan Gosling como o astronauta Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Santos para todas as ocasiões, De Matt Klam Quem é rico?, e dois livros mais antigos, Michael Chabon's Meninos maravilha e memórias de Isabel Gilles Acontece todos os dias.

A Robin comeu biscoitos deliciosos para todos nós na saída, e foi o final perfeito para uma noite informativa e interessante. Você pode descobrir mais sobre os eventos do Reading With Robin aqui.


Hillary Clinton é ovacionada de pé pelos outros comensais no Upland de Nova York - Receitas

Depois de visitar as pequenas lojas pitorescas (a Newport Mansions Store em Bannister Wharf é uma parada obrigatória), fomos para o clube de campo. Tínhamos ingressos VIP, que nos davam direito a um coquetel, com aperitivos passados ​​e uma estação de massas, e a oportunidade de conhecer os autores e ter nossos livros autografados.

O evento com lotação esgotada foi preenchido principalmente por mulheres, todas leitoras, muitas das quais compareceram a este evento anualmente. Robin apresentou cada autor e deu-lhes alguns minutos para fazer uma breve visão geral e ler seus livros.

Robin Kall com a irmã e os autores

Romance de Jillian Cantor, A carta perdida, é um romance histórico ambientado em dois períodos de tempo. A primeira é a Áustria de 1938 durante a ocupação alemã, com um aprendiz de gravador de carimbos.
A carta perdida

O segundo período é 1989, quando Katie tem que mudar seu pai para uma unidade de cuidados de Alzheimer e tem sua coleção de selos avaliada. O avaliador encontra um selo incomum, e isso une os dois períodos de tempo. É uma história que mostra família, mulheres fortes e a resistência judaica.

Angelica Baker Nossa pequena raquete é um romance de estreia ambientado em 2008 em Greenwich Connecticut, sobre as consequências da falência de um grande banco e como a falência afeta cinco mulheres envolvidas com o CEO do banco, que enfrenta acusações de transgressão.

Nossa pequena raquete

Laura Dave, cujo último romance 800 uvas foi um best-seller, está de volta com Olá raio de luz, um conto moderno sobre o papel das mídias sociais em nossas vidas. Seu protagonista é uma personalidade de sucesso do YouTube que conseguiu entrar em um programa de TV da Food Network. Quando ela é hackeada, descobre-se que ela é uma fraude. O livro já foi opcional para um filme, com o marido roteirista de Dave, Josh Singer (Holofote) escrever o roteiro.
Olá raio de luz

Kall perguntou às mulheres qual era a inspiração delas, e Baker disse isso quando sua escrita estava indo mal, e ela começou a ler sobre os colapsos do Bear Stearns e do Lehman Brothers, com os quais ela não estava familiarizada. Ela disse que pode ler ficção quando escreve.

Cantor não consegue ler ficção histórica quando escreve. Ela não sabia nada sobre selos quando começou, e seu agente sugeriu o assunto a ela. Durante uma visita ao Museu Nacional do Holocausto em Washington DC, ela ficou fascinada com a exposição da Resistência, e o fato de que muitos eram tão jovens era impressionante.

Sua personagem Elena foi inspirada por uma mulher da exposição. A Cantor criou um painel no Pinterest com itens sobre selos, a Resistência e a Kristallnacht que a ajudaram nas pesquisas. Ela falou das pessoas comuns que viveram em tempos extraordinários.

Dave ficou intrigado com o hack da Sony, que a fez se perguntar quem seria a vida quando posta sob um microscópio pareceria pura, e tirou sua história daí. Ela mergulhou na Food Network e em blogueiros de comida para conhecer a aparência de sua personagem.

Ela mencionou algo que o público achou interessante. Ela falou sobre um pesquisador de casamento que disse que ela poderia dizer o que faz um casamento funcionar. Se o casal usasse a palavra "nós" em vez de "eu", eles conseguiriam. Dava para ouvir as rodas girando enquanto o público considerava a palavra que eles usavam. Dave fez o público rir quando ela disse que agora diz "nós" está aborrecida com você "ao falar com o marido.

Os escritores falaram sobre espionar as conversas dos outros (em restaurantes, no metrô), os editores pedindo-lhes para serem ativos nas redes sociais, Skype com clubes do livro (eles gostam) e situações que eles não vão usar (a maioria tem que fazer com família imediata).

Dave falou sobre derramar água em seu computador e perder 200 páginas de um romance. Ela ficou triste por um dia, mas então se recompôs e recomeçou. Isso levou a uma discussão sobre a importância de enviar o manuscrito por e-mail para você mesmo à medida que avança.

Kall terminou fazendo minha pergunta favorita - o que você está lendo? - aos autores. Cantor elogiou o Georgia Hunter's Nós éramos os sortudos, os sete maridos de Evelyn Hugo, Sarah Dunn's O arranjo e um livro de não ficção mais antigo, Erik Lawson's No Jardim das Feras.

Baker está lendo Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, e de Britt Bennett As mães.

Dave tinha cinco livros em sua lista: James Hansen's Primeiro homem, (que também é um filme escrito por seu marido, estrelado por Ryan Gosling como o astronauta Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Santos para todas as ocasiões, De Matt Klam Quem é rico?, e dois livros mais antigos, Michael Chabon's Meninos maravilha e memórias de Isabel Gilles Acontece todos os dias.

A Robin comeu biscoitos deliciosos para todos nós na saída, e foi o final perfeito para uma noite informativa e interessante. Você pode descobrir mais sobre os eventos do Reading With Robin aqui.


Hillary Clinton é ovacionada de pé pelos outros comensais no Upland de Nova York - Receitas

Depois de visitar as pequenas lojas pitorescas (a Newport Mansions Store em Bannister Wharf é uma parada obrigatória), fomos para o clube de campo. Tínhamos ingressos VIP, que nos davam direito a um coquetel, com aperitivos passados ​​e uma estação de massas, e a oportunidade de conhecer os autores e ter nossos livros autografados.

O evento com lotação esgotada foi preenchido principalmente por mulheres, todas leitoras, muitas das quais compareceram a este evento anualmente. Robin apresentou cada autor e deu-lhes alguns minutos para fazer uma breve visão geral e ler seus livros.

Robin Kall com a irmã e os autores

Romance de Jillian Cantor, A carta perdida, é um romance histórico ambientado em dois períodos de tempo. A primeira é a Áustria de 1938 durante a ocupação alemã, com um aprendiz de gravador de carimbos.
A carta perdida

O segundo período é 1989, quando Katie tem que mudar seu pai para uma unidade de cuidados de Alzheimer e tem sua coleção de selos avaliada. O avaliador encontra um selo incomum, e isso une os dois períodos de tempo. É uma história que mostra família, mulheres fortes e a resistência judaica.

Angelica Baker Nossa pequena raquete é um romance de estreia ambientado em 2008 em Greenwich Connecticut, sobre as consequências da falência de um grande banco e como a falência afeta cinco mulheres envolvidas com o CEO do banco, que enfrenta acusações de transgressão.

Nossa pequena raquete

Laura Dave, cujo último romance 800 uvas foi um best-seller, está de volta com Olá raio de luz, um conto moderno sobre o papel das mídias sociais em nossas vidas. Seu protagonista é uma personalidade de sucesso do YouTube que conseguiu entrar em um programa de TV da Food Network. Quando ela é hackeada, descobre-se que ela é uma fraude. O livro já foi opcional para um filme, com o marido roteirista de Dave, Josh Singer (Holofote) escrever o roteiro.
Olá raio de luz

Kall perguntou às mulheres qual era sua inspiração, e Baker disse isso quando sua escrita estava indo mal, ela começou a ler sobre os colapsos do Bear Stearns e do Lehman Brothers, com os quais ela não estava familiarizada. Ela disse que pode ler ficção quando escreve.

Cantor não consegue ler ficção histórica quando escreve. Ela não sabia nada sobre selos quando começou, e seu agente sugeriu o assunto a ela. Durante uma visita ao Museu Nacional do Holocausto em Washington DC, ela ficou fascinada com a exposição da Resistência, e o fato de que muitos eram tão jovens era impressionante.

Sua personagem Elena foi inspirada por uma mulher da exposição. A Cantor criou um painel no Pinterest com itens sobre selos, a Resistência e a Kristallnacht que a ajudaram nas pesquisas. Ela falou das pessoas comuns que viveram em tempos extraordinários.

Dave ficou intrigado com o hack da Sony, que a fez se perguntar quem seria a vida quando posta sob um microscópio pareceria pura, e tirou sua história daí. Ela mergulhou na Food Network e em blogueiros de comida para conhecer a aparência de sua personagem.

Ela mencionou algo que o público achou interessante. Ela falou sobre um pesquisador de casamento que disse que ela poderia dizer o que faz um casamento funcionar. Se o casal usasse a palavra "nós" em vez de "eu", eles conseguiriam. Dava para ouvir as rodas girando enquanto o público considerava a palavra que eles usavam. Dave fez o público rir quando ela disse que agora diz "nós" está aborrecida com você "ao falar com o marido.

Os escritores falaram sobre espionar as conversas dos outros (em restaurantes, no metrô), os editores pedindo-lhes para serem ativos nas redes sociais, Skype com clubes do livro (eles gostam) e situações que eles não vão usar (a maioria tem que fazer com família imediata).

Dave falou sobre derramar água em seu computador e perder 200 páginas de um romance. Ela ficou triste por um dia, mas então se recompôs e recomeçou. Isso levou a uma discussão sobre a importância de enviar o manuscrito por e-mail para você mesmo à medida que o avança.

Kall terminou fazendo minha pergunta favorita - o que você está lendo? - aos autores. Cantor elogiou o Georgia Hunter's Nós éramos os sortudos, os sete maridos de Evelyn Hugo, Sarah Dunn's O arranjo e um livro de não ficção mais antigo, Erik Lawson's No Jardim das Feras.

Baker está lendo Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, e de Britt Bennett As mães.

Dave tinha cinco livros em sua lista: James Hansen's Primeiro homem, (que também é um filme escrito por seu marido, estrelado por Ryan Gosling como o astronauta Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Santos para todas as ocasiões, De Matt Klam Quem é rico?, e dois livros mais antigos, Michael Chabon's Meninos maravilha e memórias de Isabel Gilles Acontece todos os dias.

A Robin comeu biscoitos deliciosos para todos nós na saída, e foi o final perfeito para uma noite informativa e interessante. Você pode descobrir mais sobre os eventos do Reading With Robin aqui.


Hillary Clinton é ovacionada de pé pelos outros comensais no Upland de Nova York - Receitas

Depois de visitar as lojinhas pitorescas (a Newport Mansions Store em Bannister Wharf é uma parada obrigatória), fomos ao clube de campo. Tínhamos ingressos VIP, que nos davam direito a um coquetel, com aperitivos passados ​​e uma estação de massas, e a oportunidade de conhecer os autores e ter nossos livros autografados.

O evento com lotação esgotada foi preenchido principalmente por mulheres, todas leitoras, muitas das quais compareceram a este evento anualmente. Robin apresentou cada autor e deu-lhes alguns minutos para fazer uma breve visão geral e ler seus livros.

Robin Kall com a irmã e os autores

Romance de Jillian Cantor, A carta perdida, é um romance histórico ambientado em dois períodos de tempo. A primeira é a Áustria de 1938 durante a ocupação alemã, com um aprendiz de gravador de carimbos.
A carta perdida

O segundo período é 1989, quando Katie tem que mudar seu pai para uma unidade de cuidados de Alzheimer e tem sua coleção de selos avaliada. O avaliador encontra um selo incomum, e isso une os dois períodos de tempo. É uma história que mostra família, mulheres fortes e a resistência judaica.

Angelica Baker Nossa pequena raquete é um romance de estreia ambientado em 2008 em Greenwich Connecticut, sobre as consequências da falência de um grande banco e como a falência afeta cinco mulheres envolvidas com o CEO do banco, que enfrenta acusações de transgressão.

Nossa pequena raquete

Laura Dave, cujo último romance 800 uvas foi um best-seller, está de volta com Olá raio de luz, um conto moderno sobre o papel das mídias sociais em nossas vidas. Seu protagonista é uma personalidade de sucesso do YouTube que conseguiu entrar em um programa de TV da Food Network. Quando ela é hackeada, descobre-se que ela é uma fraude. O livro já foi escolhido para um filme, com o marido roteirista de Dave, Josh Singer (Holofote) escrever o roteiro.
Olá raio de luz

Kall perguntou às mulheres qual era sua inspiração, e Baker disse isso quando sua escrita estava indo mal, ela começou a ler sobre os colapsos do Bear Stearns e do Lehman Brothers, com os quais ela não estava familiarizada. Ela disse que pode ler ficção quando escreve.

Cantor não consegue ler ficção histórica quando escreve. Ela não sabia nada sobre selos quando começou, e seu agente sugeriu o assunto a ela. Durante uma visita ao Museu Nacional do Holocausto em Washington DC, ela ficou fascinada com a exposição da Resistência, e o fato de que muitos eram tão jovens era impressionante.

Sua personagem Elena foi inspirada por uma mulher da exposição. A Cantor criou um painel no Pinterest com itens sobre selos, a Resistência e a Kristallnacht que a ajudaram nas pesquisas. Ela falou das pessoas comuns que viveram em tempos extraordinários.

Dave ficou intrigado com o hack da Sony, que a fez se perguntar quem seria a vida quando posta sob um microscópio pareceria pura, e tirou sua história daí. Ela mergulhou na Food Network e em blogueiros de comida para conhecer a aparência de sua personagem.

Ela mencionou algo que o público achou interessante. Ela falou sobre um pesquisador de casamento que disse que ela poderia dizer o que faz um casamento funcionar. Se o casal usasse a palavra "nós" em vez de "eu", eles conseguiriam. Dava para ouvir as rodas girando enquanto o público considerava a palavra que eles usavam. Dave fez o público rir quando ela disse que agora diz "nós" está aborrecida com você "ao falar com o marido.

Os escritores falaram sobre espionar as conversas dos outros (em restaurantes, no metrô), os editores pedindo-lhes para serem ativos nas redes sociais, Skype com clubes do livro (eles gostam) e situações que eles não vão usar (a maioria tem que fazer com família imediata).

Dave falou sobre derramar água em seu computador e perder 200 páginas de um romance. Ela ficou triste por um dia, mas então se recompôs e recomeçou. Isso levou a uma discussão sobre a importância de enviar o manuscrito por e-mail para você mesmo à medida que o avança.

Kall terminou fazendo minha pergunta favorita - o que você está lendo? - aos autores. Cantor elogiou Georgia Hunter's Nós éramos os sortudos, os sete maridos de Evelyn Hugo, Sarah Dunn's O arranjo e um livro de não ficção mais antigo, Erik Lawson's No Jardim das Feras.

Baker está lendo Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, e de Britt Bennett As mães.

Dave tinha cinco livros em sua lista: James Hansen's Primeiro homem, (que também é um filme escrito por seu marido, estrelado por Ryan Gosling como o astronauta Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Santos para todas as ocasiões, De Matt Klam Quem é rico?, e dois livros mais antigos, Michael Chabon's Meninos maravilha e memórias de Isabel Gilles Acontece todos os dias.

A Robin comeu biscoitos deliciosos para todos nós na saída, e foi o final perfeito para uma noite informativa e interessante. Você pode descobrir mais sobre os eventos do Reading With Robin aqui.


Hillary Clinton é ovacionada de pé pelos outros comensais no Upland de Nova York - receitas

Depois de visitar as pequenas lojas pitorescas (a Newport Mansions Store em Bannister Wharf é uma parada obrigatória), fomos para o clube de campo. We had VIP tickets, which entitled us to a cocktail hour, with passed appetizers and a pasta station, and an opportunity to meet the authors and have our books signed.

The sold-out event was filled with mostly women, all readers, many of whom have attended this event annually. Robin introduced each author and gave them a few minutes to give a short overview and read from their books.

Robin Kall with her sister and the authors

Jillian Cantor's novel, The Lost Letter, is an historical novel set in two time periods. The first is 1938 Austria during the German occupation, featuring a stamp engraver apprentice.
The Lost Letter

The second time period is 1989, when Katie has to move her father to an Alzheimer's care unit and has his stamp collection appraised. The appraiser finds an unusual stamp, and that ties the two time periods together. It's a story that features family, strong women, and the Jewish resistance.

Angelica Baker's Our Little Racket is a debut novel set in 2008 in Greenwich Connecticut, about the aftermath of the failure of large bank, and how the failure affects five women involved with the bank's CEO, who faces accusations of wrongdoing.

Our Little Racket

Laura Dave, whose last novel 800 Grapes was a bestseller, is back with Hello, Sunshine, a modern tale about the role of social media in our lives. Her protagonist is a successful YouTube personality who has managed to work her way into a Food Network TV show. When she is hacked, it comes out that she is a fraud. The book has already been optioned for a movie, with Dave's screenwriter husband, Josh Singer (Spotlight) writing the screenplay.
Hello Sunshine

Kall asked the women what their inspiration was, and Baker said that when her writing was going poorly, and she started to read about the Bear Stearns and Lehman Brothers collapses, which she was unfamiliar with. She said she can read fiction when she writes.

Cantor can't read historical fiction when she writes. She didn't know anything about stamps when she started, and her agent suggested the topic to her. During a visit to the National Holocaust Museum in Washington DC, she was fascinated by the Resistance exhibit, and the fact that many were so young was impressive.

Her character Elena was inspired by a woman in the exhibit. Cantor created a Pinterest board with items about stamps, the Resistance, and Kristallnacht that helped her with research. She spoke of the ordinary people who lived in extraordinary times.

Dave was intrigued by the Sony hack, it made her wonder whose life when put under a microscope would look pure, and took her story from there. She immersed herself in the Food Network and food bloggers to get the look and feel for her character.

She mentioned something that the audience found interesting. She spoke about a marriage researcher who said she could tell what makes a marriage work. If the couple used the word "we" rather than "I', they would make it. You could hear the wheels turning as the audience all considered what word they used. Dave made the audience laugh when she said she now says "We're annoyed at you" when talking to her husband.

The writers talked about eavesdropping on others' conversations (at restaurants, on subways), the publishers asking them to be active on social media, Skyping with book clubs (they like it), and situations they won't use (most having to do with immediate family).

Dave spoke about spilling water on her computer and losing 200 pages of a novel. She was sad for a day, but then bucked up and started again. That led to a discussion about the importance of emailing the manuscript to yourself as you go along.

Kall finished up by asking my favorite question- what are you reading?- to the authors. Cantor raved about Georgia Hunter's We Were The Lucky Ones, The Seven Husbands of Evelyn Hugo, Sarah Dunn's The Arrangement and an older nonfiction book, Erik Lawson's In The Garden of the Beasts.

Baker is reading Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, and Britt Bennett's The Mothers.

Dave had five books on her list: James Hansen's First Man, (which is also a movie written by her husband starring Ryan Gosling as astronaut Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Saints For All Occasions, Matt Klam's Who Is Rich?, and two older books, Michael Chabon's Wonder Boys and Isabel Gilles' memoir It Happens Every Day.

Robin had delicious cookies for all of us on our way out, and it was the perfect ending to an informative and interesting evening. You can find out more Reading With Robin's events here.


Hillary Clinton Gets a Standing Ovation From Fellow Diners at NYC’s Upland - Recipes

After visiting the quaint little shops (the Newport Mansions Store on Bannister Wharf is a must-stop), we headed over to the country club. We had VIP tickets, which entitled us to a cocktail hour, with passed appetizers and a pasta station, and an opportunity to meet the authors and have our books signed.

The sold-out event was filled with mostly women, all readers, many of whom have attended this event annually. Robin introduced each author and gave them a few minutes to give a short overview and read from their books.

Robin Kall with her sister and the authors

Jillian Cantor's novel, The Lost Letter, is an historical novel set in two time periods. The first is 1938 Austria during the German occupation, featuring a stamp engraver apprentice.
The Lost Letter

The second time period is 1989, when Katie has to move her father to an Alzheimer's care unit and has his stamp collection appraised. The appraiser finds an unusual stamp, and that ties the two time periods together. It's a story that features family, strong women, and the Jewish resistance.

Angelica Baker's Our Little Racket is a debut novel set in 2008 in Greenwich Connecticut, about the aftermath of the failure of large bank, and how the failure affects five women involved with the bank's CEO, who faces accusations of wrongdoing.

Our Little Racket

Laura Dave, whose last novel 800 Grapes was a bestseller, is back with Hello, Sunshine, a modern tale about the role of social media in our lives. Her protagonist is a successful YouTube personality who has managed to work her way into a Food Network TV show. When she is hacked, it comes out that she is a fraud. The book has already been optioned for a movie, with Dave's screenwriter husband, Josh Singer (Spotlight) writing the screenplay.
Hello Sunshine

Kall asked the women what their inspiration was, and Baker said that when her writing was going poorly, and she started to read about the Bear Stearns and Lehman Brothers collapses, which she was unfamiliar with. She said she can read fiction when she writes.

Cantor can't read historical fiction when she writes. She didn't know anything about stamps when she started, and her agent suggested the topic to her. During a visit to the National Holocaust Museum in Washington DC, she was fascinated by the Resistance exhibit, and the fact that many were so young was impressive.

Her character Elena was inspired by a woman in the exhibit. Cantor created a Pinterest board with items about stamps, the Resistance, and Kristallnacht that helped her with research. She spoke of the ordinary people who lived in extraordinary times.

Dave was intrigued by the Sony hack, it made her wonder whose life when put under a microscope would look pure, and took her story from there. She immersed herself in the Food Network and food bloggers to get the look and feel for her character.

She mentioned something that the audience found interesting. She spoke about a marriage researcher who said she could tell what makes a marriage work. If the couple used the word "we" rather than "I', they would make it. You could hear the wheels turning as the audience all considered what word they used. Dave made the audience laugh when she said she now says "We're annoyed at you" when talking to her husband.

The writers talked about eavesdropping on others' conversations (at restaurants, on subways), the publishers asking them to be active on social media, Skyping with book clubs (they like it), and situations they won't use (most having to do with immediate family).

Dave spoke about spilling water on her computer and losing 200 pages of a novel. She was sad for a day, but then bucked up and started again. That led to a discussion about the importance of emailing the manuscript to yourself as you go along.

Kall finished up by asking my favorite question- what are you reading?- to the authors. Cantor raved about Georgia Hunter's We Were The Lucky Ones, The Seven Husbands of Evelyn Hugo, Sarah Dunn's The Arrangement and an older nonfiction book, Erik Lawson's In The Garden of the Beasts.

Baker is reading Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, and Britt Bennett's The Mothers.

Dave had five books on her list: James Hansen's First Man, (which is also a movie written by her husband starring Ryan Gosling as astronaut Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Saints For All Occasions, Matt Klam's Who Is Rich?, and two older books, Michael Chabon's Wonder Boys and Isabel Gilles' memoir It Happens Every Day.

Robin had delicious cookies for all of us on our way out, and it was the perfect ending to an informative and interesting evening. You can find out more Reading With Robin's events here.


Hillary Clinton Gets a Standing Ovation From Fellow Diners at NYC’s Upland - Recipes

After visiting the quaint little shops (the Newport Mansions Store on Bannister Wharf is a must-stop), we headed over to the country club. We had VIP tickets, which entitled us to a cocktail hour, with passed appetizers and a pasta station, and an opportunity to meet the authors and have our books signed.

The sold-out event was filled with mostly women, all readers, many of whom have attended this event annually. Robin introduced each author and gave them a few minutes to give a short overview and read from their books.

Robin Kall with her sister and the authors

Jillian Cantor's novel, The Lost Letter, is an historical novel set in two time periods. The first is 1938 Austria during the German occupation, featuring a stamp engraver apprentice.
The Lost Letter

The second time period is 1989, when Katie has to move her father to an Alzheimer's care unit and has his stamp collection appraised. The appraiser finds an unusual stamp, and that ties the two time periods together. It's a story that features family, strong women, and the Jewish resistance.

Angelica Baker's Our Little Racket is a debut novel set in 2008 in Greenwich Connecticut, about the aftermath of the failure of large bank, and how the failure affects five women involved with the bank's CEO, who faces accusations of wrongdoing.

Our Little Racket

Laura Dave, whose last novel 800 Grapes was a bestseller, is back with Hello, Sunshine, a modern tale about the role of social media in our lives. Her protagonist is a successful YouTube personality who has managed to work her way into a Food Network TV show. When she is hacked, it comes out that she is a fraud. The book has already been optioned for a movie, with Dave's screenwriter husband, Josh Singer (Spotlight) writing the screenplay.
Hello Sunshine

Kall asked the women what their inspiration was, and Baker said that when her writing was going poorly, and she started to read about the Bear Stearns and Lehman Brothers collapses, which she was unfamiliar with. She said she can read fiction when she writes.

Cantor can't read historical fiction when she writes. She didn't know anything about stamps when she started, and her agent suggested the topic to her. During a visit to the National Holocaust Museum in Washington DC, she was fascinated by the Resistance exhibit, and the fact that many were so young was impressive.

Her character Elena was inspired by a woman in the exhibit. Cantor created a Pinterest board with items about stamps, the Resistance, and Kristallnacht that helped her with research. She spoke of the ordinary people who lived in extraordinary times.

Dave was intrigued by the Sony hack, it made her wonder whose life when put under a microscope would look pure, and took her story from there. She immersed herself in the Food Network and food bloggers to get the look and feel for her character.

She mentioned something that the audience found interesting. She spoke about a marriage researcher who said she could tell what makes a marriage work. If the couple used the word "we" rather than "I', they would make it. You could hear the wheels turning as the audience all considered what word they used. Dave made the audience laugh when she said she now says "We're annoyed at you" when talking to her husband.

The writers talked about eavesdropping on others' conversations (at restaurants, on subways), the publishers asking them to be active on social media, Skyping with book clubs (they like it), and situations they won't use (most having to do with immediate family).

Dave spoke about spilling water on her computer and losing 200 pages of a novel. She was sad for a day, but then bucked up and started again. That led to a discussion about the importance of emailing the manuscript to yourself as you go along.

Kall finished up by asking my favorite question- what are you reading?- to the authors. Cantor raved about Georgia Hunter's We Were The Lucky Ones, The Seven Husbands of Evelyn Hugo, Sarah Dunn's The Arrangement and an older nonfiction book, Erik Lawson's In The Garden of the Beasts.

Baker is reading Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, and Britt Bennett's The Mothers.

Dave had five books on her list: James Hansen's First Man, (which is also a movie written by her husband starring Ryan Gosling as astronaut Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Saints For All Occasions, Matt Klam's Who Is Rich?, and two older books, Michael Chabon's Wonder Boys and Isabel Gilles' memoir It Happens Every Day.

Robin had delicious cookies for all of us on our way out, and it was the perfect ending to an informative and interesting evening. You can find out more Reading With Robin's events here.


Hillary Clinton Gets a Standing Ovation From Fellow Diners at NYC’s Upland - Recipes

After visiting the quaint little shops (the Newport Mansions Store on Bannister Wharf is a must-stop), we headed over to the country club. We had VIP tickets, which entitled us to a cocktail hour, with passed appetizers and a pasta station, and an opportunity to meet the authors and have our books signed.

The sold-out event was filled with mostly women, all readers, many of whom have attended this event annually. Robin introduced each author and gave them a few minutes to give a short overview and read from their books.

Robin Kall with her sister and the authors

Jillian Cantor's novel, The Lost Letter, is an historical novel set in two time periods. The first is 1938 Austria during the German occupation, featuring a stamp engraver apprentice.
The Lost Letter

The second time period is 1989, when Katie has to move her father to an Alzheimer's care unit and has his stamp collection appraised. The appraiser finds an unusual stamp, and that ties the two time periods together. It's a story that features family, strong women, and the Jewish resistance.

Angelica Baker's Our Little Racket is a debut novel set in 2008 in Greenwich Connecticut, about the aftermath of the failure of large bank, and how the failure affects five women involved with the bank's CEO, who faces accusations of wrongdoing.

Our Little Racket

Laura Dave, whose last novel 800 Grapes was a bestseller, is back with Hello, Sunshine, a modern tale about the role of social media in our lives. Her protagonist is a successful YouTube personality who has managed to work her way into a Food Network TV show. When she is hacked, it comes out that she is a fraud. The book has already been optioned for a movie, with Dave's screenwriter husband, Josh Singer (Spotlight) writing the screenplay.
Hello Sunshine

Kall asked the women what their inspiration was, and Baker said that when her writing was going poorly, and she started to read about the Bear Stearns and Lehman Brothers collapses, which she was unfamiliar with. She said she can read fiction when she writes.

Cantor can't read historical fiction when she writes. She didn't know anything about stamps when she started, and her agent suggested the topic to her. During a visit to the National Holocaust Museum in Washington DC, she was fascinated by the Resistance exhibit, and the fact that many were so young was impressive.

Her character Elena was inspired by a woman in the exhibit. Cantor created a Pinterest board with items about stamps, the Resistance, and Kristallnacht that helped her with research. She spoke of the ordinary people who lived in extraordinary times.

Dave was intrigued by the Sony hack, it made her wonder whose life when put under a microscope would look pure, and took her story from there. She immersed herself in the Food Network and food bloggers to get the look and feel for her character.

She mentioned something that the audience found interesting. She spoke about a marriage researcher who said she could tell what makes a marriage work. If the couple used the word "we" rather than "I', they would make it. You could hear the wheels turning as the audience all considered what word they used. Dave made the audience laugh when she said she now says "We're annoyed at you" when talking to her husband.

The writers talked about eavesdropping on others' conversations (at restaurants, on subways), the publishers asking them to be active on social media, Skyping with book clubs (they like it), and situations they won't use (most having to do with immediate family).

Dave spoke about spilling water on her computer and losing 200 pages of a novel. She was sad for a day, but then bucked up and started again. That led to a discussion about the importance of emailing the manuscript to yourself as you go along.

Kall finished up by asking my favorite question- what are you reading?- to the authors. Cantor raved about Georgia Hunter's We Were The Lucky Ones, The Seven Husbands of Evelyn Hugo, Sarah Dunn's The Arrangement and an older nonfiction book, Erik Lawson's In The Garden of the Beasts.

Baker is reading Julia Buntin's Marlena, Stephen Florida, The Epiphany Machine, and Britt Bennett's The Mothers.

Dave had five books on her list: James Hansen's First Man, (which is also a movie written by her husband starring Ryan Gosling as astronaut Neil Armstrong), J. Courtney Sullivan's Saints For All Occasions, Matt Klam's Who Is Rich?, and two older books, Michael Chabon's Wonder Boys and Isabel Gilles' memoir It Happens Every Day.

Robin had delicious cookies for all of us on our way out, and it was the perfect ending to an informative and interesting evening. You can find out more Reading With Robin's events here.