Receitas tradicionais

Confira a programação do Festival de Comida e Vinho do Havaí

Confira a programação do Festival de Comida e Vinho do Havaí

Você pode começar a planejar suas férias pós-verão agora

Se a recente tempestade de neve de Chicago fez você sonhar com um clima melhor, verifique a extensa programação do Hawaii Food & Wine Festival, de 6 a 9 de setembro. (Observação: faremos grandes lançamentos de nomes nos próximos dois grafs).

Iron Chef Masaharu Morimoto, bem como Charles Phan de San Francisco's the Slanted Door, Roy Choi de Los Angeles, Ming Tsai, Christina Tosi, além de chefs de Seul e Cingapura farão aparições no primeiro dia.

O segundo dia oferece uma gala de US $ 1.000 por pessoa com uma refeição de sete pratos de "chefs que cozinharam para presidentes e realeza", incluindo Nobu Matsuhisa, Michel Richard e François Payard.

Há também um evento completo da fazenda à mesa, trazendo notáveis ​​como Jonathan Waxman, Todd English, Susan Feniger, Nancy Silverton e outros.

Finalmente, o domingo será o anfitrião de "um tour culinário de comidas étnicas de todo o mundo", com chefs participantes, incluindo Andrew Sutton da Disney, Mourad Lahlou de Aziza de San Francisco e Celestino Drago, do Drago Restaurant Group.

Os ingressos para a maioria desses eventos (economize a cara gala) começam em US $ 200, então pode ser hora de começar a economizar.


Como o cenário gastronômico do Havaí se tornou o que é hoje

Então, o que há no menu? Talvez uma pilha de verduras Waipoli vestidas com vinagrete Liliko’i. Ou um suculento hambúrguer do Parker Ranch e cebolas Maui grelhadas e doces.

O que importa são dias de praia ensolarados e caminhadas por uma exuberante vegetação tropical, mas se você nos perguntar no Havaí (como outros destinos em nossas listas de visitas obrigatórias), o paraíso é encontrado entre as páginas de um menu.

Hoje, os restaurantes no Havaí que celebram os ingredientes regionais e da fazenda para a mesa da ilha (sorte para apreciadores de comida exigentes como nós) são bastante status quo. Mas nem sempre foi assim.

A história da cena gastronômica do Havaí

Na década de 1920, o Havaí decolou como destino turístico, quando muitos visitantes chegaram em navios a vapor e a maioria dos cardápios de hotéis agradou a seus gostos. Nessa época, jantar no Havaí significava comer pratos populares na Europa, um estilo de comida conhecido como cozinha continental. Em Honolulu, por exemplo, eles faziam o check-in no Royal Hawaiian Hotel - um dos primeiros hotéis construídos ao longo da icônica praia de Waikiki - e eram servidos de cordeiro ou frango provavelmente acompanhados de um molho cremoso.

Atualmente, a cena gastronômica do Havaí está ganhando reputação por mais do que raspar gelo e cutucar, e eventos como o Hawaii Food & amp Wine Festival - sem mencionar os chefs locais usando sua atenção da mídia nacional para falar pela cena gastronômica do Havaí, como Sheldon Simeon - brilhe uma luz sobre as novidades das melhores cozinhas do estado.

Mas, como o Havaí passou de ignorar seus próprios ingredientes para celebrá-los? Aqui está um pequeno histórico para você:

Então veio ao longo da culinária regional do Havaí

Até o início da década de 1990, muitos restaurantes do Havaí se concentravam em ingredientes enviados de fora das ilhas. A agricultura local de qualidade existia, é claro, e uma vez que uma dúzia de chefs se uniram para fazer parceria com produtores locais (estamos falando de fazendeiros, pecuaristas, pescadores e outros), a cena culinária local do Havaí decolou.

Esses chefs chamavam o que estavam fazendo de Cozinha Regional do Havaí (HRC), e os doze chefs incluem nomes internacionalmente reconhecidos como Roy Yamaguchi - sim, daqueles restaurantes de Roy em todo o país - e Alan Wong. Eles, junto com o Chef George Mavrothalassitis - ou, Chef Mavro - são atualmente os únicos vencedores do Prêmio James Beard do Havaí.

Na culinária regional do Havaí, ingredientes locais - como tomates frescos de Ho Farms em Oahu ou camarão Kauai doce de The Garden Island - recebem o tratamento culinário local - sabores havaiano, chinês, japonês, filipino, português, porto-riquenho (para citar alguns) e técnicas culinárias.

Por exemplo, Peter Merriman, dos restaurantes Merriman's em Maui, Big Island, Kauai e um novo local em Oahu, serve porco kalua e quesadilla de cebola doce com kimchee caseiro e molho de manga-chili. Ou, Hali’imaile General Store do Chef Bev Gannon na costeleta de porco de Maui com linguiça portuguesa e pão de milho com cogumelos. Ambos os chefs, que existem desde a década de 1980, são fundadores do movimento Hawaii Regional Cuisine.

Como Merriman e Ganon, um punhado de chefs originais do HRC ainda estão nisso. Em Kauai, o JO2 de Jean Marie Josselin em Kapaa oferece um jantar com preço fixo diário. E na Ilha Grande, o restaurante Kai Lani de Sam Choy's serve café da manhã, almoço e jantar com verduras locais, carne e frutos do mar. Mark Ellman ainda opera vários restaurantes em Maui, incluindo Mala Ocean Tavern e Honu Seafood & amp Pizza.

Agora existe uma nova geração de chefs do Havaí

Hoje em dia, a próxima geração de chefs locais está expandindo e desenvolvendo a culinária regional do Havaí, adicionando sua própria assinatura. Alguns nomes a serem observados incluem Michelle e Wade Ueoka (anteriormente de Alan Wong) MW Restaurant em Honolulu, onde você encontrará beterraba local em conserva com Big Island Goat Cheese ou ahi poke com cogumelos Hamakua.

Depois, há os restaurantes de Ed Kenney, incluindo o Mud Hen Water, localizado no florescente bairro de Kaimuki, centrado na culinária, em Honolulu. Lá, os pratos incluem verduras e produtos das Fazendas Orgânicas Ma'o e carne do Rancho Kuahiwi, entre outros.

E nos anos em que a Cozinha Regional do Havaí tem feito seu trabalho, evoluindo os gostos dos consumidores - o tipo de gosto que quer saber de onde vem sua comida e está interessado em experiências locais únicas (como as viagens que organizamos ao redor do mundo) - ajudaram a garantir que o foco na alimentação local permanecesse.

Agora que você sabe tudo sobre a cena gastronômica do Havaí, deixe-nos ajudá-lo a planejar uma viagem para lá!


Como o cenário gastronômico do Havaí se tornou o que é hoje

Então, o que há no menu? Talvez uma pilha de verduras Waipoli vestidas com vinagrete Liliko’i. Ou um suculento hambúrguer do Parker Ranch e cebolas Maui grelhadas e doces.

Somos todos voltados para dias de praia ensolarados e caminhadas por uma exuberante vegetação tropical, mas se você nos perguntar no Havaí (como outros destinos em nossas listas de visitas obrigatórias), o paraíso é encontrado entre as páginas de um menu.

Hoje, os restaurantes no Havaí que celebram os ingredientes regionais e da fazenda para a mesa da ilha (sorte para apreciadores de comida exigentes como nós) são bastante status quo. Mas nem sempre foi assim.

A história da cena gastronômica do Havaí

Na década de 1920, o Havaí decolou como destino turístico, quando muitos visitantes chegaram em navios a vapor e a maioria dos cardápios de hotéis agradou a seus gostos. Nessa época, jantar no Havaí significava comer pratos populares na Europa, um estilo de comida conhecido como culinária continental. Em Honolulu, por exemplo, eles faziam o check-in no Royal Hawaiian Hotel - um dos primeiros hotéis construídos ao longo da icônica praia de Waikiki - e eram servidos de cordeiro ou frango provavelmente acompanhados de um molho cremoso.

Atualmente, a cena gastronômica do Havaí está ganhando uma reputação por mais do que raspar gelo e cutucar, e eventos como o Hawaii Food & amp Wine Festival - sem mencionar os chefs locais usando sua atenção da mídia nacional para falar pela cena gastronômica do Havaí, como Sheldon Simeon - brilhe uma luz sobre as novidades das melhores cozinhas do estado.

Mas, como o Havaí passou de ignorar seus próprios ingredientes para celebrá-los? Aqui está um pequeno histórico para você:

Então veio ao longo da culinária regional do Havaí

Até o início da década de 1990, muitos restaurantes do Havaí se concentravam em ingredientes enviados de fora das ilhas. A agricultura local de qualidade existia, é claro, e uma vez que uma dúzia de chefs se uniram para fazer parceria com produtores locais (estamos falando de fazendeiros, pecuaristas, pescadores e outros), a cena culinária local do Havaí decolou.

Esses chefs chamavam o que estavam fazendo de Cozinha Regional do Havaí (HRC), e os doze chefs incluem nomes internacionalmente reconhecidos como Roy Yamaguchi - sim, daqueles restaurantes de Roy em todo o país - e Alan Wong. Eles, junto com o Chef George Mavrothalassitis - ou, Chef Mavro - são atualmente os únicos vencedores do Prêmio James Beard do Havaí.

Na culinária regional do Havaí, ingredientes locais - como tomates frescos de Ho Farms em Oahu ou camarão Kauai doce de The Garden Island - recebem o tratamento culinário local - sabores havaiano, chinês, japonês, filipino, português, porto-riquenho (para citar alguns) e técnicas culinárias.

Por exemplo, Peter Merriman dos restaurantes Merriman em Maui, Big Island, Kauai e um novo local em Oahu serve porco kalua e quesadilla de cebola doce com kimchee caseiro e molho de manga-chili. Ou, Hali’imaile General Store do Chef Bev Gannon na costeleta de porco de Maui com linguiça portuguesa e pão de milho com cogumelos. Ambos os chefs, que existem desde a década de 1980, são fundadores do movimento Hawaii Regional Cuisine.

Como Merriman e Ganon, um punhado de chefs originais do HRC ainda estão nisso. Em Kauai, o JO2 de Jean Marie Josselin em Kapaa oferece um jantar com preço fixo diário. E na Ilha Grande, o restaurante Kai Lani de Sam Choy's serve café da manhã, almoço e jantar com verduras locais, carne e frutos do mar. Mark Ellman ainda opera vários restaurantes em Maui, incluindo Mala Ocean Tavern e Honu Seafood & amp Pizza.

Agora existe uma nova geração de chefs do Havaí

Hoje em dia, a próxima geração de chefs locais está expandindo e desenvolvendo a culinária regional do Havaí, adicionando sua própria assinatura. Alguns nomes a serem observados incluem Michelle e Wade Ueoka (anteriormente de Alan Wong) MW Restaurant em Honolulu, onde você encontrará beterraba local em conserva com Big Island Goat Cheese ou ahi poke com cogumelos Hamakua.

Depois, há os restaurantes de Ed Kenney, incluindo Mud Hen Water, localizado no florescente bairro de Kaimuki, voltado para a culinária, em Honolulu. Lá, os pratos incluem verduras e produtos das Fazendas Orgânicas Ma'o e carne do Rancho Kuahiwi, entre outros.

E nos anos em que a Cozinha Regional do Havaí tem feito seu trabalho, evoluindo o gosto do consumidor - o tipo de gosto que quer saber de onde vem sua comida e está interessado em experiências locais únicas (como as viagens que organizamos ao redor do mundo) - ajudaram a garantir que o foco na alimentação local permanecesse.

Agora que você sabe tudo sobre a cena gastronômica do Havaí, deixe-nos ajudá-lo a planejar uma viagem para lá!


Como o cenário gastronômico do Havaí se tornou o que é hoje

Então, o que há no menu? Talvez uma pilha de verduras Waipoli vestidas com vinagrete Liliko’i. Ou um suculento hambúrguer do Parker Ranch e cebolas Maui grelhadas e doces.

O que importa são dias de praia ensolarados e caminhadas por uma exuberante vegetação tropical, mas se você nos perguntar no Havaí (como outros destinos em nossas listas de visitas obrigatórias), o paraíso é encontrado entre as páginas de um menu.

Hoje, os restaurantes no Havaí que celebram os ingredientes regionais e da fazenda para a mesa da ilha (sorte para apreciadores de comida exigentes como nós) são bastante status quo. Mas nem sempre foi assim.

A história da cena gastronômica do Havaí

Na década de 1920, o Havaí decolou como destino turístico, quando muitos visitantes chegaram em navios a vapor e a maioria dos cardápios de hotéis agradou a seus gostos. Nessa época, jantar no Havaí significava comer pratos populares na Europa, um estilo de comida conhecido como cozinha continental. Em Honolulu, por exemplo, eles faziam o check-in no Royal Hawaiian Hotel - um dos primeiros hotéis construídos ao longo da icônica praia de Waikiki - e eram servidos de cordeiro ou frango provavelmente acompanhado de um molho cremoso.

Atualmente, a cena gastronômica do Havaí está ganhando reputação por mais do que raspar gelo e cutucar, e eventos como o Hawaii Food & amp Wine Festival - sem mencionar os chefs locais usando sua atenção da mídia nacional para falar pela cena gastronômica do Havaí, como Sheldon Simeon - brilhe uma luz sobre as novidades das melhores cozinhas do estado.

Mas, como o Havaí passou de ignorar seus próprios ingredientes para celebrá-los? Aqui está um pequeno histórico para você:

Então veio ao longo da culinária regional do Havaí

Até o início da década de 1990, muitos dos restaurantes do Havaí se concentravam em ingredientes enviados de fora das ilhas. A agricultura local de qualidade existia, é claro, e uma vez que uma dúzia de chefs se uniram para fazer parceria com produtores locais (estamos falando de fazendeiros, pecuaristas, pescadores e outros), a cena culinária local do Havaí decolou.

Esses chefs chamavam o que estavam fazendo de Cozinha Regional do Havaí (HRC), e os doze chefs incluem nomes internacionalmente reconhecidos como Roy Yamaguchi - sim, daqueles restaurantes de Roy em todo o país - e Alan Wong. Eles, junto com o Chef George Mavrothalassitis - ou, Chef Mavro - são atualmente os únicos vencedores do Prêmio James Beard do Havaí.

Na culinária regional do Havaí, ingredientes locais - como tomates frescos de Ho Farms em Oahu ou camarão Kauai doce de The Garden Island - recebem o tratamento culinário local - sabores havaiano, chinês, japonês, filipino, português, porto-riquenho (para citar alguns) e técnicas culinárias.

Por exemplo, Peter Merriman, dos restaurantes Merriman's em Maui, Big Island, Kauai e um novo local em Oahu, serve porco kalua e quesadilla de cebola doce com kimchee caseiro e molho de manga-chili. Ou, Hali’imaile General Store do Chef Bev Gannon na costeleta de porco de Maui com linguiça portuguesa e pão de milho com cogumelos. Ambos os chefs, que existem desde os anos 1980, são os fundadores do movimento Hawaii Regional Cuisine.

Como Merriman e Ganon, um punhado de chefs originais do HRC ainda estão nisso. Em Kauai, o JO2 de Jean Marie Josselin em Kapaa oferece um jantar com preço fixo diário. E na Ilha Grande, o restaurante Kai Lani de Sam Choy's serve café da manhã, almoço e jantar com verduras locais, carne e frutos do mar. Mark Ellman ainda opera vários restaurantes em Maui, incluindo Mala Ocean Tavern e Honu Seafood & amp Pizza.

Agora existe uma nova geração de chefs do Havaí

Hoje em dia, a próxima geração de chefs locais está expandindo e desenvolvendo a culinária regional do Havaí, adicionando sua própria assinatura. Alguns nomes a serem observados incluem Michelle e Wade Ueoka (anteriormente de Alan Wong) MW Restaurant em Honolulu, onde você encontrará beterraba local em conserva com Big Island Goat Cheese ou ahi poke com cogumelos Hamakua.

Depois, há os restaurantes de Ed Kenney, incluindo Mud Hen Water, localizado no florescente bairro de Kaimuki, voltado para a culinária, em Honolulu. Lá, os pratos incluem verduras e produtos das Fazendas Orgânicas Ma'o e carne do Rancho Kuahiwi, entre outros.

E nos anos em que a Cozinha Regional do Havaí tem feito seu trabalho, evoluindo os gostos dos consumidores - o tipo de gosto que quer saber de onde vem sua comida e está interessado em experiências locais únicas (como as viagens que organizamos ao redor do mundo) - ajudaram a garantir que o foco na alimentação local permanecesse.

Agora que você sabe tudo sobre a cena gastronômica do Havaí, deixe-nos ajudá-lo a planejar uma viagem para lá!


Como o cenário gastronômico do Havaí se tornou o que é hoje

Então, o que há no menu? Talvez uma pilha de verduras Waipoli vestidas com vinagrete Liliko’i. Ou um suculento hambúrguer do Parker Ranch e cebolas Maui grelhadas e doces.

Somos todos voltados para dias de praia ensolarados e caminhadas por uma exuberante vegetação tropical, mas se você nos perguntar no Havaí (como outros destinos em nossas listas de visitas obrigatórias), o paraíso é encontrado entre as páginas de um menu.

Hoje, os restaurantes no Havaí que celebram os ingredientes regionais e da fazenda para a mesa da ilha (sorte para apreciadores de comida exigentes como nós) são bastante status quo. Mas nem sempre foi assim.

A história da cena gastronômica do Havaí

Na década de 1920, o Havaí decolou como destino turístico, pois muitos visitantes chegavam em navios a vapor e a maioria dos cardápios de hotéis agradava a seus gostos. Nessa época, jantar no Havaí significava comer pratos populares na Europa, um estilo de comida conhecido como culinária continental. Em Honolulu, por exemplo, eles faziam o check-in no Royal Hawaiian Hotel - um dos primeiros hotéis construídos ao longo da icônica praia de Waikiki - e eram servidos de cordeiro ou frango provavelmente acompanhado de um molho cremoso.

Atualmente, a cena gastronômica do Havaí está ganhando reputação por mais do que raspar gelo e cutucar, e eventos como o Hawaii Food & amp Wine Festival - sem mencionar os chefs locais usando sua atenção da mídia nacional para falar pela cena gastronômica do Havaí, como Sheldon Simeon - brilhe uma luz sobre as novidades das melhores cozinhas do estado.

Mas, como o Havaí passou de ignorar seus próprios ingredientes para celebrá-los? Aqui está um pequeno histórico para você:

Então veio ao longo da culinária regional do Havaí

Até o início da década de 1990, muitos restaurantes do Havaí se concentravam em ingredientes enviados de fora das ilhas. A agricultura local de qualidade existia, é claro, e uma vez que uma dúzia de chefs se uniram para fazer parceria com produtores locais (estamos falando de fazendeiros, pecuaristas, pescadores e outros), a cena gastronômica local do Havaí decolou.

Esses chefs chamavam o que estavam fazendo de Cozinha Regional do Havaí (HRC), e os doze chefs incluem nomes internacionalmente reconhecidos como Roy Yamaguchi - sim, daqueles restaurantes de Roy em todo o país - e Alan Wong. Eles, junto com o Chef George Mavrothalassitis - ou, Chef Mavro - são atualmente os únicos vencedores do Prêmio James Beard do Havaí.

Na culinária regional do Havaí, ingredientes locais - como tomates frescos de Ho Farms em Oahu ou camarão Kauai doce de The Garden Island - recebem o tratamento culinário local - sabores havaiano, chinês, japonês, filipino, português, porto-riquenho (para citar alguns) e técnicas culinárias.

Por exemplo, Peter Merriman dos restaurantes Merriman em Maui, Big Island, Kauai e um novo local em Oahu serve porco kalua e quesadilla de cebola doce com kimchee caseiro e molho de manga-chili. Ou, Hali’imaile General Store do Chef Bev Gannon na costeleta de porco de Maui com linguiça portuguesa e pão de milho com cogumelos. Ambos os chefs, que existem desde os anos 1980, são os fundadores do movimento Hawaii Regional Cuisine.

Como Merriman e Ganon, um punhado de chefs originais do HRC ainda estão nisso. Em Kauai, o JO2 de Jean Marie Josselin em Kapaa oferece um jantar com preço fixo diário. E na Ilha Grande, o restaurante Kai Lani de Sam Choy's serve café da manhã, almoço e jantar com verduras locais, carne e frutos do mar. Mark Ellman ainda opera vários restaurantes em Maui, incluindo Mala Ocean Tavern e Honu Seafood & amp Pizza.

Agora há uma nova geração de chefs do Havaí

Hoje em dia, a próxima geração de chefs locais está expandindo e desenvolvendo a culinária regional do Havaí, adicionando sua própria assinatura. Alguns nomes a serem observados incluem Michelle e Wade Ueoka (anteriormente de Alan Wong) MW Restaurant em Honolulu, onde você encontrará beterraba local em conserva com Big Island Goat Cheese ou ahi poke com cogumelos Hamakua.

Depois, há os restaurantes de Ed Kenney, incluindo o Mud Hen Water, localizado no florescente bairro de Kaimuki, centrado na culinária, em Honolulu. Lá, os pratos incluem verduras e produtos das Fazendas Orgânicas Ma'o e carne do Rancho Kuahiwi, entre outros.

E nos anos em que a Cozinha Regional do Havaí tem feito seu trabalho, evoluindo os gostos dos consumidores - o tipo de gosto que quer saber de onde vem sua comida e está interessado em experiências locais únicas (como as viagens que organizamos ao redor do mundo) - ajudaram a garantir que o foco na alimentação local permanecesse.

Agora que você sabe tudo sobre a cena gastronômica do Havaí, deixe-nos ajudá-lo a planejar uma viagem para lá!


Como o cenário gastronômico do Havaí se tornou o que é hoje

Então, o que há no menu? Talvez uma pilha de verduras Waipoli vestidas com vinagrete Liliko’i. Ou um suculento hambúrguer do Parker Ranch e cebolas Maui grelhadas e doces.

O que importa são dias de praia ensolarados e caminhadas por uma exuberante vegetação tropical, mas se você nos perguntar no Havaí (como outros destinos em nossas listas de visitas obrigatórias), o paraíso é encontrado entre as páginas de um menu.

Hoje, os restaurantes no Havaí que celebram os ingredientes regionais e da fazenda para a mesa da ilha (sorte para apreciadores de comida exigentes como nós) são bastante status quo. Mas nem sempre foi assim.

A história da cena gastronômica do Havaí

Na década de 1920, o Havaí decolou como destino turístico, quando muitos visitantes chegaram em navios a vapor e a maioria dos cardápios de hotéis agradou a seus gostos. Nessa época, jantar no Havaí significava comer pratos populares na Europa, um estilo de comida conhecido como cozinha continental. Em Honolulu, por exemplo, eles faziam o check-in no Royal Hawaiian Hotel - um dos primeiros hotéis construídos ao longo da icônica praia de Waikiki - e eram servidos de cordeiro ou frango provavelmente acompanhado de um molho cremoso.

Atualmente, a cena gastronômica do Havaí está ganhando reputação por mais do que raspar gelo e cutucar, e eventos como o Hawaii Food & amp Wine Festival - sem mencionar os chefs locais usando sua atenção da mídia nacional para falar pela cena gastronômica do Havaí, como Sheldon Simeon - brilhe uma luz sobre as novidades das melhores cozinhas do estado.

Mas, como o Havaí passou de ignorar seus próprios ingredientes para celebrá-los? Aqui está um pequeno histórico para você:

Então veio ao longo da culinária regional do Havaí

Até o início da década de 1990, muitos dos restaurantes do Havaí se concentravam em ingredientes enviados de fora das ilhas. A agricultura local de qualidade existia, é claro, e uma vez que uma dúzia de chefs se uniram para fazer parceria com produtores locais (estamos falando de fazendeiros, pecuaristas, pescadores e outros), a cena culinária local do Havaí decolou.

Esses chefs chamavam o que estavam fazendo de Cozinha Regional do Havaí (HRC), e os doze chefs incluem nomes internacionalmente reconhecidos como Roy Yamaguchi - sim, daqueles restaurantes de Roy em todo o país - e Alan Wong. Eles, junto com o Chef George Mavrothalassitis - ou, Chef Mavro - são atualmente os únicos vencedores do Prêmio James Beard do Havaí.

Na culinária regional do Havaí, ingredientes locais - como tomates frescos de Ho Farms em Oahu ou camarão Kauai doce de The Garden Island - recebem o tratamento culinário local - sabores havaiano, chinês, japonês, filipino, português, porto-riquenho (para citar alguns) e técnicas culinárias.

Por exemplo, Peter Merriman dos restaurantes Merriman em Maui, Big Island, Kauai e um novo local em Oahu serve porco kalua e quesadilla de cebola doce com kimchee caseiro e molho de manga-chili. Ou, Hali’imaile General Store do Chef Bev Gannon na costeleta de porco de Maui com linguiça portuguesa e pão de milho com cogumelos. Ambos os chefs, que existem desde os anos 1980, são os fundadores do movimento Hawaii Regional Cuisine.

Como Merriman e Ganon, um punhado de chefs originais do HRC ainda estão nisso. Em Kauai, o JO2 de Jean Marie Josselin em Kapaa oferece um jantar com preço fixo diário. E na Ilha Grande, o restaurante Kai Lani de Sam Choy's serve café da manhã, almoço e jantar com verduras locais, carne e frutos do mar. Mark Ellman ainda opera vários restaurantes em Maui, incluindo Mala Ocean Tavern e Honu Seafood & amp Pizza.

Agora existe uma nova geração de chefs do Havaí

Hoje em dia, a próxima geração de chefs locais está expandindo e desenvolvendo a culinária regional do Havaí, adicionando sua própria assinatura. Alguns nomes a serem observados incluem Michelle e Wade Ueoka (anteriormente de Alan Wong) MW Restaurant em Honolulu, onde você encontrará beterraba local em conserva com Big Island Goat Cheese ou ahi poke com cogumelos Hamakua.

Depois, há os restaurantes de Ed Kenney, incluindo o Mud Hen Water, localizado no florescente bairro de Kaimuki, centrado na culinária, em Honolulu. Lá, os pratos incluem verduras e produtos das Fazendas Orgânicas Ma'o e carne do Rancho Kuahiwi, entre outros.

E nos anos em que a Cozinha Regional do Havaí tem feito seu trabalho, evoluindo os gostos dos consumidores - o tipo de gosto que quer saber de onde vem sua comida e está interessado em experiências locais únicas (como as viagens que organizamos ao redor do mundo) - ajudaram a garantir que o foco na alimentação local permanecesse.

Agora que você sabe tudo sobre a cena gastronômica do Havaí, deixe-nos ajudá-lo a planejar uma viagem para lá!


Como o cenário gastronômico do Havaí se tornou o que é hoje

Então, o que há no menu? Talvez uma pilha de verduras Waipoli vestidas com vinagrete Liliko’i. Ou um suculento hambúrguer do Parker Ranch e cebolas Maui grelhadas e doces.

Somos todos voltados para dias de praia ensolarados e caminhadas por uma exuberante vegetação tropical, mas se você nos perguntar no Havaí (como outros destinos em nossas listas de visitas obrigatórias), o paraíso é encontrado entre as páginas de um menu.

Hoje, os restaurantes no Havaí que celebram os ingredientes regionais e da fazenda para a mesa da ilha (sorte para apreciadores de comida exigentes como nós) são bastante status quo. Mas nem sempre foi assim.

A história da cena gastronômica do Havaí

Na década de 1920, o Havaí decolou como destino turístico, pois muitos visitantes chegavam em navios a vapor e a maioria dos cardápios de hotéis agradava a seus gostos. Nessa época, jantar no Havaí significava comer pratos populares na Europa, um estilo de comida conhecido como culinária continental. Em Honolulu, por exemplo, eles faziam o check-in no Royal Hawaiian Hotel - um dos primeiros hotéis construídos ao longo da icônica praia de Waikiki - e eram servidos de cordeiro ou frango provavelmente acompanhado de um molho cremoso.

Atualmente, a cena gastronômica do Havaí está ganhando reputação por mais do que raspar gelo e cutucar, e eventos como o Hawaii Food & amp Wine Festival - sem mencionar os chefs locais usando sua atenção da mídia nacional para falar pela cena gastronômica do Havaí, como Sheldon Simeon - brilhe uma luz sobre as novidades das melhores cozinhas do estado.

Mas, como o Havaí passou de ignorar seus próprios ingredientes para celebrá-los? Aqui está um pequeno histórico para você:

Então veio ao longo da culinária regional do Havaí

Até o início da década de 1990, muitos restaurantes do Havaí se concentravam em ingredientes enviados de fora das ilhas. A agricultura local de qualidade existia, é claro, e uma vez que uma dúzia de chefs se uniram para fazer parceria com produtores locais (estamos falando de fazendeiros, pecuaristas, pescadores e outros), a cena culinária local do Havaí decolou.

Esses chefs chamavam o que estavam fazendo de Cozinha Regional do Havaí (HRC), e os doze chefs incluem nomes internacionalmente reconhecidos como Roy Yamaguchi - sim, daqueles restaurantes de Roy em todo o país - e Alan Wong. Eles, junto com o Chef George Mavrothalassitis - ou Chef Mavro - são atualmente os únicos vencedores do Prêmio James Beard do Havaí.

Na culinária regional do Havaí, ingredientes locais - como tomates frescos de Ho Farms em Oahu ou camarão Kauai doce de The Garden Island - recebem o tratamento culinário local - sabores havaiano, chinês, japonês, filipino, português, porto-riquenho (para citar alguns) e técnicas culinárias.

Por exemplo, Peter Merriman, dos restaurantes Merriman's em Maui, Big Island, Kauai e um novo local em Oahu, serve porco kalua e quesadilla de cebola doce com kimchee caseiro e molho de manga-chili. Ou, Hali’imaile General Store do Chef Bev Gannon na costeleta de porco de Maui com linguiça portuguesa e pão de milho com cogumelos. Ambos os chefs, que existem desde os anos 1980, são os fundadores do movimento Hawaii Regional Cuisine.

Como Merriman e Ganon, um punhado de chefs originais do HRC ainda estão nisso. Em Kauai, o JO2 de Jean Marie Josselin em Kapaa oferece um jantar com preço fixo diário. E na Ilha Grande, o restaurante Kai Lani de Sam Choy's serve café da manhã, almoço e jantar com verduras locais, carne e frutos do mar. Mark Ellman ainda opera vários restaurantes em Maui, incluindo Mala Ocean Tavern e Honu Seafood & amp Pizza.

Agora há uma nova geração de chefs do Havaí

Hoje em dia, a próxima geração de chefs locais está expandindo e desenvolvendo a culinária regional do Havaí, adicionando sua própria assinatura. Alguns nomes a serem observados incluem Michelle e Wade Ueoka (anteriormente de Alan Wong) MW Restaurant em Honolulu, onde você encontrará beterraba local em conserva com Big Island Goat Cheese ou ahi poke com cogumelos Hamakua.

Depois, há os restaurantes de Ed Kenney, incluindo Mud Hen Water, localizado no florescente bairro de Kaimuki, voltado para a culinária, em Honolulu. Lá, os pratos incluem verduras e produtos das Fazendas Orgânicas Ma'o e carne do Rancho Kuahiwi, entre outros.

E nos anos em que a Cozinha Regional do Havaí tem feito seu trabalho, evoluindo o gosto do consumidor - o tipo de gosto que quer saber de onde vem sua comida e está interessado em experiências locais únicas (como as viagens que organizamos ao redor do mundo) - ajudaram a garantir que o foco nos alimentos locais continuasse.

Agora que você sabe tudo sobre a cena gastronômica do Havaí, deixe-nos ajudá-lo a planejar uma viagem para lá!


Como o cenário gastronômico do Havaí se tornou o que é hoje

Então, o que há no menu? Talvez uma pilha de verduras Waipoli vestidas com vinagrete Liliko’i. Ou um suculento hambúrguer do Parker Ranch e cebolas Maui grelhadas e doces.

Somos todos voltados para dias de praia ensolarados e caminhadas por uma exuberante vegetação tropical, mas se você nos perguntar no Havaí (como outros destinos em nossas listas de visitas obrigatórias), o paraíso é encontrado entre as páginas de um menu.

Hoje, os restaurantes no Havaí que celebram os ingredientes regionais e da fazenda para a mesa da ilha (sorte para apreciadores de comida exigentes como nós) são bastante status quo. Mas nem sempre foi assim.

A história da cena gastronômica do Havaí

Na década de 1920, o Havaí decolou como destino turístico, pois muitos visitantes chegavam em navios a vapor e a maioria dos cardápios de hotéis agradava a seus gostos. Nessa época, jantar no Havaí significava comer pratos populares na Europa, um estilo de comida conhecido como culinária continental. Em Honolulu, por exemplo, eles faziam o check-in no Royal Hawaiian Hotel - um dos primeiros hotéis construídos ao longo da icônica praia de Waikiki - e eram servidos de cordeiro ou frango provavelmente acompanhados de um molho cremoso.

Atualmente, a cena gastronômica do Havaí está ganhando reputação por mais do que raspar gelo e cutucar, e eventos como o Hawaii Food & amp Wine Festival - sem mencionar os chefs locais usando sua atenção da mídia nacional para falar pela cena gastronômica do Havaí, como Sheldon Simeon - brilhe uma luz sobre as novidades das melhores cozinhas do estado.

Mas, como o Havaí passou de ignorar seus próprios ingredientes para celebrá-los? Aqui está um pequeno histórico para você:

Então veio ao longo da culinária regional do Havaí

Até o início da década de 1990, muitos dos restaurantes do Havaí se concentravam em ingredientes enviados de fora das ilhas. A agricultura local de qualidade existia, é claro, e uma vez que uma dúzia de chefs se uniram para fazer parceria com produtores locais (estamos falando de fazendeiros, pecuaristas, pescadores e outros), a cena culinária local do Havaí decolou.

Esses chefs chamavam o que estavam fazendo de Cozinha Regional do Havaí (HRC), e os doze chefs incluem nomes internacionalmente reconhecidos como Roy Yamaguchi - sim, daqueles restaurantes de Roy em todo o país - e Alan Wong. Eles, junto com o Chef George Mavrothalassitis - ou Chef Mavro - são atualmente os únicos vencedores do Prêmio James Beard do Havaí.

Na culinária regional do Havaí, ingredientes locais - como tomates frescos de Ho Farms em Oahu ou camarão Kauai doce de The Garden Island - recebem o tratamento culinário local - sabores havaiano, chinês, japonês, filipino, português, porto-riquenho (para citar alguns) e técnicas culinárias.

For example, Peter Merriman of Merriman’s restaurants in Maui, Big Island, Kauai and a new location on Oahu serves a kalua pork and sweet onion quesadilla with house-made kimchee and mango-chili sauce. Or, Chef Bev Gannon’s Hali’imaile General Store on Maui’s pork chop with portuguese sausage and mushroom cornbread. Both chefs, who’ve been around since the 1980s are founders of the Hawaii Regional Cuisine movement.

Like Merriman and Ganon, a handful of HRC’s original chefs are still at it. On Kauai, JO2 by Jean Marie Josselin in Kapaa hosts a daily prix fixe dinner. And on the Big Island, Sam Choy’s Kai Lani restaurant serves breakfast, lunch, and dinner using local greens, beef, and seafood. Mark Ellman still operates several restaurants on Maui, including Mala Ocean Tavern and Honu Seafood & Pizza.

Now There's A New Generation Of Hawaii Chefs

These days the next generation of local chefs are branching out and evolving Hawaii Regional Cuisine by adding their own signature. A few names to watch include Michelle and Wade Ueoka’s (formerly of Alan Wong’s) MW Restaurant in Honolulu where you’ll find pickled local beets with Big Island Goat Cheese or ahi poke with Hamakua mushrooms.

Then there’s Ed Kenney’s restaurants, including Mud Hen Water, located in Honolulu’s burgeoning foodie-centric Kaimuki neighborhood. There, dishes feature greens and produce from Ma’o Organic Farms and beef from Kuahiwi Ranch, among others.

And in the years that Hawaii Regional Cuisine has been doing its thing, evolving consumer tastes – the kind of tastes that wants to know where their food comes from and is interested in unique, local experiences (like the trips we curate around the world) – have helped to ensure that the focus on local eats will stick around.

Now that you know all about Hawaii's food scene, let us help you plan a trip there!


How Hawaii Food Scene Became What It Is Today

Então, o que há no menu? Maybe a heaping pile of Waipoli greens dressed in Liliko’i vinaigrette. Or, a juicy burger from Parker Ranch and grilled, sweet Maui onions.

We’re all about sunny beach days and walks through lush tropical greenery, but if you ask us in Hawaii (like other destinations on our must-visit lists) paradise is found between the pages of a menu.

Today, restaurants in Hawaii that celebrate the island’s regional and farm-to-table ingredients (lucky for discerning foodies like us) are pretty status quo. But that was not always the case.

The History Of Hawaii's Food Scene

In the 1920s Hawaii took off as a tourist destination as scores of visitors arrived by steamer ship and the majority of hotel menus appealed to their tastes. Dining in Hawaii in this era meant eating dishes that were popular in Europe, a style of food known as continental cuisine. In Honolulu for example, they’d check in to the Royal Hawaiian Hotel – one of the first hotels built along iconic Waikiki Beach – and be served lamb or chicken likely accompanied by a creamy sauce.

These days Hawaii’s food scene is earning a reputation for more than shave ice and poke, and events like the Hawaii Food & Wine Festival – not to mention local chefs using their national media attention to speak up for Hawaii’s food scene, like Sheldon Simeon – shine a light on the innovative things coming from the state’s top kitchens.

But, how did Hawaii go from ignoring its own ingredients to celebrating them? Here’s a little background for you:

Then Came Along Hawaii Regional Cuisine

Until the early 1990s much of Hawaii’s restaurants focused on ingredients shipped in from outside the islands. Quality local agriculture did exist, of course, and once a dozen chefs banded together to partner with local producers (we’re talking the farmers, ranchers, fishermen and others), Hawaii’s local food scene took off.

These chefs called what they were doing Hawaii Regional Cuisine (HRC), and the twelve chefs include internationally recognized names like Roy Yamaguchi – yep, of those Roy’s restaurants across the country – and Alan Wong. They, along with Chef George Mavrothalassitis – or, Chef Mavro – are currently Hawaii’s only James Beard Award winners.

In Hawaii Regional Cuisine, local ingredients – like fresh tomatoes from Ho Farms on Oahu or sweet Kauai Shrimp from The Garden Island – get the local cooking treatment think Hawaiian, Chinese, Japanese, Filipino, Portuguese, Puerto Rican (to name a few) flavors and cooking techniques.

For example, Peter Merriman of Merriman’s restaurants in Maui, Big Island, Kauai and a new location on Oahu serves a kalua pork and sweet onion quesadilla with house-made kimchee and mango-chili sauce. Or, Chef Bev Gannon’s Hali’imaile General Store on Maui’s pork chop with portuguese sausage and mushroom cornbread. Both chefs, who’ve been around since the 1980s are founders of the Hawaii Regional Cuisine movement.

Like Merriman and Ganon, a handful of HRC’s original chefs are still at it. On Kauai, JO2 by Jean Marie Josselin in Kapaa hosts a daily prix fixe dinner. And on the Big Island, Sam Choy’s Kai Lani restaurant serves breakfast, lunch, and dinner using local greens, beef, and seafood. Mark Ellman still operates several restaurants on Maui, including Mala Ocean Tavern and Honu Seafood & Pizza.

Now There's A New Generation Of Hawaii Chefs

These days the next generation of local chefs are branching out and evolving Hawaii Regional Cuisine by adding their own signature. A few names to watch include Michelle and Wade Ueoka’s (formerly of Alan Wong’s) MW Restaurant in Honolulu where you’ll find pickled local beets with Big Island Goat Cheese or ahi poke with Hamakua mushrooms.

Then there’s Ed Kenney’s restaurants, including Mud Hen Water, located in Honolulu’s burgeoning foodie-centric Kaimuki neighborhood. There, dishes feature greens and produce from Ma’o Organic Farms and beef from Kuahiwi Ranch, among others.

And in the years that Hawaii Regional Cuisine has been doing its thing, evolving consumer tastes – the kind of tastes that wants to know where their food comes from and is interested in unique, local experiences (like the trips we curate around the world) – have helped to ensure that the focus on local eats will stick around.

Now that you know all about Hawaii's food scene, let us help you plan a trip there!


How Hawaii Food Scene Became What It Is Today

Então, o que há no menu? Maybe a heaping pile of Waipoli greens dressed in Liliko’i vinaigrette. Or, a juicy burger from Parker Ranch and grilled, sweet Maui onions.

We’re all about sunny beach days and walks through lush tropical greenery, but if you ask us in Hawaii (like other destinations on our must-visit lists) paradise is found between the pages of a menu.

Today, restaurants in Hawaii that celebrate the island’s regional and farm-to-table ingredients (lucky for discerning foodies like us) are pretty status quo. But that was not always the case.

The History Of Hawaii's Food Scene

In the 1920s Hawaii took off as a tourist destination as scores of visitors arrived by steamer ship and the majority of hotel menus appealed to their tastes. Dining in Hawaii in this era meant eating dishes that were popular in Europe, a style of food known as continental cuisine. In Honolulu for example, they’d check in to the Royal Hawaiian Hotel – one of the first hotels built along iconic Waikiki Beach – and be served lamb or chicken likely accompanied by a creamy sauce.

These days Hawaii’s food scene is earning a reputation for more than shave ice and poke, and events like the Hawaii Food & Wine Festival – not to mention local chefs using their national media attention to speak up for Hawaii’s food scene, like Sheldon Simeon – shine a light on the innovative things coming from the state’s top kitchens.

But, how did Hawaii go from ignoring its own ingredients to celebrating them? Here’s a little background for you:

Then Came Along Hawaii Regional Cuisine

Until the early 1990s much of Hawaii’s restaurants focused on ingredients shipped in from outside the islands. Quality local agriculture did exist, of course, and once a dozen chefs banded together to partner with local producers (we’re talking the farmers, ranchers, fishermen and others), Hawaii’s local food scene took off.

These chefs called what they were doing Hawaii Regional Cuisine (HRC), and the twelve chefs include internationally recognized names like Roy Yamaguchi – yep, of those Roy’s restaurants across the country – and Alan Wong. They, along with Chef George Mavrothalassitis – or, Chef Mavro – are currently Hawaii’s only James Beard Award winners.

In Hawaii Regional Cuisine, local ingredients – like fresh tomatoes from Ho Farms on Oahu or sweet Kauai Shrimp from The Garden Island – get the local cooking treatment think Hawaiian, Chinese, Japanese, Filipino, Portuguese, Puerto Rican (to name a few) flavors and cooking techniques.

For example, Peter Merriman of Merriman’s restaurants in Maui, Big Island, Kauai and a new location on Oahu serves a kalua pork and sweet onion quesadilla with house-made kimchee and mango-chili sauce. Or, Chef Bev Gannon’s Hali’imaile General Store on Maui’s pork chop with portuguese sausage and mushroom cornbread. Both chefs, who’ve been around since the 1980s are founders of the Hawaii Regional Cuisine movement.

Like Merriman and Ganon, a handful of HRC’s original chefs are still at it. On Kauai, JO2 by Jean Marie Josselin in Kapaa hosts a daily prix fixe dinner. And on the Big Island, Sam Choy’s Kai Lani restaurant serves breakfast, lunch, and dinner using local greens, beef, and seafood. Mark Ellman still operates several restaurants on Maui, including Mala Ocean Tavern and Honu Seafood & Pizza.

Now There's A New Generation Of Hawaii Chefs

These days the next generation of local chefs are branching out and evolving Hawaii Regional Cuisine by adding their own signature. A few names to watch include Michelle and Wade Ueoka’s (formerly of Alan Wong’s) MW Restaurant in Honolulu where you’ll find pickled local beets with Big Island Goat Cheese or ahi poke with Hamakua mushrooms.

Then there’s Ed Kenney’s restaurants, including Mud Hen Water, located in Honolulu’s burgeoning foodie-centric Kaimuki neighborhood. There, dishes feature greens and produce from Ma’o Organic Farms and beef from Kuahiwi Ranch, among others.

And in the years that Hawaii Regional Cuisine has been doing its thing, evolving consumer tastes – the kind of tastes that wants to know where their food comes from and is interested in unique, local experiences (like the trips we curate around the world) – have helped to ensure that the focus on local eats will stick around.

Now that you know all about Hawaii's food scene, let us help you plan a trip there!


How Hawaii Food Scene Became What It Is Today

Então, o que há no menu? Maybe a heaping pile of Waipoli greens dressed in Liliko’i vinaigrette. Or, a juicy burger from Parker Ranch and grilled, sweet Maui onions.

We’re all about sunny beach days and walks through lush tropical greenery, but if you ask us in Hawaii (like other destinations on our must-visit lists) paradise is found between the pages of a menu.

Today, restaurants in Hawaii that celebrate the island’s regional and farm-to-table ingredients (lucky for discerning foodies like us) are pretty status quo. But that was not always the case.

The History Of Hawaii's Food Scene

In the 1920s Hawaii took off as a tourist destination as scores of visitors arrived by steamer ship and the majority of hotel menus appealed to their tastes. Dining in Hawaii in this era meant eating dishes that were popular in Europe, a style of food known as continental cuisine. In Honolulu for example, they’d check in to the Royal Hawaiian Hotel – one of the first hotels built along iconic Waikiki Beach – and be served lamb or chicken likely accompanied by a creamy sauce.

These days Hawaii’s food scene is earning a reputation for more than shave ice and poke, and events like the Hawaii Food & Wine Festival – not to mention local chefs using their national media attention to speak up for Hawaii’s food scene, like Sheldon Simeon – shine a light on the innovative things coming from the state’s top kitchens.

But, how did Hawaii go from ignoring its own ingredients to celebrating them? Here’s a little background for you:

Then Came Along Hawaii Regional Cuisine

Until the early 1990s much of Hawaii’s restaurants focused on ingredients shipped in from outside the islands. Quality local agriculture did exist, of course, and once a dozen chefs banded together to partner with local producers (we’re talking the farmers, ranchers, fishermen and others), Hawaii’s local food scene took off.

These chefs called what they were doing Hawaii Regional Cuisine (HRC), and the twelve chefs include internationally recognized names like Roy Yamaguchi – yep, of those Roy’s restaurants across the country – and Alan Wong. They, along with Chef George Mavrothalassitis – or, Chef Mavro – are currently Hawaii’s only James Beard Award winners.

In Hawaii Regional Cuisine, local ingredients – like fresh tomatoes from Ho Farms on Oahu or sweet Kauai Shrimp from The Garden Island – get the local cooking treatment think Hawaiian, Chinese, Japanese, Filipino, Portuguese, Puerto Rican (to name a few) flavors and cooking techniques.

For example, Peter Merriman of Merriman’s restaurants in Maui, Big Island, Kauai and a new location on Oahu serves a kalua pork and sweet onion quesadilla with house-made kimchee and mango-chili sauce. Or, Chef Bev Gannon’s Hali’imaile General Store on Maui’s pork chop with portuguese sausage and mushroom cornbread. Both chefs, who’ve been around since the 1980s are founders of the Hawaii Regional Cuisine movement.

Like Merriman and Ganon, a handful of HRC’s original chefs are still at it. On Kauai, JO2 by Jean Marie Josselin in Kapaa hosts a daily prix fixe dinner. And on the Big Island, Sam Choy’s Kai Lani restaurant serves breakfast, lunch, and dinner using local greens, beef, and seafood. Mark Ellman still operates several restaurants on Maui, including Mala Ocean Tavern and Honu Seafood & Pizza.

Now There's A New Generation Of Hawaii Chefs

These days the next generation of local chefs are branching out and evolving Hawaii Regional Cuisine by adding their own signature. A few names to watch include Michelle and Wade Ueoka’s (formerly of Alan Wong’s) MW Restaurant in Honolulu where you’ll find pickled local beets with Big Island Goat Cheese or ahi poke with Hamakua mushrooms.

Then there’s Ed Kenney’s restaurants, including Mud Hen Water, located in Honolulu’s burgeoning foodie-centric Kaimuki neighborhood. There, dishes feature greens and produce from Ma’o Organic Farms and beef from Kuahiwi Ranch, among others.

And in the years that Hawaii Regional Cuisine has been doing its thing, evolving consumer tastes – the kind of tastes that wants to know where their food comes from and is interested in unique, local experiences (like the trips we curate around the world) – have helped to ensure that the focus on local eats will stick around.

Now that you know all about Hawaii's food scene, let us help you plan a trip there!


Assista o vídeo: Festival de Comida e Vinho na Disney. Epcot Center (Dezembro 2021).