Receitas tradicionais

Arnold's: esta pequena cozinha campestre vale a pena viajar

Arnold's: esta pequena cozinha campestre vale a pena viajar

Esta pequena cozinha country vale a pena viajar

Por 27 anos, Cozinha country de Arnold tem servido aos clientes a mais tradicional culinária sulista e os negócios cresceram desde então. Os proprietários Jack e Rose Arnold têm trabalhado na cozinha fazendo algumas das melhores comidas de Nashville, que geralmente o deixam empanturrado, mas satisfeito.

Com clássicos como frango frito, rosbife e tomates verdes fritos, Menu de Arnold está longe de ser decepcionante. Outras ótimas opções são o bolo de carne, o creme de milho e o pão de milho. E mesmo que você provavelmente fique totalmente satisfeito com sua refeição, você não pode deixar passar o pudim de pão de banana, que Southern Living chama o melhor pudim de banana que você já vai comer, e o prato ajudou o restaurante a ganhar o prêmio de a Fundação James Beard para os clássicos da América. Venha conferir!


Pela primeira vez em 38 anos, o Arnold's Country Kitchen oferece jantar, bebidas alcoólicas

Um querido restaurante de carne e três em Nashville está em uma nova programação. O Arnold's Country Kitchen agora está servindo jantar quatro noites por semana e o restaurante também adicionou um bar.

Urso-pardo ainda à solta após matar o professor em Calgary e escapar de armadilhas

A causa do ataque fatal permanece desconhecida

Promotor no caso de morte de Wright & # x27s renuncia, citando & # x27vitriol & # x27

Um promotor que estava lidando com o caso contra um ex-policial suburbano de Minneapolis acusado pelo tiroteio fatal de Daunte Wright renunciou na segunda-feira, dizendo que "vitríolo" e "política partidária" dificultaram a busca pela justiça. Imran Ali, chefe assistente da divisão criminal do Gabinete do Procurador do Condado de Washington e # x27s Office e diretor da unidade de crime principal do escritório & # x27s, estava trabalhando no processo contra Kim Potter. O ex-oficial do Brooklyn Center atirou fatalmente em Wright, um motorista negro de 20 anos, em 11 de abril. Ali e o procurador do condado de Washington, Pete Orput, acusaram Potter de homicídio culposo em segundo grau - depois enfrentou intensa pressão de ativistas que protestaram do lado de fora da casa de Orput & # x27s e pediu que fossem apresentadas acusações de homicídio.

De AnúnciosColoque uma bolsa no espelho do carro ao viajar

Brilliant Car Cleaning Hacks que os revendedores locais gostariam que você não soubesse

A doença mental é parte fundamental do apelo de Dylann Roof à sua sentença de morte

Argumentos orais perante o Tribunal de Apelações do Quarto Circuito dos EUA na terça-feira de manhã são um passo importante na jornada de Dylann Roof através do sistema legal para tentar reverter sua pena de morte.

Principais especialistas do Kremlin comemoram a destruição de Journo que enfrenta a execução no ar

PETRAS MALUKAS / AFP via Getty ImagesComo muitos ao redor do mundo ficaram boquiabertos com a indignação que ocorreu na Bielo-Rússia - onde as autoridades derrubaram um jato de passageiros para prender um jornalista - os propagandistas pró-Kremlin estavam nada menos que encantados com o incidente, regozijando-se e comemorando em Moscou. No domingo, as autoridades bielorrussas ordenaram um vôo da Ryanair que decolou de Atenas para pousar em Minsk sob falsos pretextos - um mero pretexto para prender um jornalista a bordo. Roman Protasevich enfrenta a pena de morte depois de ser colocado em uma lista de “terroristas” por suas reportagens sobre a brutalidade policial durante protestos antigovernamentais na Bielo-Rússia no ano passado. “Nunca pensei que teria ciúme da Bielo-Rússia por qualquer motivo. Mas agora estou com ciúme. Muito bem, Batka ”, tuitou Margarita Simonyan, chefe dos veículos de notícias patrocinados pelo estado russo RT e Sputnik, usando o apelido do presidente bielorrusso Alexander Lukashenko. com Vladimir Soloviev, Simonyan dobrou seu apoio às ações do ditador bielorrusso. “Isso foi descarado. Bom trabalho. É assim que deve ser feito. Eu, por exemplo, apoio tais medidas. ” Em resposta a perguntas da mídia, Simonyan tuitou um poema que parecia sugerir que o jornalista "merecia". Quanto ao método usado para prender Protasevich, especialistas da TV estatal disseram que não estão chocados com as táticas de Lukashenko, que descreveram como perfeitamente normais - mas pelas reações do Ocidente. Falando no programa de TV estatal russo 60 Minutes, o cientista político Vladimir Kornilov sugeriu: “Vamos despachar nosso Snowden para férias em Cuba e ver o que acontece então.” Da mesma forma, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, afirmou estar "chocada" não com as ações de Lukashenko, mas com o que ela descreveu como "hipocrisia ocidental" a esse respeito. Yury Afonin, membro da Duma Estatal da Federação Russa, disse em 60 minutos: “Qualquer traidor de seu país - e Protasevich é um traidor e terrorista - será responsabilizado. É inevitável. ” Em outro programa, o cientista político Sergey Mikheyev sugeriu que a Rússia poderia aprender uma ou duas coisas com o incidente da Ryanair. “[Lukashenko] criou um precedente importante para seguirmos ao lidar com essas pessoas.” Margarita Simonyan, da RT, ficou animada com o fato de o jornalista da oposição ter sido capturado de maneira tão descarada. Talvez sem surpresa, já que ela é uma das defensoras mais veementes da ideia de que a Rússia deveria proibir qualquer mídia que não seja de propriedade ou controlada pelo governo. No programa de entrevistas da mídia estatal The Right to Know em fevereiro, Simonyan disse: “Todos os recursos e instrumentos que podem ser usados ​​para influenciar ou alterar a mentalidade das massas e o humor da sociedade precisam ser propriedade de nós, de nosso país.” Ela acrescentou: “O Ocidente está em estado de guerra com a Rússia - uma guerra de sanção no mínimo, guerra de informação, guerra híbrida, etc. E ainda assim eles estão financiando tudo ligado à oposição. Devemos encerrar tudo que é ocidental? Sim, acho que sim. ”Para apagar qualquer noção de adesão aos valores democráticos, Simonyan esclareceu:“ Por que eu veria perigo em limitar a liberdade de expressão quando não acredito na liberdade de expressão? ”Durante o talk show da mídia estatal Na noite com Vladimir Soloviev em março, Simonyan exortou: “Devemos cortar da vida política russa qualquer pessoa que esteja trabalhando por seu dinheiro [ocidental]. Todos. Tem que ser proibido por meio de legislação. Você quer estar na política ou na mídia - e mídia é a mesma coisa que política - você não pode fazer isso, se estiver recebendo pelo menos um dólar de lá. ” Ao mesmo tempo, Simonyan insiste em que o RT e o Sputnik, financiados pelo estado russo, possam funcionar livremente nos países ocidentais. A mídia estatal russa prepara uma guerra "contra o oeste" O presidente russo, Vladimir Putin, não fica muito atrás de Lukashenko em sua busca para silenciar a dissidência e eliminar qualquer cobertura da mídia que ouse questionar seu governo autoritário. Ele afirma falsamente que a própria sobrevivência da Rússia está em perigo, já que o Ocidente está supostamente planejando destruir a nação removendo-o de sua presidência interminável por meios nefastos. O extenso aparato de propaganda do Kremlin é dedicado a pintar os Estados Unidos como um país implacável e onipresente inimigo. No canal de mídia financiado pelo estado Sputnik este mês, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, afirmou sua crença de que a Internet como um todo é secretamente controlada pelo governo dos EUA. "É um poço de cobra assustador", exclamou Zakharova, descrevendo a rede mundial como uma ferramenta de guerra híbrida usada para interferir nos assuntos de nações soberanas. A intenção do governo russo de separar a Internet do país do resto do mundo está sendo retratada para os russos comuns como um conjunto de medidas que estão sendo implementadas para seu próprio bem, em oposição ao verdadeiro beneficiário: o presidente russo Vladimir Putin. A única solução que está sendo proposto pelo Kremlin ao povo russo é a eliminação sistemática da oposição interna, junto com a eliminação da mídia estrangeira que opera dentro das fronteiras da Rússia e a eventual criação da "internet soberana", que operaria separadamente do mundo Wide Web. Os propagandistas do Kremlin estão trabalhando horas extras para convencer os cidadãos de que o que eles realmente querem é menos liberdade, mais opressão, sem pluralidade na mídia e sem mudança no poder. Em outras palavras, uma fórmula infalível para garantir que Putin permaneça presidente por toda a vida. No domingo à noite com Vladimir Soloviev em março, Simonyan de RT fez uma afirmação orwelliana de que o povo russo não está sofrendo de falta de liberdade, mas está insatisfeito com liberdades excessivas. oferecidos pelo governo - e devemos ficar contentes em abandoná-los pelo bem do país. Na noite com Vladimir Soloviev, na terça-feira passada, o legislador russo Oleg Morozov defendeu a prisão de pessoas a torto e a direito, sem se importar com o que o Ocidente poderia dizer ou fazer a respeito. “Há uma guerra de aniquilação sendo travada contra meu país”, afirmou Morozov, enquanto instava as autoridades a reprimir a oposição para evitar um levante. personalidades da mídia estatal afirmam que os russos querem que os oponentes de Putin sejam esmagados de maneira mais violenta. Durante sua transmissão noturna na terça-feira passada, o apresentador da mídia estatal Vladimir Soloviev afirmou: “Nossos liberais estão empurrando o país de volta a 1937 [o ano de terror de Stalin], que seria saudado por um segmento considerável da população. Pode ficar muito sangrento. ” Esta mensagem tem o objetivo não apenas de alimentar os piores instintos das massas, mas também de deter qualquer oposição interna, enquanto a influência externa é sistematicamente extirpada. Descrevendo o efeito da Lei de Registro de Agente Estrangeiro (FARA), Margarita Simonyan afirmou no ano passado que Os repórteres baseados nos Estados Unidos estão sendo “submetidos a terríveis pressões de sua mídia, seus nomes estão sendo publicados, eles estão sendo envergonhados, a influência está sendo exercida sobre seus amigos e suas famílias”. Ela afirmou descaradamente: “Nenhuma pessoa normal poderia gostar de um monopólio na mídia. Esse tipo de monopólio leva a falácias e erros. E quando o assunto em questão se refere à geopolítica e à ordem mundial, falácias e erros podem ser mortais. ”Como Roman Protasevich provavelmente enfrentará tortura nas mãos do regime de Lukashenko & # x27, especialistas e apresentadores de TV estatal russos apontaram com alegria cruel que ele será forçado a fornecer informações sobre supostamente ser financiado por agências de inteligência ocidentais, reforçando ainda mais a ilusão de que qualquer um que se atreva a questionar o governo é um "traidor" financiado por estrangeiros. Leia mais em The Daily Beast. todos os dias. Inscreva-se agora! Daily Beast Membership: Beast Inside vai mais fundo nas histórias que são importantes para você. Saber mais.

Pai de cinco filhos morre de Covid após pular a vacinação

Antwone Rivers, de 39 anos, morreu do novo vírus em 13 de maio, após contraí-lo em abril


Arnold's Country Kitchen Fried Chicken

Se há um lugar que você absolutamente deve visitar em Nashville, é o Arnold’s Country Kitchen, um humilde lugar que traz toda a comunidade para a mesa. Foi fundada pelo nativo da Carolina do Norte Jack Arnold em 1983, seu filho mais velho, Khalil, agora trabalha como chef e está constantemente aprimorando receitas de família, como usar raiz-forte e pó de wasabi para aquecer e um toque de açúcar para realçar a doçura natural de seus nabos . Uma linha se forma fora da longa e estreita estrutura de tijolos muito antes de as portas se abrirem às 10h30. Daquele momento até o fechamento do dia às 14h30, a fila simplesmente não diminui, passando por prateleiras cheias de prateleiras empilhadas com recipientes de comida para viagem de cabeça para baixo esperando para serem preenchidos com os famosos acompanhamentos do restaurante. Tudo no cardápio rotativo - de rosbife com molho de alho e gordura e quiabo guisado a uma diabólica torta de chocolate com pimenta - é incrível, mas viemos pelo frango frito - e não decepcionou. Disponível apenas às segundas-feiras, é o tipo de ave crocante e profundamente gratificante que você pede em grandes quantidades e leva para casa para as sobras. Não há nenhuma razão para que uma comida tão simples tenha um gosto tão bom, mas somos muito gratos por isso.

Buffet ocasional, jantar casual

Receita do curso principal

Consideração dietética Sem amendoim, sem soja, sem nozes

Ingredientes

  • 1 frango inteiro, cortado em 8 ou 10 pedaços
  • Sal kosher e pimenta-do-reino moída na hora
  • 5 ovos grandes
  • ½ xícara de molho picante estilo Louisiana
  • 5 xícaras de farinha multiuso, de preferência da marca White Lily
  • 2 colheres de sopa de sal kosher
  • 1 colher de sopa de pimenta preta moída na hora
  • 1 colher de sopa de pimenta branca moída na hora
  • 1 colher de chá de pimenta caiena
  • 1 colher de chá de alho granulado
  • 1 colher de sopa de tempero de aves
  • Óleo de canola para fritar

Instruções

Tempere o frango: lave o frango em água fria e seque. Coloque o frango em um saco plástico e tempere generosamente com sal e pimenta. Deixe esfriar enquanto faz a lavagem e draga.

Faça a lavagem e draga: Em uma tigela grande, bata os ovos e o molho quente com 4 xícaras de água fria. Leve à geladeira até esfriar, cerca de 30 minutos. Em uma tigela grande, misture a farinha com o sal, a pimenta preta, a pimenta branca, a pimenta caiena, o alho e o tempero de aves. (Se for fazer fígados de frango frito, reserve cerca de 1 ½ xícara da draga.) Encha uma frigideira de ferro fundido de 30 cm com óleo de 5 cm e aqueça a 180 ° C.

Fritar o frango: Retire a lavagem da geladeira e mergulhe o frango na lavagem, passe o frango na mistura de farinha e sacuda o excesso. Deixe o frango descansar em um prato, refrigerado, por 10 minutos, depois pressione novamente o frango na draga de farinha. Forre uma travessa com um guardanapo de pano ou toalhas de papel e reserve. Trabalhando em lotes, coloque o frango na frigideira quente e cozinhe até que a parte de baixo fique dourada, 7 a 8 minutos. Vire o frango e cozinhe até que o outro lado esteja dourado, mais 7 a 8 minutos (alguns dos pedaços menores, como as pernas e asas, serão feitos mais rápido do que os seios ou coxas). Coloque o frango na travessa forrada para escorrer. Tempere com mais sal, se desejar, e sirva quente ou em temperatura ambiente.

Notas

Um rápido mergulho em uma salmoura com molho quente dá um chute no frango frito de Arnold. Embora os Arnolds usem a farinha multiuso da marca White Lily, qualquer marca serve. Também adoramos os fígados de frango frito (servidos no restaurante com molho de cebola), que não poderiam ser mais simples e usam a mesma draga de farinha do frango. Se você estiver fazendo os fígados logo após o frango, use a mistura de farinha que sobrou se você os fizer sozinho (veja a receita), um quarto da receita de draga de farinha é suficiente.


Arnold & # 039s Country Kitchen

O Arnold's Country Kitchen foi inaugurado por Jack e Rose Arnold em Nashville, Tennessee em 1982. Nos anos seguintes, Arnold's foi escrito em publicações como Garden & amp Gun, Maxim, Southern Living, SAVEUR e Bon Apetit - todos os quais compartilham o o mesmo amor por Arnold's quanto pelos habitantes locais em Nashville.

Você também pode ter visto Arnold's em programas de TV como Diner's Drive & amp Dives. Nem é preciso dizer que gostamos de tratar as celebridades como cuidamos de nossos clientes habituais - como uma família.

Isso porque o Arnold's é uma empresa familiar 'mãe e pai'. Em qualquer dia, você pode apostar que encontrará pelo menos três de nós, Arnolds, cozinhando e servindo o pessoal na fila do lado de fora.

O Arnold's Country Kitchen recebeu o prestigioso prêmio James Beard American Classics em 2009. Estamos honrados e honrados por poder servir a tantas pessoas todos os dias - e ainda mais por ter essa paixão reconhecida por outros.


Want Food, Will Travel: 8 pratos sulistas que valem a pena dirigir - ou voar

Carne e três do Arnold's

Fotografia cortesia de Arnold's Country Kitchen

NASHVILLECarne e tresCozinha country de Arnold

Inaugurado por Jack e Rose Arnold em 1982, este local de almoço estilo cafeteria, apenas nos dias de semana, em um edifício de blocos de concreto vermelho brilhante é um solo sagrado para os amantes da culinária country clássica. Os habitantes locais sabem em que dias comer frango frito e garoupa maltratada (segundas e terças-feiras, respectivamente), os viajantes podem planejar com antecedência conferindo o menu online. Nabo, macarrão com queijo, feijão, maçã frita, inhame caramelado, repolho cozido, quiabo guisado, tomate verde frito: como diabos você pode escolher apenas três lados? Chris Chamberlain, escritor de comida e bebida da Nashville Scene, é devoto do frango frito “absolutamente exemplar”. Quanto aos acompanhamentos, ele adora nabos e gosta de colocar o creme de milho sobre os feijões verdes, como sugerido a ele pelo filho de Jack e Rose, Kahlil, que agora dirige o Arnold’s. Erin Byers Murray, editora geral da Estilos de Vida de Nashville e autor de Grits: uma jornada cultural e culinária pelo sul, delira sobre o rosbife. “É fatiado muito fino e empilhado no prato em um emaranhado de fatias suculentas”, diz ela. "Não tenho certeza do que se passa em seus temperos, mas é quase viciante." Em 2009, o mom-and-pop foi nomeado um Clássico da América pela Fundação James Beard. Não admira que os tipos da indústria da música country, trabalhadores da construção e políticos se reúnam aqui.

Onde ficar
404 Hotel | Elegante, sexy e superprivado, este hotel tem exatamente quatro quartos e zero balcões de registro (o check-in é feito pelo código do quarto). Desfrute de amenidades luxuosas (lençóis Sferra, artigos de toalete Malin + Goetz, toalhas e roupões turcos) e, no 404 Kitchen do hotel, uma das maiores e mais elegantes coleções de uísque do estado.

Mais uma mordida
Frango quente no Prince's |
Embora tenha muitos imitadores, Prince's reivindica o pássaro original de Nashville que queima a boca. Experimente o quarto de asa de peito quente ou “XHot” e um lado refrescante da salada de batata ou salada de repolho. Qualquer coisa mais quente, coloque o corpo de bombeiros na discagem rápida.

Queime
Natchez Trace Parkway | A famosa trilha de 444 milhas começa em Nashville, perto do Loveless Cafe. Pegue um biscoito e uma bicicleta, disponíveis na Trace Bikes, e pedale o quanto quiser.

Outra Carne e Três para Experimentar
Prato vegetariano no Bully’s Restaurant, Jackson | Neste amado café de comida soul administrado por Tyrone Bully e sua família desde 1982, pule a carne e construa um prato com quatro lados incríveis. Este restaurante, outro clássico americano da James Beard Foundation, cozinha três tipos diferentes de verduras do sul todos os dias. Não perca a couve ou o macarrão com queijo e reserve espaço para o bolo de amora-preta. 601-362-0484

Peixe Amandina do Golfo de Brennan

Fotografia cortesia de Brennan's

NOVA ORLEANSPeixe do golfo amandineDe Brennan

Quando o recém-reformado Grande Dame do French Quarter abriu suas portas há quatro anos, seu amandine atualizado foi um sucesso instantâneo. Esqueça o peixe frito à moda antiga saturado em manteiga marrom e coberto com amêndoas fatiadas de qualidade de mercearia - que era o prato preferido dos netos-mères agarrados a pérolas do passado. Nesta opulenta sala de jantar de couro verde tufado, estofamento rosa brilhante e bananas flamejantes Foster, o novo amandine de Brennan exala um toque moderno. Uma placa estelar de peixes do Golfo (dependendo da disponibilidade, pode ser pampo, casca de ovelha, peixe vermelho ou truta salpicada) repousa em um banho espumoso de creme rico, com um cassoulet de haricots verts escaldados, tenras batatas Kennebec e amêndoas Marcona no lado. Se o peixe é a diva, o molho é o coro: um amálgama assustador de creme e manteiga marrom, com notas de limão em conserva e fresco e um toque de tomilho. Não é de admirar que o crítico de restaurantes de longa data de New Orleans, Brett Anderson e Los Angeles Times o crítico de restaurantes Bill Addison escolheu o amandine como um prato essencial do Big Easy. Em uma cidade repleta de restaurantes fabulosos, o Brennan's continua sendo um showboat inafundável.

Onde ficar
Casa internacional | Com seus lustres de ferro forjado, impressionante arte contemporânea e excelente bar de coquetéis, este hotel boutique é uma delícia. Fica a apenas duas quadras do barulhento French Quarter, mas é tão silencioso que você nunca vai saber.

Mais uma mordida
Curry de cabra no Compere Lapin | A chef Nina Compton (que foi eleita a melhor chef do Sul em 2017 pela James Beard Foundation) presta homenagem às suas raízes caribenhas neste atordoante Warehouse District. Experimente o curry de cabra com nhoque de batata-doce, combinado com abóbora jerk butternut. Quando o chef famoso e vencedor duplo do James Beard, Alon Shaya, não está em seu restaurante na Magazine Street, o Saba, você pode localizá-lo aqui.

Queime
The Warehouse District | Explore este bairro agitado a pé ou por meio do programa de compartilhamento Blue Bikes. É o lar de pequenas galerias (Arthur Roger, Jonathan Ferrara), grandes museus (The Ogden, Museu Nacional da Segunda Guerra Mundial) e alguns dos restaurantes mais confiáveis ​​da cidade (Peche, Herbsaint, Meril).

Outro prato de frutos do mar para experimentar
Camarão frito em Doc's Seafood, Orange Beach, Alabama | Você pode revirar os olhos ao ver a placa fanfarronada em frente a esta cabana de frutos do mar: “O melhor camarão frito em todo o mundo civilizado”. Todo o cinismo desaparecerá quando você cavar em uma pilha de camarões incrivelmente frescos e delicadamente empanados. Os crustáceos locais podem ser pequenos, mas são ricos em sabor doce e salgado. O prato vem com filhotes Hush e uma batata assada ou batata frita.

Hambúrguer cubano de El Mago de las Fritas

Fotografia por Libby Vision

MIAMIHambúrguer cubanoEl Mago de las Fritas

Imagine um hambúrguer temperado como chouriço e frito na grelha, coberto com flocos de batata crocantes, um ovo mole e uma fatia de queijo americano. Agora imagine esta bagunça caliente em um macio pão cubano branco. Isso, meus amigos, é uma frita, também conhecida como hambúrguer cubano. E de acordo com Carlos Frias, o Miami HeraldEditor de comida e jantares, a melhor frita de Little Havana é a do septuagenário Ortelio Cardenas. Um mágico da grelha, Cárdenas frita seus próprios papitas o dia todo - nada de palitos de batata enlatados aqui! Mas ele não é um esnobe gastronômico: ele tem a audácia de colocar uma fatia de queijo processado no clássico consagrado pelo tempo. “Não é tradicional, mas dá sua própria adição cremosa”, diz Frias, acrescentando que o hambúrguer fica melhor quando preparado com um jato de ketchup e um toque de molho picante Crystal. Reserve um avião, dirija nove ou dez horas, o que for preciso para chegar a este buraco simples na parede da Calle Ocho. Como Frias escreveu uma vez no Arauto: “Uma cerveja e uma frita ajudam muito a encontrar a iluminação.”

Onde ficar
The Vagabond Hotel Miami
| Do lado de fora, esta propriedade renovada dos anos 1950 parece o cenário de um filme do Rat Pack, enquanto o interior parece pronto para os Jetsons. Pense em coquetéis e festas dançantes à beira da piscina e na decoração peculiar da Era Espacial nos quartos.

Mais uma mordida
Pho hai san em Phuc Yea | Como a própria Miami, esta sopa de macarrão Viet-Cajun é quente, picante e exuberante. Camarão da Flórida, rabo de lagosta, linguiça andouille e linguiça vietnamita (cha lua) são mergulhados em um caldo de abacaxi, tamarindo e caranguejo e coberto com ervas e brotos de feijão. Adicione doses de hoisin e sriracha e beba. Você saberá instantaneamente por que o chef Cesar Zapata e seu parceiro, Ani Meinhold, prepararam um dos lugares mais quentes do Biscayne Boulevard.

Queime
Fairchild Tropical Botanic Garden | Passe algumas horas perambulando por este destino exuberante ao sul da cidade. Com foco em plantas tropicais, o jardim abriga a maior coleção de palmeiras vivas e cicadáceas do mundo.

Outro hambúrguer para experimentar
Royale com queijo no Poole’s Diner, Raleigh
| Para preparar seu hambúrguer aberto de parar o show, a chef Ashley Christensen pega 300 gramas de músculo mandril com crosta de pimenta Tellicherry, grava em gordura de pato, coloca em uma fatia de brioche torrado amanteigado e cobre com "prato de queijo digno queijo." Os comensais são incentivados a abrir um buraco no hambúrguer gigante, despejar o caldo de chalota de boi que chega em uma jarra minúscula e comê-lo com um garfo.

Foie gras e grãos do The Grey

SAVANAFoie gras e grãosO cinza

Em 2014, Mashama Bailey deixou o célebre Prune de Nova York e se mudou para Savannah, a cidade onde frequentou a escola primária. Desde então, ela fez da comida e da história local da área um trampolim para experimentações destemidas com receitas antigas e novas. Este prato, que você jantará no esplendor art déco do outrora segregado terminal de ônibus Greyhound de Savannah, transforma um alimento básico da culinária do sul do país em uma tigela de puro luxo. Começa com grãos amarelos Geechee Boy Mill da vizinha Ilha de Edisto, então dá uma guinada decididamente na parte alta da cidade com a adição de um pedaço brilhante de foie gras tostado e uma generosa concha de caldo de pato elegante, vinho tinto e redução de chalota. Bailey adiciona uma garoa viva e intrigante de frutas mostarda que muda com as estações (melancia e pêssego no verão, muscadine e maçã no outono). Assim que o prato chegou ao seu cardápio em 2016, causou sensação, e acabou ganhando uma participação especial em um segmento da Netflix's Mesa do Chef. Agora que Bailey levou para casa o Prêmio James Beard 2019 de Melhor Chef: Sudeste, este prato de conforto sofisticado é lenda.

Onde ficar
Alida | Alida Harper Fowlkes foi uma empresária do século XX que trabalhou incansavelmente para preservar a arquitetura de Savannah. Seu hotel homônimo no bairro emergente de Riverfront busca imitar seu espírito inovador e local com decoração industrial bacana e itens feitos em Savannah em toda a propriedade.

Mais uma mordida
Tacos de peixe em folha de bananeira no Wyld Dock Bar
| Empoleirado nos pântanos nos arredores da cidade, esta agitada cabana de frutos do mar com muitos lugares para sentar ao ar livre é o lugar ideal para ancorar por uma tarde. Faça seus próprios tacos de peixe cozido no vapor em folha de bananeira, geleia de tomate picante e chimichurri com endro de manjericão. (O peixe está tão fresco que você poderá ver um chef limpando-o quando você chegar.)

Queime
Genteel & amp Bard Ghost Encounter | Afaste essas calorias com um tour arrepiante liderado pela equipe de marido e mulher T.C. e Brenna Michaels. Passeie por cemitérios históricos, explore hotéis mal-assombrados e pare em becos esquecidos para ouvir as histórias de fantasmas de Savannah.

Outro prato de grãos para experimentar
Churrasco de camarão e grãos no Hog & amp Hominy, Memphis | Seus olhos podem rolar para trás quando você tentar este padrão Lowcountry com um chute de Memphis. Camarão do Golfo é mergulhado em um forte molho barbecue e servido sobre deliciosos grãos Geechee Boy Mill. É um passeio de alegria em várias camadas de texturas contrastantes: camarão firme, grãos cremosos e bacon crocante, tudo coberto com cebolinha picante.

Prato de porco inteiro puxado de Buxton Hall

Fotografia de Andrew Thomas Lee

ASHEVILLEPrato de porco inteiro puxadoBuxton Hall

Quando você come o porco picante e temperado com vinagre de Buxton Hall, você está experimentando o produto da fascinação de um chef de cozinha por fumaça e carvão. Elliott Moss, o mestre da equipe neste restaurante industrial descolado, aprendeu a arte do churrasco de porco quando criança, crescendo em Florence, Carolina do Sul. Seu pai e seu avô, ambos soldadores, construíram seus próprios cozinheiros para porcos e passaram longos dias fumando carne no estilo de seus vizinhos do leste da Carolina do Norte. Quaisquer preconceitos regionais de churrasco que você traga para a mesa desaparecerão com uma única mordida do porco celestial fumado lentamente de Moss. Ele massageia seu porco desfiado recém-saído do fogo com restos de gordura de porco e um molho de vinagre, pimenta vermelha e preta e suco de limão - como se estivesse jogando uma salada. O prato vem com uma pilha de sete onças de carne de porco, pickles de pão com manteiga, filhotes de cachorro quente e dois lados. Vá com o feijão verde (cozido sob o porco para pegar os sucos) e o pântano de galinha, um arroz pilaf da Carolina do Sul feito com caldo rico e linguiça kielbasa do mesmo fazendeiro que abastece Buxton seus porcos. Uma fatia da pecaminosa torta de pudim de banana do chef confeiteiro Ashley Capps deve acabar com você.

Onde ficar
Windsor Boutique Hotel
| Já que você está aqui pela comida, considere se hospedar nesta propriedade com localização central. Suas suítes de luxo irão colocá-lo perto dos melhores restaurantes da cidade e do South Slope Brewing District (lar de Green Man, Twin Leaf e oito outras destilarias).

Mais uma mordida
Variedade de tapas no Cúrate | Katie Button, indicada por James Beard, e seu marido espanhol, Félix Meana, querem que você coma tapas como se estivesse na sua pátria. Crie sua própria propagação a partir do menu simples e rústico de Button. As opções incluem polvo à galega com purê de ouro Yukon, peixes e amêijoas na salsa verde e porco ibérico grelhado com ervas. Caroline Campion, uma ex- Saveur editora e autora de livros de receitas que mora em Nova Jersey, admite que, quando viajou para Asheville e comeu no Cúrate, devorou ​​a carne de porco com os dedos "como uma mulher das cavernas".

Queime
Joyryder | Inscreva-se para uma aula de ciclismo baseada em ritmo neste estúdio spin na histórica Biltmore Village, próximo à propriedade histórica. Enquanto pedala, você fará um treino para a parte superior do corpo com pequenos pesos.

Outro prato de churrasco para experimentar
Sanduíche de carne de porco no Helen’s Bar-B-Q, Brownsville, Tennessee | No mundo dominado pelos homens do churrasco do sul, Helen Turner é um verdadeiro tesouro. Seu generoso sanduíche de carne de porco é feito com pedaços macios e crocantes de ombro defumado picado e temperado com salada de repolho cremosa e molho de churrasco adocicado. É uma bagunça celestial esperando para acontecer. 731-779-3255

Filé mignon dos ossos

Fotografia cortesia de Bones

ATLANTAFilet mignonOssos

Na pressa em reconhecer a comida que abre fronteiras culinárias, muitas vezes ignoramos os clássicos. Cada detalhe de Bones - a atmosfera de clube, a coreografia de garçons em jaquetas bege claras, os martinis gelados servidos ao lado da mesa - lembra a você que é uma instituição. Pergunte ao seu garçom por quanto tempo ele trabalhou para o Bones, e há uma boa chance de que ele lhe diga que há mais de trinta anos (o restaurante foi inaugurado em 1979). Pergunte a ele o melhor bife da casa, e ele provavelmente irá sugerir o ribeye com osso envelhecido e seco de oitenta onças, para dar sabor, ou um filé mignon, para ter mais maciez. (Por US $ 46, o filé de 250 g é mais fácil na carteira do que o lombo de US $ 60.) Uma refeição perfeita no Bones começa com anéis gordurosos de cebola doce, que chegam com uma garrafa de molho de bife da casa para mergulhar. Em seguida, vem o filé, servido em uma poça amanteigada de jus, com a crosta bem tostada e o interior rosa choque. E, claro, os acompanhamentos necessários: lanças de aspargos grelhados e uma batata cozida incrustada com sal marinho do tamanho de uma pequena caçarola, borbulhando com cheddar derretido e creme de leite, salpicada com cubos de bacon esfumaçado e cebolinha. Você tem permissão para pular a sobremesa. Quase sem respirar, passeie pelas caricaturas de celebridades, pelas elegantes portas duplas da frente, até o manobrista com seu mascote canino. Por mais sobrecarregado que você esteja, não é muito cedo para começar a planejar sua próxima viagem a Bones.

Onde ficar
Hotel Clermont
| Recentemente restaurado, esta propriedade boutique é peculiar e confortável, com (bônus!) Um restaurante francês muito bom, o Tiny Lou's, no andar de baixo. Idealmente situado para um dia a explorar, o hotel está perto de atracções como o Parque Histórico Nacional Martin Luther King Jr., o Centro Carter e os mercados de Ponce City e Krog Street. Vantagem adicional: os hóspedes são recebidos com um PBR frio grátis no check-in, um tributo à destreza esmagadora da notória dançarina exótica Blondie, que trabalha no lendário lounge no andar de baixo.

Mais uma mordida
Ostras e coquetéis no Kimball House | The bar program at this train depot-turned-restaurant is a two-time James Beard finalist. Thanks to partner and oyster steward Bryan Rackley, the accompanying bivalves are also celebrated. Order a platter of Murder Points from Alabama, paired with the restaurant’s namesake cocktail: a gin-based quencher with French vermouth, Cocchi Americano, and orange bitters. There’s no happier happy hour.

Burn It Off
The BeltLine’s Westside Trail | Explore this three-mile trail, where you’ll find the so-called Malt Disney of Atlanta—a handful of breweries, distilleries, and pubs, including Monday Night Brewing Garage, Wild Heaven, and ASW Distillery. Not as populated as the BeltLine’s eastern stretch, it’s still a bit of a secret—but won’t be for long.

Another Steak to Try
Porterhouse at Doe’s Eat Place, Greenville, Mississippi | Get yourself a platter-sized hunk of beef with hand-cut fries and the restaurant’s famous olive oil, garlic, and lemon tossed salad. “It’s worth gassing up the Pacer for,” says Southern Foodways Alliance Director John T. Edge. Served in a puddle of pan juices, the porterhouse is a charry beast of a steak. Wrestle one down, and you’ll see why the James Beard Foundation declared this quirky Delta joint an American Classic.

Lowcountry hash browns from Marina Variety Store

Photograph by Mac Kilduff

CHARLESTONLowcountry hash brownsMarina Variety Store

Sidling up to the bar of this local gathering spot on a Sunday morning, a woman orders a Bloody Mary. “Keep the tab open,” she calls to the bartender. “My husband is parking the boat.” Whether arriving by land or by sea, you can’t help but be charmed by this out-of-the-way, 1960s-era diner by the Ashley River, with watercolor-worthy views of the tip of the historic peninsula. Breakfast here could mean fried flounder with eggs, crab Benedict, or shrimp and grits. It could even mean a plate of alligator ’n’ grits. Mas Charleston Post & Courier dining critic Hanna Raskin says forget the grits altogether—go for the spuds. A pile of shredded and griddled potatoes with crispy bits is decked out with sauteed peppers and onions, tender shrimp, eggs your way, plus hollandaise. “Hash browns aren’t necessarily the breakfast starch associated with a region reared on eggs-and-rice in the morning, but Marina Variety Store puts a Lowcountry stamp on the dish by blitzing it with tender shrimp,” she says. “Although—or perhaps because—tourists never seem to find their way to Marina, it’s beloved by locals.”

Onde ficar
The Dewberry | A drab federal building from the sixties has been transformed into a modern downtown hotel with a destination spa, noteworthy restaurant (Henrietta’s), and the Living Room—a cocktail lounge that was a 2018 James Beard semifinalist.

One More Bite
Holy Diver Pizza at the Obstinate Daughter | Hop on a blue leather barstool in this stylish restaurant above a Sullivan’s Island gelateria, and let James Beard semifinalist Jacques Larson wow you with his Lowcountry-Italian fare. The Holy Diver pie is a knockout: spicy tomato sauce, Clammer Dave’s cultured clams from Caper’s Island, chorizo, roasted fennel, and aromatic basil and parsley. It’s almost worth a swim across Charleston Harbor.

Burn It Off
Sullivan’s Island
| While you’re on Sullivan’s Island, save time for a beachside stroll, taking in gorgeous homes on one side and crashing surf on the other. Prefer to work up more of a sweat? Biking and running are nice options, too bicycle rentals are available at Carolina Bike & Beach’s Isle of Palms location.

Another Breakfast to Try
Duck-confit biscuit at Kenny’s Southside Sandwiches, Chattanooga | Georgia-born chef Kenny Burnap merges his Southern roots with his fine-dining background (he cut his culinary teeth at Chattanooga’s high-end St. John’s) to create this totally original breakfast sammie: rich, unctuous duck confit stacked on a biscuit and topped with house-made strawberry jam.

Coconut cake from Highlands Bar & Grill

Photograph by Iain Bagwell

BIRMINGHAMBolo de cocoHighlands Bar & Grill

Dolester Miles grew up in Bessemer, Alabama, making Southern layer cakes with her mother and aunt using only a hand mixer. In 1982, she began her career working with Birmingham wünderchef Frank Stitt, helping him open his elegant Parisian-style restaurant, Highlands Bar & Grill. Today, Miles is one of America’s best bakers: In 2018, she won the James Beard Award for Outstanding Pastry Chef. Her famous coconut cake is actually a descendant of her mother’s German chocolate cake, minus the chocolate. For the two-layer showstopper (also available at Bottega and Chez Fonfon, both owned by Stitt), she sprinkles finely chopped pecans and everything coconut she can find into the batter—coconut extract, coconut milk, cream of coconut. She spreads a swath of cooked coconut and condensed-milk frosting between the layers, covering it all with whipped-cream icing and a heavy dusting of toasted coconut flakes. Plated with rich crème anglaise, the dessert is absolutely worth building a vacation around, especially when paired with a glass of Plantation Original Dark rum from Trinidad and Tobago. Bonus: You can bring home a whole “souvenir” cake for $83.

Onde ficar
Elyton Hotel | This ornate hotel has preserved many of its original 1909 touches, such as marble stairs, a brass letter box, and the architects’ bas-relief visages on the uppermost corners of the terracotta exterior. Rooms are bright and modern, and the rooftop bar is not to be missed.

One More Bite
Special Dog at Gus’s downtown | During the seventies, you could spot a Greek-owned hot dog stand on nearly every corner of downtown Birmingham. Today, Gus’s is the only one that remains, and its Special Dog might be the reason why. Loaded with mustard, onions, sauerkraut, ground beef, and the proprietary sweet-tangy tomato-based “Birmingham sauce,” it’s the best $2.50 lunch in town.

Burn It Off
Sloss Furnaces
| Spend a few hours roaming what was once the world’s largest manufacturer of pig iron, now a National Historic Landmark with a thirty-two-acre park. This warren of buildings features an eye-popping Industrial Revolution–era assemblage of pipes and stoves, with a free museum and metalworking workshops.

Another Dessert to Try
Persimmon pudding at Crook’s Corner, Chapel Hill | A holdover from the days of Crook’s Corner’s late, great founding chef, Bill Neal, this autumnal pudding is fragrant with spice. Its center is fluffy like soufflé, while its edges are buttery, crispy, and brown. This heritage dessert, made with locally foraged fruit and served warm with a cooling mountain of whipped cream, is the genuine article—more than worth a trip to this thirty-seven-year-old Southern icon.

This article appears in the Fall/Winter 2019 emissão de Southbound .


Mais Informações

What's the best thing about going to Grandma's for Christmas Dinner? Seeing Grandma is great, of course, but eating her home cooked food is a close second. Arnold's Restaurant in Nashville is a lot like a trip to Grandma's, which is what Rob Wilds found out when he visited Arnolds, which has been a Music City favorite for more than 35 years.

Rob Wilds has been a part of the Tennessee Crossroads family since 1993. As one of our most frequent producers, and the recipient of several journalism awards throughout his various careers, Rob finds that the best reward for his work is meeting the fascinating people and visiting the interesting places he encounters in his travels. A presence in television, radio and print reporter for more than 20 years, Rob is a teacher, writer, producer and director as well as an actor (with appearances in feature films, television shows and on stage).


Restaurantes

Though Nashville may be called Music City, when it comes to Diners, Drive-Ins and Dives, the food options are right in tune. Over the show’s many seasons, Guy Fieri has visited Tennessee countless times, often stopping through Nashville to feast on Southern classics, burgers, Jamaican dishes and classic meat-and-three fare. There are many beloved restaurants in the greater Nashville, Franklin and Hendersonville areas that Guy Fieri has visited on Diners, Drive-Ins and Dives.

Tennessee is legendary for its barbecue restaurants, including whole hogs and exceptional pulled pork. Guy stopped by Martin's Bar-B-Que Joint, just outside Nashville, for pulled pork sliders that wowed him with their flavor and moistness. (The restaurant is also beloved for its fried bologna sandwiches.) Center Point Pit Barbecue, in nearby Hendersonville, is the place to go if you love ham. Owner Robert Duke smokes his pork until it is as dark as the smoker. Guy went for the holiday ham, learning that it’s a one-of-a-kind dish. Brined for four days, then smoked for six hours, it’s sugar-sprinkled and bruleed, creating a candy-like exterior that Guy declared to be ham brittle, and raved about.

Restaurants like 55 South, in Franklin, draw crowds for fabulous Southern fare, including Nashville's legendary hot chicken and a dish of char-grilled oysters that had an alluring "wood-smoke" component that earned raves from Guy.

One Tennessee must-try — or should we say three — is the meat-and-three platter. Diners choose their main, which could be chicken-fried steak, fried chicken, meatloaf, brisket, pot roast, fried catfish, chicken and dumplings or other hearty mains, then choose three sides, like macaroni and cheese, collard greens, succotash and more. One of the indisputably best places to try meat and three is Arnold’s Country Kitchen, a legendary family-run spot in Nashville. Guy stopped in and feasted on chicken and dumplings with a side of turnip greens, and quickly understood the hype.

At Athens Family Restaurant on Franklin Pike, there's a fitting Greek spin on diner classics, including soups, salads and burgers. Guy devoured the hefty bacon-lamb burger, which is seasoned with "love spice," and enjoyed a chicken turnover that was a delight for the egg-averse Guy.


Review: Arnold's Country Kitchen

Condé Nast Traveler does not provide medical advice, diagnosis, or treatment. Any information published by Condé Nast Traveler is not intended as a substitute for medical advice, and you should not take any action before consulting with a healthcare professional.

© 2021 Condé Nast. Todos os direitos reservados. O uso deste site constitui aceitação de nosso Acordo de Usuário e Política de Privacidade e Declaração de Cookies e Seus Direitos de Privacidade na Califórnia. Condé Nast Traveller pode ganhar uma parte das vendas de produtos que são comprados por meio de nosso site como parte de nossas parcerias de afiliados com varejistas. O material neste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido, armazenado em cache ou usado de outra forma, exceto com a permissão prévia por escrito da Condé Nast. Ad Choices


Arnold's Country Kitchen expanding to weekends to survive, thrive during the pandemic

NASHVILLE, Tenn. (WTVF) — The well-known Nashville restaurant, Arnold’s Country Kitchen, is expanding to weekends, and getting their liquor license, as they fight to stay afloat during the COVID-19 pandemic.

Owner Kahlil Arnold said they’re making some changes so that they can adapt to the new normal

"It’s been a crazy ride. We’re still worried," Arnold said. "We’re going to do Friday night, Saturday day, and Saturday night, and then the next step will probably be a brunch, and then if all else goes well, Thursday night."

Arnold said the meat and three is getting a liquor license too.

"I know how to order at a bar a jack and coke, or a whiskey soda with a lime, but as far as making drinks, I’m kind of clueless," Arnold jokingly admitted.

He said his friends will help, and the pandemic made him do it.

"I kind of held off for a lot of reasons. I mean honestly, one I have a daughter at Father Ryan I wanted to wait until she graduated, she’s a senior, so I kind of wanted to be able to watch her play soccer, I wanted to be able to kind of go check that out and two, this kind of forced our hand, before we planned on it," he said.

Hopefully, more hours will bring in more money." We got all these taxes to pay, we’re actually busy today, but it’s up and down. One day you can be 40% to 50% down, the next you can be 70% down, you don’t know what your sales are from day to day."

Arnold said more people are eating lunch at home right now since some companies are still remote due to COVID-19 concerns. That's why it's time to launch a dinner menu, and bring the restaurant a breath of new life. "I mean who wouldn’t want an Arnold cheeseburger right? I mean Arnold’s cheeseburger at night, it’s going to be great."

Governor Bill Lee announced his small business relief program at Arnold's Country Kitchen. Kahlil said he’s not sure if they will get it or not, but the deadline to certify is September 25.

As Middle Tennessee works to rebound from the impact of the Coronavirus, we want to help. Whether it's getting back to work, making ends meet during this uncertain time, or managing the pressure, we're committed to finding solution. In addition, we want to tell your stories of hope, inspiration, and creativity as Middle Tennessee starts to rebound.


Biscuits and Gravy

There’s nothing more satisfying than biting into a warm, moist biscuit, but when you top those biscuits with gravy, the flavor becomes even more intense. You can enjoy biscuits and gravy for breakfast or with your supper as long as biscuits are part of your meal, you know you’re eating in true Southern style. When in Nashville, be sure to visit Biscuit Love where you can find buttermilk biscuits that melt in your mouth they even come with different toppings like peanut butter and jelly.


Assista o vídeo: TOUR PELA MINHA COZINHA PEQUENA DE 4,60 m2 (Outubro 2021).