Receitas tradicionais

Os americanos se importam com a produção de sua carne?

Os americanos se importam com a produção de sua carne?

Uma pesquisa feita por uma empresa de caldo de osso tenta responder a essa pergunta

A pesquisa mostrou, entre outras coisas, que a maioria dos entrevistados estava preocupada com produtos de origem animal criados de maneira humana

Em 1906, o escritor Upton Sinclair revolucionou a indústria americana de frigoríficos com sua exposição A selva. Este romance monumental revelou a um público americano, em grande parte desavisado, as péssimas condições de trabalho na indústria de frigoríficos. A sujeira de Sinclair levou à passagem do Lei de Inspeção de Carne naquele mesmo ano - uma das reformas de saneamento alimentar mais abrangentes até hoje. Nos anos mais recentes, uma série de filmes e livros, entre eles Food Inc., Fábrica de Animais, e A corrente, questionaram as condições em que o gado americano é criado, abatido e processado.

Mas os americanos realmente se preocupam com a forma como sua carne é criada? Uma pesquisa realizada por Chaleira e fogo, uma empresa de caldo de osso orgânico, fornece algumas respostas: Fora do 2.038 mulheres e homens pesquisados, 85 por cento das mulheres e 70 por cento dos homens disseram que às vezes ou frequentemente se preocupam com a forma como o gado é criado. Quando questionadas se rotular a carne como “criada de forma humana” afetou as decisões de compra, no entanto, 66% das mulheres responderam às vezes ou com frequência, em comparação com apenas 46% dos homens. A pesquisa também descobriu que 64 por cento dos entrevistados estavam dispostos a pagar até 10 por cento a mais por alimentos criados de forma humana, mas quando se tratava de comer fora, 54 por cento afirmaram que nunca escolheram comer em um restaurante com base em sua decisão de servir alimentos criados de forma humana. Comida.

A pesquisa mostrou, entre outras coisas, que a maioria dos entrevistados estava preocupada com produtos de origem animal criados por humanos. Uma pergunta sobre quais questões de bem-estar do gado eram mais incômodas revelou que o acesso ao exterior, uso de antibiótico, e enjaulamento eram as mais preocupantes. O fato de que mais de 50 por cento dos homens e mulheres americanos estão preocupados com a forma como o gado é criado é uma prova de nossos esforços contínuos em direção a mais sistema alimentar humano.


10 principais motivos para não comer porcos

Atenção, compradores: parem de comprar & # 8220Babes & # 8221 e & # 8220Wilburs & # 8221 mortos no supermercado! Aqui estão nossos 10 principais motivos para manter a carne de porco longe do seu garfo e colocar alternativas deliciosas sem leite em sua lista de compras.

1. Porking You Up Up
É um fato - presunto, salsicha e tiras de bacon vão direto para seus quadris. Comer produtos de porco, que são carregados com colesterol e gordura saturada que obstruem as artérias, é uma boa maneira de aumentar sua cintura e aumentar suas chances de desenvolver doenças mortais, como doenças cardíacas, diabetes, artrite, osteoporose, Alzheimer, asma e impotência. A pesquisa mostrou que os vegetarianos têm 50 por cento menos probabilidade de desenvolver doenças cardíacas e 40 por cento da taxa de câncer de comedores de carne. Além disso, os carnívoros têm nove vezes mais probabilidade de serem obesos do que os vegetarianos puros.

2. Os porcos também têm sentimentos
Noventa e sete por cento dos porcos nos Estados Unidos hoje são criados em fazendas industriais, onde nunca correrão por pastagens extensas, tomarão sol, respirarão ar puro ou farão qualquer outra coisa que lhes seja natural. Aglomerados em armazéns sem nada para fazer e para onde ir, eles são mantidos em uma dieta constante de drogas para mantê-los vivos e fazê-los crescer mais rápido, mas as drogas fazem com que muitos dos animais fiquem aleijados sob seu próprio peso.

3. Porcos e Playstations

Você acha que pode jogar melhor do que um porco no Playstation? Você pode se surpreender. De acordo com pesquisas, os porcos são muito mais espertos do que os cães e se saem ainda melhor com videogames do que alguns primatas. Na verdade, os porcos são animais extremamente inteligentes, que formam redes sociais complexas e têm excelentes memórias. Comer um porco é como comer seu cachorro! Como disse o ator Cameron Diaz após ouvir que os porcos têm a capacidade mental de um ser humano de 3 anos: “[Comer bacon é] como comer minha sobrinha!”

Aprenda mais fatos fascinantes e leia histórias inspiradoras sobre porcos e outros animais no livro mais vendido Espécie animal.

4. Porcos preferem lama, não crude
Os porcos são, na verdade, animais muito limpos. Se lhes for dado espaço suficiente, os porcos têm o cuidado de não sujar as áreas onde dormem ou comem. E esqueça o ditado bobo & # 8220 suando como um porco & # 8221 - os porcos não podem nem suar! É por isso que eles se banham em água ou lama para se refrescar. Mas em fazendas industriais, eles são forçados a viver em suas próprias fezes e vômitos e até mesmo em meio aos cadáveres de outros porcos. As condições são tão sujas que, a qualquer momento, mais de um quarto dos porcos sofre de sarna - pense em seu pior caso de hera venenosa e imagine ter de sofrer com ela pelo resto da vida.

5. Valores da Família Agrícola
As fazendas industriais são um verdadeiro inferno para porcos e seus bebês. As mães porcas passam a maior parte de suas vidas em minúsculas caixas & # 8220gestation & # 8221, que são tão pequenas que os animais são incapazes de se virar ou mesmo deitar-se confortavelmente. Eles são repetidamente impregnados até serem abatidos. Os leitões, que são tirados de suas mães perturbadas depois de apenas algumas semanas, têm suas caudas cortadas, seus dentes são cortados com um alicate e os machos são castrados - tudo sem analgésicos.

6. O estrume está soprando no vento ...
Uma fazenda de porcos com 5.000 animais produz tantos resíduos fecais quanto uma cidade de 50.000 habitantes. Em 1995, 25 milhões de galões de urina e fezes pútridas de porco foram derramados em um rio da Carolina do Norte, matando imediatamente entre 10 e 14 milhões de peixes. Para contornar os limites de poluição da água, as fazendas industriais freqüentemente pegam as toneladas de urina e fezes armazenadas em fossas e as transformam em resíduos líquidos que borrifam no ar. Esta névoa cheia de estrume é levada pelo vento e inalada pelas pessoas que vivem nas proximidades.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacon carregado de bactérias e presunto nocivo
Condições extremamente superlotadas, ventilação insuficiente e sujeira em fazendas industriais causam doenças tão generalizadas em porcos que 70% deles têm pneumonia no momento em que são enviados para o matadouro. Para manter os porcos vivos em condições que, de outra forma, os matariam e para promover um crescimento anormalmente rápido, a indústria mantém os porcos com uma dieta constante de antibióticos dos quais dependemos para tratar doenças humanas. Esse uso excessivo de antibióticos levou ao desenvolvimento de & # 8220 superbactérias & # 8221 ou cepas bacterianas resistentes a antibióticos. O presunto, bacon e salsicha que você está comendo podem tornar os medicamentos que seu médico receitará na próxima vez que você adoecer completamente ineficazes.

8. Hell on Wheels
Mais de 170.000 porcos morrem no transporte a cada ano, e mais de 420.000 ficam aleijados quando chegam ao matadouro. Caminhões de transporte, que carregam porcos por centenas de quilômetros em todos os extremos climáticos, sem comida ou água, regularmente tombam, jogando animais feridos e moribundos na estrada. Esses animais aterrorizados e feridos raramente recebem cuidados veterinários, e a maioria padece de dor por horas, alguns até sangram até a morte na beira da estrada. Após um acidente em abril de 2005, o porta-voz da Smithfield, Jerry Hostetter, disse a um repórter: & # 8220Odeio admitir, mas isso acontece o tempo todo. & # 8221

9. Matá-los comFora Gentileza
Um matadouro típico mata até 1.100 porcos a cada hora, o que torna impossível para eles uma morte humana e indolor. O Departamento de Agricultura dos EUA documentou 14 violações de abate humanitário em uma planta de processamento, onde os inspetores encontraram porcos que andavam e gritavam depois de serem atordoados [com uma arma de choque] até quatro vezes. & # 8221 Por causa de métodos de atordoamento inadequados e velocidades de linha extremamente rápidas, muitos porcos ainda estão vivos quando são despejados em tanques de remoção de pêlos escaldantes - eles literalmente se afogam em água escaldante.

10. Abandone o bacon e obtenha Fakin & # 8217
Salve os porcos do inferno e você da má saúde, banqueteando-se com produtos de porco falsos. Encha um sanduíche com fatias de presunto vegetariano da marca Yves ou jogue um pouco de Lightlife Smart Bacon em uma frigideira fervente - o freezer e as seções de & # 8220health food & # 8221 de sua mercearia local ou lojas de alimentos naturais estão cheias desses e de outros substitutos saborosos.

Pense antes de comer outro link de salsicha - peça um kit inicial vegano gratuito cheio de receitas deliciosas e características de celebridades hoje mesmo!


10 principais motivos para não comer porcos

Atenção, compradores: parem de comprar & # 8220Babes & # 8221 e & # 8220Wilburs & # 8221 mortos no supermercado! Aqui estão nossos 10 principais motivos para manter a carne de porco longe do seu garfo e colocar alternativas deliciosas sem leite em sua lista de compras.

1. Porking You Up
É um fato - presunto, salsicha e tiras de bacon vão direto para seus quadris. Comer produtos de porco, que são carregados com colesterol e gordura saturada que obstruem as artérias, é uma boa maneira de aumentar sua cintura e aumentar suas chances de desenvolver doenças mortais, como doenças cardíacas, diabetes, artrite, osteoporose, Alzheimer, asma e impotência. A pesquisa mostrou que os vegetarianos têm 50 por cento menos probabilidade de desenvolver doenças cardíacas e 40 por cento da taxa de câncer de comedores de carne. Além disso, os carnívoros têm nove vezes mais probabilidade de serem obesos do que os vegetarianos puros.

2. Os porcos também têm sentimentos
Noventa e sete por cento dos porcos nos Estados Unidos hoje são criados em fazendas industriais, onde nunca correrão por pastagens extensas, tomarão sol, respirarão ar puro ou farão qualquer outra coisa que lhes seja natural. Aglomerados em armazéns sem nada para fazer e para onde ir, eles são mantidos em uma dieta constante de drogas para mantê-los vivos e fazê-los crescer mais rápido, mas as drogas fazem com que muitos dos animais fiquem aleijados sob seu próprio peso.

3. Porcos e Playstations

Você acha que pode jogar melhor do que um porco no Playstation? Você pode se surpreender. De acordo com a pesquisa, os porcos são muito mais espertos do que os cães e se saem ainda melhor com videogames do que alguns primatas. Na verdade, os porcos são animais extremamente inteligentes, que formam redes sociais complexas e têm excelentes memórias. Comer um porco é como comer seu cachorro! Como disse o ator Cameron Diaz depois de ouvir que os porcos têm a capacidade mental de um ser humano de 3 anos: “[Comer bacon é] como comer minha sobrinha!”

Aprenda mais fatos fascinantes e leia histórias inspiradoras sobre porcos e outros animais no livro mais vendido Espécie animal.

4. Porcos preferem lama, não crude
Os porcos são, na verdade, animais muito limpos. Se lhes for dado espaço suficiente, os porcos têm o cuidado de não sujar as áreas onde dormem ou comem. E esqueça o ditado bobo & # 8220 suando como um porco & # 8221 - os porcos não podem nem suar! É por isso que eles se banham em água ou lama para se refrescar. Mas em fazendas industriais, eles são forçados a viver em suas próprias fezes e vômitos e até mesmo em meio aos cadáveres de outros porcos. As condições são tão sujas que, a qualquer momento, mais de um quarto dos porcos sofre de sarna - pense em seu pior caso de hera venenosa e imagine ter de sofrer com ela pelo resto da vida.

5. Valores da Família Agrícola
As fazendas industriais são um verdadeiro inferno para porcos e seus bebês. As mães porcas passam a maior parte de suas vidas em minúsculas caixas & # 8220gestation & # 8221, que são tão pequenas que os animais são incapazes de se virar ou mesmo deitar-se confortavelmente. Eles são repetidamente impregnados até serem abatidos. Os leitões, que são tirados de suas mães perturbadas depois de apenas algumas semanas, têm suas caudas cortadas, seus dentes são cortados com um alicate e os machos são castrados - tudo sem analgésicos.

6. O estrume está soprando no vento ...
Uma fazenda de porcos com 5.000 animais produz tantos resíduos fecais quanto uma cidade de 50.000 habitantes. Em 1995, 25 milhões de galões de urina e fezes pútridas de porco foram derramados em um rio da Carolina do Norte, matando imediatamente entre 10 e 14 milhões de peixes. Para contornar os limites de poluição da água, as fazendas industriais freqüentemente pegam as toneladas de urina e fezes armazenadas em fossas e as transformam em resíduos líquidos que borrifam no ar. Esta névoa cheia de estrume é levada pelo vento e inalada pelas pessoas que vivem nas proximidades.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacon carregado de bactérias e presunto nocivo
Condições extremamente superlotadas, ventilação insuficiente e sujeira em fazendas industriais causam doenças tão generalizadas em porcos que 70% deles têm pneumonia no momento em que são enviados para o matadouro. Para manter os porcos vivos em condições que, de outra forma, os matariam e para promover um crescimento anormalmente rápido, a indústria mantém os porcos com uma dieta constante de antibióticos dos quais dependemos para tratar doenças humanas. Esse uso excessivo de antibióticos levou ao desenvolvimento de & # 8220 superbactérias & # 8221 ou cepas bacterianas resistentes a antibióticos. O presunto, o bacon e a salsicha que você está comendo podem tornar os medicamentos que seu médico prescreveu na próxima vez que você adoecer completamente ineficazes.

8. Hell on Wheels
Mais de 170.000 porcos morrem no transporte a cada ano, e mais de 420.000 ficam aleijados quando chegam ao matadouro. Caminhões de transporte, que carregam porcos por centenas de quilômetros em todos os extremos climáticos, sem comida ou água, regularmente tombam, jogando animais feridos e moribundos na estrada. Esses animais aterrorizados e feridos raramente recebem cuidados veterinários, e a maioria padece de dor por horas, alguns até sangram até a morte na beira da estrada. Depois de um acidente em abril de 2005, o porta-voz da Smithfield, Jerry Hostetter, disse a um repórter: & # 8220Odeio admitir, mas isso acontece o tempo todo. & # 8221

9. Matá-los comFora Gentileza
Um matadouro típico mata até 1.100 porcos a cada hora, o que torna impossível que eles tenham uma morte humana e indolor. O Departamento de Agricultura dos EUA documentou 14 violações de abate humanitário em uma planta de processamento, onde os inspetores encontraram porcos que andavam e gritavam depois de serem atordoados [com uma arma de choque] até quatro vezes. & # 8221 Por causa de métodos de atordoamento inadequados e velocidades de linha extremamente rápidas, muitos porcos ainda estão vivos quando são despejados em tanques de remoção de pêlos escaldantes - eles literalmente se afogam em água escaldante.

10. Abandone o bacon e obtenha Fakin & # 8217
Salve os porcos do inferno e você da má saúde, banqueteando-se com produtos de porco falsos. Encha um sanduíche com fatias de presunto vegetariano da marca Yves ou jogue um pouco de Lightlife Smart Bacon em uma frigideira fervente - o freezer e as seções de & # 8220health food & # 8221 de sua mercearia local ou lojas de alimentos naturais estão cheias desses e de outros substitutos saborosos.

Pense antes de comer outro link de salsicha - peça um kit inicial vegano gratuito cheio de receitas deliciosas e características de celebridades hoje mesmo!


10 principais motivos para não comer porcos

Atenção, compradores: parem de comprar & # 8220Babes & # 8221 e & # 8220Wilburs & # 8221 mortos no supermercado! Aqui estão nossos 10 principais motivos para manter a carne de porco longe do seu garfo e colocar alternativas deliciosas sem leite em sua lista de compras.

1. Porking You Up
É um fato - presunto, salsicha e tiras de bacon vão direto para seus quadris. Comer produtos de porco, que são carregados com colesterol e gordura saturada que entopem as artérias, é uma boa maneira de aumentar sua cintura e aumentar suas chances de desenvolver doenças mortais, como doenças cardíacas, diabetes, artrite, osteoporose, Alzheimer, asma e impotência. A pesquisa mostrou que os vegetarianos têm 50 por cento menos probabilidade de desenvolver doenças cardíacas e 40 por cento da taxa de câncer de comedores de carne. Além disso, os carnívoros têm nove vezes mais probabilidade de serem obesos do que os vegetarianos puros.

2. Os porcos também têm sentimentos
Noventa e sete por cento dos porcos nos Estados Unidos hoje são criados em fazendas industriais, onde nunca correrão por pastagens extensas, tomarão sol, respirarão ar puro ou farão qualquer outra coisa que lhes seja natural. Aglomerados em armazéns sem nada para fazer e para onde ir, eles são mantidos em uma dieta constante de drogas para mantê-los vivos e fazê-los crescer mais rápido, mas as drogas fazem com que muitos dos animais fiquem aleijados sob seu próprio peso.

3. Porcos e Playstations

Você acha que pode jogar melhor do que um porco no Playstation? Você pode se surpreender. De acordo com pesquisas, os porcos são muito mais espertos do que os cães e se saem ainda melhor com videogames do que alguns primatas. Na verdade, os porcos são animais extremamente inteligentes, que formam redes sociais complexas e têm excelentes memórias. Comer um porco é como comer seu cachorro! Como disse o ator Cameron Diaz depois de ouvir que os porcos têm a capacidade mental de um ser humano de 3 anos: “[Comer bacon é] como comer minha sobrinha!”

Aprenda mais fatos fascinantes e leia histórias inspiradoras sobre porcos e outros animais no livro mais vendido Espécie animal.

4. Porcos preferem lama, não crude
Os porcos são, na verdade, animais muito limpos. Se lhes for dado espaço suficiente, os porcos têm o cuidado de não sujar as áreas onde dormem ou comem. E esqueça o ditado bobo & # 8220 suando como um porco & # 8221 - os porcos não podem nem suar! É por isso que eles se banham em água ou lama para se refrescar. Mas nas fazendas industriais, eles são forçados a viver com suas próprias fezes e vômitos e até mesmo entre os cadáveres de outros porcos. As condições são tão sujas que, a qualquer momento, mais de um quarto dos porcos sofre de sarna - pense em seu pior caso de hera venenosa e imagine ter de sofrer com ela pelo resto da vida.

5. Valores da Família Agrícola
As fazendas industriais são um verdadeiro inferno para porcos e seus bebês. As mães porcas passam a maior parte de suas vidas em minúsculas caixas & # 8220gestation & # 8221, que são tão pequenas que os animais são incapazes de se virar ou mesmo deitar-se confortavelmente. Eles são repetidamente impregnados até serem abatidos. Os leitões, que são tirados de suas mães perturbadas depois de apenas algumas semanas, têm suas caudas cortadas, seus dentes são cortados com um alicate e os machos são castrados - tudo sem analgésicos.

6. O estrume está soprando no vento ...
Uma fazenda de porcos com 5.000 animais produz tantos resíduos fecais quanto uma cidade de 50.000 habitantes. Em 1995, 25 milhões de galões de urina e fezes pútridas de porco foram derramados em um rio da Carolina do Norte, matando imediatamente entre 10 e 14 milhões de peixes. Para contornar os limites de poluição da água, as fazendas industriais freqüentemente pegam as toneladas de urina e fezes armazenadas em fossas e as transformam em resíduos líquidos que borrifam no ar. Esta névoa cheia de estrume é levada pelo vento e inalada pelas pessoas que vivem nas proximidades.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacon carregado de bactérias e presunto nocivo
Condições extremamente superlotadas, ventilação insuficiente e sujeira em fazendas industriais causam doenças tão generalizadas em porcos que 70% deles têm pneumonia no momento em que são enviados para o matadouro. Para manter os porcos vivos em condições que, de outra forma, os matariam e para promover um crescimento anormalmente rápido, a indústria mantém os porcos com uma dieta constante de antibióticos dos quais dependemos para tratar doenças humanas. Esse uso excessivo de antibióticos levou ao desenvolvimento de & # 8220 superbactérias & # 8221 ou cepas bacterianas resistentes a antibióticos. O presunto, o bacon e a salsicha que você está comendo podem tornar os medicamentos que seu médico prescreveu na próxima vez que você adoecer completamente ineficazes.

8. Hell on Wheels
Mais de 170.000 porcos morrem no transporte a cada ano, e mais de 420.000 ficam aleijados quando chegam ao matadouro. Caminhões de transporte, que carregam porcos por centenas de quilômetros em todos os extremos climáticos, sem comida ou água, regularmente tombam, jogando animais feridos e moribundos na estrada. Esses animais aterrorizados e feridos raramente recebem cuidados veterinários, e a maioria padece de dor por horas, alguns até sangram até a morte na beira da estrada. Depois de um acidente em abril de 2005, o porta-voz da Smithfield, Jerry Hostetter, disse a um repórter: & # 8220Odeio admitir, mas isso acontece o tempo todo. & # 8221

9. Matá-los comFora Gentileza
Um matadouro típico mata até 1.100 porcos a cada hora, o que torna impossível para eles uma morte humana e indolor. O Departamento de Agricultura dos EUA documentou 14 violações de abate humanitário em uma planta de processamento, onde os inspetores encontraram porcos que andavam e gritavam depois de serem atordoados [com uma arma de choque] até quatro vezes. & # 8221 Por causa de métodos de atordoamento inadequados e velocidades de linha extremamente rápidas, muitos porcos ainda estão vivos quando são despejados em tanques de remoção de pêlos escaldantes - eles literalmente se afogam em água escaldante.

10. Abandone o bacon e obtenha Fakin & # 8217
Salve os porcos do inferno e você da má saúde, banqueteando-se com produtos de porco falsos. Encha um sanduíche com fatias de presunto vegetariano da marca Yves ou jogue um pouco de Lightlife Smart Bacon em uma frigideira fervente - o freezer e as seções de & # 8220health food & # 8221 de sua mercearia local ou lojas de alimentos naturais estão cheias desses e de outros substitutos saborosos.

Pense antes de comer outro link de salsicha - peça um kit inicial vegano gratuito cheio de receitas deliciosas e características de celebridades hoje mesmo!


10 principais motivos para não comer porcos

Atenção, compradores: parem de comprar & # 8220Babes & # 8221 e & # 8220Wilburs & # 8221 mortos no supermercado! Aqui estão nossos 10 principais motivos para manter a carne de porco longe do seu garfo e colocar alternativas deliciosas sem leite em sua lista de compras.

1. Porking You Up
É um fato - presunto, salsicha e tiras de bacon vão direto para seus quadris. Comer produtos de porco, que são carregados com colesterol e gordura saturada que obstruem as artérias, é uma boa maneira de aumentar sua cintura e aumentar suas chances de desenvolver doenças mortais, como doenças cardíacas, diabetes, artrite, osteoporose, Alzheimer, asma e impotência. A pesquisa mostrou que os vegetarianos têm 50 por cento menos probabilidade de desenvolver doenças cardíacas e 40 por cento da taxa de câncer de comedores de carne. Além disso, os carnívoros têm nove vezes mais probabilidade de serem obesos do que os vegetarianos puros.

2. Os porcos também têm sentimentos
Noventa e sete por cento dos porcos nos Estados Unidos hoje são criados em fazendas industriais, onde nunca correrão por pastagens extensas, tomarão sol, respirarão ar puro ou farão qualquer outra coisa que lhes seja natural. Aglomerados em armazéns sem nada para fazer e para onde ir, eles são mantidos em uma dieta constante de drogas para mantê-los vivos e fazê-los crescer mais rápido, mas as drogas fazem com que muitos dos animais fiquem aleijados sob seu próprio peso.

3. Porcos e Playstations

Você acha que pode jogar melhor do que um porco no Playstation? Você pode se surpreender. De acordo com pesquisas, os porcos são muito mais espertos do que os cães e se saem ainda melhor com videogames do que alguns primatas. Na verdade, os porcos são animais extremamente inteligentes, que formam redes sociais complexas e têm excelentes memórias. Comer um porco é como comer seu cachorro! Como disse o ator Cameron Diaz depois de ouvir que os porcos têm a capacidade mental de um ser humano de 3 anos: “[Comer bacon é] como comer minha sobrinha!”

Aprenda mais fatos fascinantes e leia histórias inspiradoras sobre porcos e outros animais no livro mais vendido Espécie animal.

4. Porcos preferem lama, não crude
Os porcos são, na verdade, animais muito limpos. Se lhes for dado espaço suficiente, os porcos têm o cuidado de não sujar as áreas onde dormem ou comem. E esqueça o ditado bobo & # 8220 suando como um porco & # 8221 - os porcos não podem nem suar! É por isso que eles se banham em água ou lama para se refrescar. Mas nas fazendas industriais, eles são forçados a viver com suas próprias fezes e vômitos e até mesmo entre os cadáveres de outros porcos. As condições são tão sujas que, a qualquer momento, mais de um quarto dos porcos sofre de sarna - pense em seu pior caso de hera venenosa e imagine ter de sofrer com ela pelo resto da vida.

5. Valores da Família Agrícola
As fazendas industriais são um verdadeiro inferno para porcos e seus bebês. As mães porcas passam a maior parte de suas vidas em minúsculas caixas & # 8220gestation & # 8221, que são tão pequenas que os animais são incapazes de se virar ou mesmo deitar-se confortavelmente. Eles são repetidamente impregnados até serem abatidos. Os leitões, que são tirados de suas mães perturbadas depois de apenas algumas semanas, têm suas caudas cortadas, seus dentes são cortados com um alicate e os machos são castrados - tudo sem analgésicos.

6. O estrume está soprando no vento ...
Uma fazenda de porcos com 5.000 animais produz tantos resíduos fecais quanto uma cidade de 50.000 habitantes. Em 1995, 25 milhões de galões de urina e fezes pútridas de porco foram derramados em um rio da Carolina do Norte, matando imediatamente entre 10 e 14 milhões de peixes. Para contornar os limites de poluição da água, as fazendas industriais freqüentemente pegam as toneladas de urina e fezes armazenadas em fossas e as transformam em resíduos líquidos que borrifam no ar. Esta névoa cheia de estrume é levada pelo vento e inalada pelas pessoas que vivem nas proximidades.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacon carregado de bactérias e presunto nocivo
Condições extremamente superlotadas, ventilação insuficiente e sujeira em fazendas industriais causam doenças tão generalizadas em porcos que 70% deles têm pneumonia no momento em que são enviados para o matadouro. Para manter os porcos vivos em condições que, de outra forma, os matariam e para promover um crescimento anormalmente rápido, a indústria mantém os porcos com uma dieta constante de antibióticos dos quais dependemos para tratar doenças humanas. Esse uso excessivo de antibióticos levou ao desenvolvimento de & # 8220 superbactérias & # 8221 ou cepas bacterianas resistentes a antibióticos. O presunto, bacon e salsicha que você está comendo podem tornar os medicamentos que seu médico receitará na próxima vez que você adoecer completamente ineficazes.

8. Hell on Wheels
Mais de 170.000 porcos morrem no transporte a cada ano, e mais de 420.000 ficam aleijados quando chegam ao matadouro. Caminhões de transporte, que carregam porcos por centenas de quilômetros em todos os extremos climáticos, sem comida ou água, regularmente tombam, jogando animais feridos e moribundos na estrada. Esses animais aterrorizados e feridos raramente recebem cuidados veterinários, e a maioria padece de dor por horas, alguns até sangram até a morte na beira da estrada. Após um acidente em abril de 2005, o porta-voz da Smithfield, Jerry Hostetter, disse a um repórter: & # 8220Odeio admitir, mas isso acontece o tempo todo. & # 8221

9. Matá-los comFora Gentileza
Um matadouro típico mata até 1.100 porcos a cada hora, o que torna impossível que eles tenham uma morte humana e indolor. O Departamento de Agricultura dos EUA documentou 14 violações de abate humanitário em uma planta de processamento, onde os inspetores encontraram porcos que andavam e gritavam depois de serem atordoados [com uma arma de choque] até quatro vezes. & # 8221 Por causa de métodos de atordoamento inadequados e velocidades de linha extremamente rápidas, muitos porcos ainda estão vivos quando são despejados em tanques de remoção de pêlos escaldantes - eles literalmente se afogam em água escaldante.

10. Abandone o bacon e obtenha Fakin & # 8217
Salve os porcos do inferno e você da má saúde, banqueteando-se com produtos de porco falsos. Encha um sanduíche com fatias de presunto vegetariano da marca Yves ou jogue um pouco de Lightlife Smart Bacon em uma frigideira quente - o freezer e as seções de & # 8220health food & # 8221 de sua mercearia local ou lojas de alimentos naturais estão cheias desses e de outros substitutos saborosos.

Pense antes de comer outro link de salsicha - peça um kit inicial vegano gratuito cheio de receitas deliciosas e características de celebridades hoje mesmo!


10 principais motivos para não comer porcos

Atenção, compradores: parem de comprar & # 8220Babes & # 8221 e & # 8220Wilburs & # 8221 mortos no supermercado! Aqui estão nossos 10 principais motivos para manter a carne de porco longe do seu garfo e colocar alternativas deliciosas sem leite em sua lista de compras.

1. Porking You Up
É um fato - presunto, salsicha e tiras de bacon vão direto para seus quadris. Comer produtos de porco, que são carregados com colesterol e gordura saturada que obstruem as artérias, é uma boa maneira de aumentar sua cintura e aumentar suas chances de desenvolver doenças mortais, como doenças cardíacas, diabetes, artrite, osteoporose, Alzheimer, asma e impotência. A pesquisa mostrou que os vegetarianos têm 50 por cento menos probabilidade de desenvolver doenças cardíacas e 40 por cento da taxa de câncer de comedores de carne. Além disso, os carnívoros têm nove vezes mais probabilidade de serem obesos do que os vegetarianos puros.

2. Os porcos também têm sentimentos
Noventa e sete por cento dos porcos nos Estados Unidos hoje são criados em fazendas industriais, onde nunca correrão por pastagens extensas, tomarão sol, respirarão ar puro ou farão qualquer outra coisa que lhes seja natural. Empilhados em armazéns sem nada para fazer e para onde ir, eles são mantidos em uma dieta constante de drogas para mantê-los vivos e fazê-los crescer mais rápido, mas as drogas fazem com que muitos dos animais se tornem aleijados sob seu próprio peso.

3. Porcos e Playstations

Você acha que pode jogar melhor do que um porco no Playstation? Você pode se surpreender. De acordo com a pesquisa, os porcos são muito mais espertos do que os cães e se saem ainda melhor com videogames do que alguns primatas. Na verdade, os porcos são animais extremamente inteligentes, que formam redes sociais complexas e têm excelentes memórias. Comer um porco é como comer seu cachorro! Como disse o ator Cameron Diaz depois de ouvir que os porcos têm a capacidade mental de um ser humano de 3 anos: “[Comer bacon é] como comer minha sobrinha!”

Aprenda mais fatos fascinantes e leia histórias inspiradoras sobre porcos e outros animais no livro mais vendido Espécie animal.

4. Porcos preferem lama, não crude
Os porcos são, na verdade, animais muito limpos. Se lhes for dado espaço suficiente, os porcos têm o cuidado de não sujar as áreas onde dormem ou comem. E esqueça o ditado bobo & # 8220 suando como um porco & # 8221 - os porcos não podem nem suar! É por isso que eles se banham em água ou lama para se refrescar. Mas em fazendas industriais, eles são forçados a viver em suas próprias fezes e vômitos e até mesmo em meio aos cadáveres de outros porcos. As condições são tão sujas que, a qualquer momento, mais de um quarto dos porcos sofre de sarna - pense em seu pior caso de hera venenosa e imagine ter de sofrer com ela pelo resto da vida.

5. Valores da Família Agrícola
As fazendas industriais são um verdadeiro inferno para porcos e seus bebês. As mães porcas passam a maior parte de suas vidas em caixas minúsculas & # 8220gestation & # 8221, que são tão pequenas que os animais são incapazes de se virar ou mesmo deitar-se confortavelmente. Eles são repetidamente impregnados até serem abatidos. Os leitões, que são tirados de suas mães perturbadas depois de apenas algumas semanas, têm suas caudas cortadas, seus dentes são cortados com um alicate e os machos são castrados - tudo sem analgésicos.

6. O estrume está soprando no vento ...
Uma fazenda de porcos com 5.000 animais produz tantos resíduos fecais quanto uma cidade de 50.000 habitantes. Em 1995, 25 milhões de galões de urina e fezes pútridas de porco foram derramados em um rio da Carolina do Norte, matando imediatamente entre 10 e 14 milhões de peixes. To get around water pollution limits, factory farms will frequently take the tons of urine and feces that are stored in cesspools and turn them into liquid waste that they spray into the air. This manure-filled mist is carried away by the wind and inhaled by the people who live nearby.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacteria-Laden Bacon and Harmful Ham
Extremely crowded conditions, poor ventilation, and filth in factory farms cause such rampant disease in pigs that 70 percent of them have pneumonia by the time they’re sent to the slaughterhouse. In order to keep pigs alive in conditions that would otherwise kill them and to promote unnaturally fast growth, the industry keeps pigs on a steady diet of the antibiotics that we depend on to treat human illnesses. This overuse of antibiotics has led to the development of “superbacteria,” or antibiotic-resistant bacterial strains. The ham, bacon, and sausage that you’re eating may make the drugs that your doctor prescribes the next time you get sick completely ineffective.

8. Hell on Wheels
More than 170,000 pigs die in transport each year, and more than 420,000 are crippled by the time they arrive at the slaughterhouse. Transport trucks, which carry pigs hundreds of miles through all weather extremes with no food or water, regularly flip over, throwing injured and dying animals onto the road. These terrified and injured animals are rarely offered veterinary care, and most languish in pain for hours some even bleed to death on the side of the road. After an accident in April 2005, Smithfield spokesperson Jerry Hostetter told one reporter, “I hate to admit it, but it happens all the time.”

9. Killing Them Without Kindness
A typical slaughterhouse kills up to 1,100 pigs every hour, which makes it impossible for them to be given humane, painless deaths. The U.S. Department of Agriculture documented 14 humane slaughter violations at one processing plant, where inspectors found hogs who “were walking and squealing after being stunned [with a stun gun] as many as four times.” Because of improper stunning methods and extremely fast line speeds, many pigs are still alive when they are dumped into scalding-hot hair-removal tanks—they literally drown in scalding-hot water.

10. Ditch the Bacon and Get Fakin’
Save pigs from hell and yourself from bad health by feasting on faux pork products instead. Stuff a sandwich full of Yves brand veggie ham slices, or throw some Lightlife Smart Bacon into a sizzling skillet—the freezer and “health food” sections of your local grocery or health food stores are packed full of these and other tasty substitutes.

Think before you eat another sausage link—order a free vegan starter kit full of delicious recipes and celebrity features today!


Top 10 Reasons Not to Eat Pigs

Attention, shoppers: Stop picking up dead “Babes” and “Wilburs” at the grocery store! Here are our top 10 reasons to keep pork off your fork and put delicious Babe-free alternatives on your shopping list instead.

1. Porking You Up
It’s a fact—ham, sausage, and bacon strips will go right to your hips. Eating pork products, which are loaded with artery-clogging cholesterol and saturated fat, is a good way to increase your waistline and increase your chances of developing deadly diseases such as heart disease, diabetes, arthritis, osteoporosis, Alzheimer’s, asthma, and impotence. Research has shown that vegetarians are 50 percent less likely to develop heart disease, and they have 40 percent of the cancer rate of meat-eaters. Plus, meat-eaters are nine times more likely to be obese than pure vegetarians are.

2. Pigs Have Feelings Too
Ninety-seven percent of pigs in the United States today are raised in factory farms, where they will never run across sprawling pastures, bask in the sun, breathe fresh air, or do anything else that comes naturally to them. Crowded into warehouses with nothing to do and nowhere to go, they are kept on a steady diet of drugs to keep them alive and make them grow faster, but the drugs cause many of the animals to become crippled under their own bulk.

3. Pigs and Playstations

Think that you can outplay a pig on your Playstation? You may be surprised. According to research, pigs are much smarter than dogs, and they even do better at video games than some primates. In fact, pigs are extremely clever animals who form complex social networks and have excellent memories. Eating a pig is like eating your dog! As actor Cameron Diaz put it after hearing that pigs have the mental capacity of a 3-year-old human: “[Eating bacon is] like eating my niece!”

Learn more fascinating facts and read inspiring stories about pigs and other animals in the bestselling book Animalkind.

4. Pigs Prefer Mud, Not Crud
Pigs are actually very clean animals. If they are given sufficient space, pigs are careful not to soil the areas where they sleep or eat. And forget the silly saying “sweating like a pig”—pigs can’t even sweat! That’s why they bathe in water or mud to cool off. But in factory farms, they’re forced to live in their own feces and vomit and even amid the corpses of other pigs. Conditions are so filthy that at any given time, more than one-quarter of pigs suffer from mange—think of your worst case of poison ivy, and imagine having to suffer from it for the rest of your life.

5. Farming Family Values
Factory farms are pure hell for pigs and their babies. Mother pigs spend most of their lives in tiny “gestation” crates, which are so small that the animals are unable to turn around or even lie down comfortably. They are repeatedly impregnated until they are slaughtered. Piglets, who are taken away from their distraught mothers after just a few weeks, have their tails chopped off, their teeth are clipped off with pliers, and the males are castrated—all without painkillers.

6. The Manure Is Blowing in the Wind …
A pig farm with 5,000 animals produces as much fecal waste as a city of 50,000 people. In 1995, 25 million gallons of putrid hog urine and feces spilled into a North Carolina river, immediately killing between 10 and 14 million fish. To get around water pollution limits, factory farms will frequently take the tons of urine and feces that are stored in cesspools and turn them into liquid waste that they spray into the air. This manure-filled mist is carried away by the wind and inhaled by the people who live nearby.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacteria-Laden Bacon and Harmful Ham
Extremely crowded conditions, poor ventilation, and filth in factory farms cause such rampant disease in pigs that 70 percent of them have pneumonia by the time they’re sent to the slaughterhouse. In order to keep pigs alive in conditions that would otherwise kill them and to promote unnaturally fast growth, the industry keeps pigs on a steady diet of the antibiotics that we depend on to treat human illnesses. This overuse of antibiotics has led to the development of “superbacteria,” or antibiotic-resistant bacterial strains. The ham, bacon, and sausage that you’re eating may make the drugs that your doctor prescribes the next time you get sick completely ineffective.

8. Hell on Wheels
More than 170,000 pigs die in transport each year, and more than 420,000 are crippled by the time they arrive at the slaughterhouse. Transport trucks, which carry pigs hundreds of miles through all weather extremes with no food or water, regularly flip over, throwing injured and dying animals onto the road. These terrified and injured animals are rarely offered veterinary care, and most languish in pain for hours some even bleed to death on the side of the road. After an accident in April 2005, Smithfield spokesperson Jerry Hostetter told one reporter, “I hate to admit it, but it happens all the time.”

9. Killing Them Without Kindness
A typical slaughterhouse kills up to 1,100 pigs every hour, which makes it impossible for them to be given humane, painless deaths. The U.S. Department of Agriculture documented 14 humane slaughter violations at one processing plant, where inspectors found hogs who “were walking and squealing after being stunned [with a stun gun] as many as four times.” Because of improper stunning methods and extremely fast line speeds, many pigs are still alive when they are dumped into scalding-hot hair-removal tanks—they literally drown in scalding-hot water.

10. Ditch the Bacon and Get Fakin’
Save pigs from hell and yourself from bad health by feasting on faux pork products instead. Stuff a sandwich full of Yves brand veggie ham slices, or throw some Lightlife Smart Bacon into a sizzling skillet—the freezer and “health food” sections of your local grocery or health food stores are packed full of these and other tasty substitutes.

Think before you eat another sausage link—order a free vegan starter kit full of delicious recipes and celebrity features today!


Top 10 Reasons Not to Eat Pigs

Attention, shoppers: Stop picking up dead “Babes” and “Wilburs” at the grocery store! Here are our top 10 reasons to keep pork off your fork and put delicious Babe-free alternatives on your shopping list instead.

1. Porking You Up
It’s a fact—ham, sausage, and bacon strips will go right to your hips. Eating pork products, which are loaded with artery-clogging cholesterol and saturated fat, is a good way to increase your waistline and increase your chances of developing deadly diseases such as heart disease, diabetes, arthritis, osteoporosis, Alzheimer’s, asthma, and impotence. Research has shown that vegetarians are 50 percent less likely to develop heart disease, and they have 40 percent of the cancer rate of meat-eaters. Plus, meat-eaters are nine times more likely to be obese than pure vegetarians are.

2. Pigs Have Feelings Too
Ninety-seven percent of pigs in the United States today are raised in factory farms, where they will never run across sprawling pastures, bask in the sun, breathe fresh air, or do anything else that comes naturally to them. Crowded into warehouses with nothing to do and nowhere to go, they are kept on a steady diet of drugs to keep them alive and make them grow faster, but the drugs cause many of the animals to become crippled under their own bulk.

3. Pigs and Playstations

Think that you can outplay a pig on your Playstation? You may be surprised. According to research, pigs are much smarter than dogs, and they even do better at video games than some primates. In fact, pigs are extremely clever animals who form complex social networks and have excellent memories. Eating a pig is like eating your dog! As actor Cameron Diaz put it after hearing that pigs have the mental capacity of a 3-year-old human: “[Eating bacon is] like eating my niece!”

Learn more fascinating facts and read inspiring stories about pigs and other animals in the bestselling book Animalkind.

4. Pigs Prefer Mud, Not Crud
Pigs are actually very clean animals. If they are given sufficient space, pigs are careful not to soil the areas where they sleep or eat. And forget the silly saying “sweating like a pig”—pigs can’t even sweat! That’s why they bathe in water or mud to cool off. But in factory farms, they’re forced to live in their own feces and vomit and even amid the corpses of other pigs. Conditions are so filthy that at any given time, more than one-quarter of pigs suffer from mange—think of your worst case of poison ivy, and imagine having to suffer from it for the rest of your life.

5. Farming Family Values
Factory farms are pure hell for pigs and their babies. Mother pigs spend most of their lives in tiny “gestation” crates, which are so small that the animals are unable to turn around or even lie down comfortably. They are repeatedly impregnated until they are slaughtered. Piglets, who are taken away from their distraught mothers after just a few weeks, have their tails chopped off, their teeth are clipped off with pliers, and the males are castrated—all without painkillers.

6. The Manure Is Blowing in the Wind …
A pig farm with 5,000 animals produces as much fecal waste as a city of 50,000 people. In 1995, 25 million gallons of putrid hog urine and feces spilled into a North Carolina river, immediately killing between 10 and 14 million fish. To get around water pollution limits, factory farms will frequently take the tons of urine and feces that are stored in cesspools and turn them into liquid waste that they spray into the air. This manure-filled mist is carried away by the wind and inhaled by the people who live nearby.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacteria-Laden Bacon and Harmful Ham
Extremely crowded conditions, poor ventilation, and filth in factory farms cause such rampant disease in pigs that 70 percent of them have pneumonia by the time they’re sent to the slaughterhouse. In order to keep pigs alive in conditions that would otherwise kill them and to promote unnaturally fast growth, the industry keeps pigs on a steady diet of the antibiotics that we depend on to treat human illnesses. This overuse of antibiotics has led to the development of “superbacteria,” or antibiotic-resistant bacterial strains. The ham, bacon, and sausage that you’re eating may make the drugs that your doctor prescribes the next time you get sick completely ineffective.

8. Hell on Wheels
More than 170,000 pigs die in transport each year, and more than 420,000 are crippled by the time they arrive at the slaughterhouse. Transport trucks, which carry pigs hundreds of miles through all weather extremes with no food or water, regularly flip over, throwing injured and dying animals onto the road. These terrified and injured animals are rarely offered veterinary care, and most languish in pain for hours some even bleed to death on the side of the road. After an accident in April 2005, Smithfield spokesperson Jerry Hostetter told one reporter, “I hate to admit it, but it happens all the time.”

9. Killing Them Without Kindness
A typical slaughterhouse kills up to 1,100 pigs every hour, which makes it impossible for them to be given humane, painless deaths. The U.S. Department of Agriculture documented 14 humane slaughter violations at one processing plant, where inspectors found hogs who “were walking and squealing after being stunned [with a stun gun] as many as four times.” Because of improper stunning methods and extremely fast line speeds, many pigs are still alive when they are dumped into scalding-hot hair-removal tanks—they literally drown in scalding-hot water.

10. Ditch the Bacon and Get Fakin’
Save pigs from hell and yourself from bad health by feasting on faux pork products instead. Stuff a sandwich full of Yves brand veggie ham slices, or throw some Lightlife Smart Bacon into a sizzling skillet—the freezer and “health food” sections of your local grocery or health food stores are packed full of these and other tasty substitutes.

Think before you eat another sausage link—order a free vegan starter kit full of delicious recipes and celebrity features today!


Top 10 Reasons Not to Eat Pigs

Attention, shoppers: Stop picking up dead “Babes” and “Wilburs” at the grocery store! Here are our top 10 reasons to keep pork off your fork and put delicious Babe-free alternatives on your shopping list instead.

1. Porking You Up
It’s a fact—ham, sausage, and bacon strips will go right to your hips. Eating pork products, which are loaded with artery-clogging cholesterol and saturated fat, is a good way to increase your waistline and increase your chances of developing deadly diseases such as heart disease, diabetes, arthritis, osteoporosis, Alzheimer’s, asthma, and impotence. Research has shown that vegetarians are 50 percent less likely to develop heart disease, and they have 40 percent of the cancer rate of meat-eaters. Plus, meat-eaters are nine times more likely to be obese than pure vegetarians are.

2. Pigs Have Feelings Too
Ninety-seven percent of pigs in the United States today are raised in factory farms, where they will never run across sprawling pastures, bask in the sun, breathe fresh air, or do anything else that comes naturally to them. Crowded into warehouses with nothing to do and nowhere to go, they are kept on a steady diet of drugs to keep them alive and make them grow faster, but the drugs cause many of the animals to become crippled under their own bulk.

3. Pigs and Playstations

Think that you can outplay a pig on your Playstation? You may be surprised. According to research, pigs are much smarter than dogs, and they even do better at video games than some primates. In fact, pigs are extremely clever animals who form complex social networks and have excellent memories. Eating a pig is like eating your dog! As actor Cameron Diaz put it after hearing that pigs have the mental capacity of a 3-year-old human: “[Eating bacon is] like eating my niece!”

Learn more fascinating facts and read inspiring stories about pigs and other animals in the bestselling book Animalkind.

4. Pigs Prefer Mud, Not Crud
Pigs are actually very clean animals. If they are given sufficient space, pigs are careful not to soil the areas where they sleep or eat. And forget the silly saying “sweating like a pig”—pigs can’t even sweat! That’s why they bathe in water or mud to cool off. But in factory farms, they’re forced to live in their own feces and vomit and even amid the corpses of other pigs. Conditions are so filthy that at any given time, more than one-quarter of pigs suffer from mange—think of your worst case of poison ivy, and imagine having to suffer from it for the rest of your life.

5. Farming Family Values
Factory farms are pure hell for pigs and their babies. Mother pigs spend most of their lives in tiny “gestation” crates, which are so small that the animals are unable to turn around or even lie down comfortably. They are repeatedly impregnated until they are slaughtered. Piglets, who are taken away from their distraught mothers after just a few weeks, have their tails chopped off, their teeth are clipped off with pliers, and the males are castrated—all without painkillers.

6. The Manure Is Blowing in the Wind …
A pig farm with 5,000 animals produces as much fecal waste as a city of 50,000 people. In 1995, 25 million gallons of putrid hog urine and feces spilled into a North Carolina river, immediately killing between 10 and 14 million fish. To get around water pollution limits, factory farms will frequently take the tons of urine and feces that are stored in cesspools and turn them into liquid waste that they spray into the air. This manure-filled mist is carried away by the wind and inhaled by the people who live nearby.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacteria-Laden Bacon and Harmful Ham
Extremely crowded conditions, poor ventilation, and filth in factory farms cause such rampant disease in pigs that 70 percent of them have pneumonia by the time they’re sent to the slaughterhouse. In order to keep pigs alive in conditions that would otherwise kill them and to promote unnaturally fast growth, the industry keeps pigs on a steady diet of the antibiotics that we depend on to treat human illnesses. This overuse of antibiotics has led to the development of “superbacteria,” or antibiotic-resistant bacterial strains. The ham, bacon, and sausage that you’re eating may make the drugs that your doctor prescribes the next time you get sick completely ineffective.

8. Hell on Wheels
More than 170,000 pigs die in transport each year, and more than 420,000 are crippled by the time they arrive at the slaughterhouse. Transport trucks, which carry pigs hundreds of miles through all weather extremes with no food or water, regularly flip over, throwing injured and dying animals onto the road. These terrified and injured animals are rarely offered veterinary care, and most languish in pain for hours some even bleed to death on the side of the road. After an accident in April 2005, Smithfield spokesperson Jerry Hostetter told one reporter, “I hate to admit it, but it happens all the time.”

9. Killing Them Without Kindness
A typical slaughterhouse kills up to 1,100 pigs every hour, which makes it impossible for them to be given humane, painless deaths. The U.S. Department of Agriculture documented 14 humane slaughter violations at one processing plant, where inspectors found hogs who “were walking and squealing after being stunned [with a stun gun] as many as four times.” Because of improper stunning methods and extremely fast line speeds, many pigs are still alive when they are dumped into scalding-hot hair-removal tanks—they literally drown in scalding-hot water.

10. Ditch the Bacon and Get Fakin’
Save pigs from hell and yourself from bad health by feasting on faux pork products instead. Stuff a sandwich full of Yves brand veggie ham slices, or throw some Lightlife Smart Bacon into a sizzling skillet—the freezer and “health food” sections of your local grocery or health food stores are packed full of these and other tasty substitutes.

Think before you eat another sausage link—order a free vegan starter kit full of delicious recipes and celebrity features today!


Top 10 Reasons Not to Eat Pigs

Attention, shoppers: Stop picking up dead “Babes” and “Wilburs” at the grocery store! Here are our top 10 reasons to keep pork off your fork and put delicious Babe-free alternatives on your shopping list instead.

1. Porking You Up
It’s a fact—ham, sausage, and bacon strips will go right to your hips. Eating pork products, which are loaded with artery-clogging cholesterol and saturated fat, is a good way to increase your waistline and increase your chances of developing deadly diseases such as heart disease, diabetes, arthritis, osteoporosis, Alzheimer’s, asthma, and impotence. Research has shown that vegetarians are 50 percent less likely to develop heart disease, and they have 40 percent of the cancer rate of meat-eaters. Plus, meat-eaters are nine times more likely to be obese than pure vegetarians are.

2. Pigs Have Feelings Too
Ninety-seven percent of pigs in the United States today are raised in factory farms, where they will never run across sprawling pastures, bask in the sun, breathe fresh air, or do anything else that comes naturally to them. Crowded into warehouses with nothing to do and nowhere to go, they are kept on a steady diet of drugs to keep them alive and make them grow faster, but the drugs cause many of the animals to become crippled under their own bulk.

3. Pigs and Playstations

Think that you can outplay a pig on your Playstation? You may be surprised. According to research, pigs are much smarter than dogs, and they even do better at video games than some primates. In fact, pigs are extremely clever animals who form complex social networks and have excellent memories. Eating a pig is like eating your dog! As actor Cameron Diaz put it after hearing that pigs have the mental capacity of a 3-year-old human: “[Eating bacon is] like eating my niece!”

Learn more fascinating facts and read inspiring stories about pigs and other animals in the bestselling book Animalkind.

4. Pigs Prefer Mud, Not Crud
Pigs are actually very clean animals. If they are given sufficient space, pigs are careful not to soil the areas where they sleep or eat. And forget the silly saying “sweating like a pig”—pigs can’t even sweat! That’s why they bathe in water or mud to cool off. But in factory farms, they’re forced to live in their own feces and vomit and even amid the corpses of other pigs. Conditions are so filthy that at any given time, more than one-quarter of pigs suffer from mange—think of your worst case of poison ivy, and imagine having to suffer from it for the rest of your life.

5. Farming Family Values
Factory farms are pure hell for pigs and their babies. Mother pigs spend most of their lives in tiny “gestation” crates, which are so small that the animals are unable to turn around or even lie down comfortably. They are repeatedly impregnated until they are slaughtered. Piglets, who are taken away from their distraught mothers after just a few weeks, have their tails chopped off, their teeth are clipped off with pliers, and the males are castrated—all without painkillers.

6. The Manure Is Blowing in the Wind …
A pig farm with 5,000 animals produces as much fecal waste as a city of 50,000 people. In 1995, 25 million gallons of putrid hog urine and feces spilled into a North Carolina river, immediately killing between 10 and 14 million fish. To get around water pollution limits, factory farms will frequently take the tons of urine and feces that are stored in cesspools and turn them into liquid waste that they spray into the air. This manure-filled mist is carried away by the wind and inhaled by the people who live nearby.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacteria-Laden Bacon and Harmful Ham
Extremely crowded conditions, poor ventilation, and filth in factory farms cause such rampant disease in pigs that 70 percent of them have pneumonia by the time they’re sent to the slaughterhouse. In order to keep pigs alive in conditions that would otherwise kill them and to promote unnaturally fast growth, the industry keeps pigs on a steady diet of the antibiotics that we depend on to treat human illnesses. This overuse of antibiotics has led to the development of “superbacteria,” or antibiotic-resistant bacterial strains. The ham, bacon, and sausage that you’re eating may make the drugs that your doctor prescribes the next time you get sick completely ineffective.

8. Hell on Wheels
More than 170,000 pigs die in transport each year, and more than 420,000 are crippled by the time they arrive at the slaughterhouse. Transport trucks, which carry pigs hundreds of miles through all weather extremes with no food or water, regularly flip over, throwing injured and dying animals onto the road. These terrified and injured animals are rarely offered veterinary care, and most languish in pain for hours some even bleed to death on the side of the road. After an accident in April 2005, Smithfield spokesperson Jerry Hostetter told one reporter, “I hate to admit it, but it happens all the time.”

9. Killing Them Without Kindness
A typical slaughterhouse kills up to 1,100 pigs every hour, which makes it impossible for them to be given humane, painless deaths. The U.S. Department of Agriculture documented 14 humane slaughter violations at one processing plant, where inspectors found hogs who “were walking and squealing after being stunned [with a stun gun] as many as four times.” Because of improper stunning methods and extremely fast line speeds, many pigs are still alive when they are dumped into scalding-hot hair-removal tanks—they literally drown in scalding-hot water.

10. Ditch the Bacon and Get Fakin’
Save pigs from hell and yourself from bad health by feasting on faux pork products instead. Stuff a sandwich full of Yves brand veggie ham slices, or throw some Lightlife Smart Bacon into a sizzling skillet—the freezer and “health food” sections of your local grocery or health food stores are packed full of these and other tasty substitutes.

Think before you eat another sausage link—order a free vegan starter kit full of delicious recipes and celebrity features today!


Top 10 Reasons Not to Eat Pigs

Attention, shoppers: Stop picking up dead “Babes” and “Wilburs” at the grocery store! Here are our top 10 reasons to keep pork off your fork and put delicious Babe-free alternatives on your shopping list instead.

1. Porking You Up
It’s a fact—ham, sausage, and bacon strips will go right to your hips. Eating pork products, which are loaded with artery-clogging cholesterol and saturated fat, is a good way to increase your waistline and increase your chances of developing deadly diseases such as heart disease, diabetes, arthritis, osteoporosis, Alzheimer’s, asthma, and impotence. Research has shown that vegetarians are 50 percent less likely to develop heart disease, and they have 40 percent of the cancer rate of meat-eaters. Plus, meat-eaters are nine times more likely to be obese than pure vegetarians are.

2. Pigs Have Feelings Too
Ninety-seven percent of pigs in the United States today are raised in factory farms, where they will never run across sprawling pastures, bask in the sun, breathe fresh air, or do anything else that comes naturally to them. Crowded into warehouses with nothing to do and nowhere to go, they are kept on a steady diet of drugs to keep them alive and make them grow faster, but the drugs cause many of the animals to become crippled under their own bulk.

3. Pigs and Playstations

Think that you can outplay a pig on your Playstation? You may be surprised. According to research, pigs are much smarter than dogs, and they even do better at video games than some primates. In fact, pigs are extremely clever animals who form complex social networks and have excellent memories. Eating a pig is like eating your dog! As actor Cameron Diaz put it after hearing that pigs have the mental capacity of a 3-year-old human: “[Eating bacon is] like eating my niece!”

Learn more fascinating facts and read inspiring stories about pigs and other animals in the bestselling book Animalkind.

4. Pigs Prefer Mud, Not Crud
Pigs are actually very clean animals. If they are given sufficient space, pigs are careful not to soil the areas where they sleep or eat. And forget the silly saying “sweating like a pig”—pigs can’t even sweat! That’s why they bathe in water or mud to cool off. But in factory farms, they’re forced to live in their own feces and vomit and even amid the corpses of other pigs. Conditions are so filthy that at any given time, more than one-quarter of pigs suffer from mange—think of your worst case of poison ivy, and imagine having to suffer from it for the rest of your life.

5. Farming Family Values
Factory farms are pure hell for pigs and their babies. Mother pigs spend most of their lives in tiny “gestation” crates, which are so small that the animals are unable to turn around or even lie down comfortably. They are repeatedly impregnated until they are slaughtered. Piglets, who are taken away from their distraught mothers after just a few weeks, have their tails chopped off, their teeth are clipped off with pliers, and the males are castrated—all without painkillers.

6. The Manure Is Blowing in the Wind …
A pig farm with 5,000 animals produces as much fecal waste as a city of 50,000 people. In 1995, 25 million gallons of putrid hog urine and feces spilled into a North Carolina river, immediately killing between 10 and 14 million fish. To get around water pollution limits, factory farms will frequently take the tons of urine and feces that are stored in cesspools and turn them into liquid waste that they spray into the air. This manure-filled mist is carried away by the wind and inhaled by the people who live nearby.

FreeImages.com/Griszka Niewiadomski

7. Bacteria-Laden Bacon and Harmful Ham
Extremely crowded conditions, poor ventilation, and filth in factory farms cause such rampant disease in pigs that 70 percent of them have pneumonia by the time they’re sent to the slaughterhouse. In order to keep pigs alive in conditions that would otherwise kill them and to promote unnaturally fast growth, the industry keeps pigs on a steady diet of the antibiotics that we depend on to treat human illnesses. This overuse of antibiotics has led to the development of “superbacteria,” or antibiotic-resistant bacterial strains. The ham, bacon, and sausage that you’re eating may make the drugs that your doctor prescribes the next time you get sick completely ineffective.

8. Hell on Wheels
More than 170,000 pigs die in transport each year, and more than 420,000 are crippled by the time they arrive at the slaughterhouse. Transport trucks, which carry pigs hundreds of miles through all weather extremes with no food or water, regularly flip over, throwing injured and dying animals onto the road. These terrified and injured animals are rarely offered veterinary care, and most languish in pain for hours some even bleed to death on the side of the road. After an accident in April 2005, Smithfield spokesperson Jerry Hostetter told one reporter, “I hate to admit it, but it happens all the time.”

9. Killing Them Without Kindness
A typical slaughterhouse kills up to 1,100 pigs every hour, which makes it impossible for them to be given humane, painless deaths. The U.S. Department of Agriculture documented 14 humane slaughter violations at one processing plant, where inspectors found hogs who “were walking and squealing after being stunned [with a stun gun] as many as four times.” Because of improper stunning methods and extremely fast line speeds, many pigs are still alive when they are dumped into scalding-hot hair-removal tanks—they literally drown in scalding-hot water.

10. Ditch the Bacon and Get Fakin’
Save pigs from hell and yourself from bad health by feasting on faux pork products instead. Stuff a sandwich full of Yves brand veggie ham slices, or throw some Lightlife Smart Bacon into a sizzling skillet—the freezer and “health food” sections of your local grocery or health food stores are packed full of these and other tasty substitutes.

Think before you eat another sausage link—order a free vegan starter kit full of delicious recipes and celebrity features today!


Assista o vídeo: Objetificação da mulher nas Lutas (Dezembro 2021).