Receitas tradicionais

Double Eagle Steak House da Del Frisco em Las Vegas recebe elogios

Double Eagle Steak House da Del Frisco em Las Vegas recebe elogios

Durante décadas, Las Vegas teve um caso de amor com churrascarias e, nos tempos modernos, "chefs famosos" estão abrindo algumas das melhores churrascarias do mundo na Strip.

Recentemente, um restaurante clássico em Las Vegas acrescentou ainda mais elogios ao seu prato. É conhecido por oferecer a experiência gastronômica clássica em uma churrascaria, complementada por uma enorme carta de vinhos premiada. Muitos funcionários cuidam do retorno dos hóspedes com sua hospitalidade calorosa e genuína.

Estávamos muito atrasados ​​para uma visita e decidimos que os últimos elogios eram nossa deixa. A primeira parada, claro, foi no lindo bar que tem um dos melhores happy hours da cidade. Ocupando nossos lugares entre homens e mulheres em ternos executivos, não poderíamos ter ficado mais impressionados com a equipe, a clientela, os coquetéis e a música lounge com piano ao vivo. Começamos com um Old Fashioned feito com Knob Creek Bourbon. Permanecendo no modo de coquetel clássico, também experimentamos um Pecan Maple Manhattan com Knob Creek Bourbon de bordo defumado com infusão de nozes, bitters envelhecidos em barris de uísque e enfeite de bacon com praliné.

Os muitos convidados repetidos de Del Frisco têm um segredo. Conhecimento de um menu secreto, isto é. Só quem está informado conhece as delícias do menu, muitas delas inspiradas nos frequentadores regulares do Del Frisco e nas celebridades locais. Planejamos voltar para desvendar os segredos.

O vinho é uma grande parte da experiência da Del Frisco. Este restaurante histórico é o lar de muitas das melhores sommeliers que criaram recentemente o Somm Wars, uma competição de vinho amigável em três cidades, que se tornará um evento anual. Ao examinar a extensa carta de vinhos, nossos olhos se fixaram em algumas das safras e garrafas mais raras que vimos em algum tempo.

Pegando nossos lugares, fomos acompanhados pelo chef executivo Fernando Guerrero e o gerente geral Torryn Orriss, ambos radiantes de orgulho por seu prêmio mais recente. Olhando o cardápio, muitos itens nos chamaram a atenção. Com uma garrafa de Kenneth Volk Zinfandel de 2014 na mesa, estávamos prontos para nossa jornada culinária.

Começamos com os tomates e burrata antigos com redução balsâmica envelhecida e pesto, com cores que saltaram do prato e sabores que despertaram as papilas gustativas. O bolo de caranguejo gigantesco com molho de lagosta Cajun era rico e cremoso com o toque perfeito de especiarias. Para ainda mais lagosta, adicione o macarrão de lagosta com queijo à sua seleção.

O Del Frisco's, é claro, é conhecido por seus bifes premiados, e tivemos que nos deliciar com uma de suas especialidades: o lombo principal. Este bife, preparado mal passado, tem 500 gramas de puro prazer. Há mais, muito mais. A costelinha refogada, com vegetais de raiz amanteigada e purê de batata château é boa para cair com os ossos.

O Del Frisco's tem uma excelente reputação há décadas. Depois da nossa visita, temos que dizer que não perdeu nada ao longo do tempo. Na verdade, pode mostrar a algumas das churrascarias atuais como manter a atmosfera clássica.


Escrito por Scott Joseph em 21 de julho de 2009.

Eu finalmente tive a chance de parar no Del Frisco's para conferir as reformas que a churrascaria sofisticada passou no ano passado.

Basicamente, as duas entidades separadas - a sala de jantar principal e o lounge e piano bar ao lado - foram unidas como uma só com a adição de um foyer semelhante a uma catedral e uma entrada principal. Passe pela porta da frente e vá para a direita para a antiga sala de jantar (a entrada original está bloqueada e o corredor está sendo usado como depósito) ou vá para a esquerda para chegar ao bar e lounge. Na noite em que visitei, mais pessoas estavam escolhendo o lounge do que a sala de jantar. Mas o bom é que todo o menu está disponível no bar - algo que nem sempre era possível quando o piano bar foi adicionado pela primeira vez.

A outra coisa boa é que a comida ainda é de primeira.

Del Frisco's já existe há 16 anos. Quando foi inaugurado na Lee Road em meados de 1993, tornou-se um favorito instantâneo, não só meu, mas também dos Central Foridians que adoram bife excelente. Quando a revista Florida conduziu seu primeiro Foodie Awards anual em 1998, ela ganhou o prêmio de melhor churrascaria sofisticada tanto dos leitores quanto do crítico. E permaneceu como um favorito por vários anos, mesmo com o aumento da concorrência no mercado de carnes caras. Estávamos dispostos a pagar preços premium pelos bifes Del Frisco porque a qualidade era inquestionável, eles eram preparados com expertise de precisão e o serviço era um dos mais profissionais da cidade. O jantar aqui era uma indulgência especial.

Mas então a Lone Star Steakhouse & Saloon comprou o Double Eagle original da Del Frisco no Texas e começou a abrir outros locais como sua marca de luxo. Del Frisco's - Double Eagles all - apareceu em Denver, Las Vegas e Manhattan. A corporatização de churrascarias sofisticadas vem acontecendo há vários anos. Uma churrascaria de propriedade independente é quase tão rara hoje em dia quanto o atum grelhado, se você me perdoa a metáfora ligeiramente confusa.

Mas por causa de um acordo pré-existente, o proprietário de Orlando, Russ Christner, conseguiu manter alguma independência.

E isso foi importante porque muito do sucesso inicial do restaurante apareceu devido a Christner e sua presença constante nas salas de jantar, vagando entre as mesas e cabines sempre cheias em sua camisa azul de marca registrada com uma toalha de veludo chamuscada pendurada em seu ombro. A toalha não era apenas um adereço, mas uma ferramenta necessária para agarrar os pratos impossivelmente quentes, se ele precisasse dar uma mão. Ele era literalmente um proprietário prático, e o restaurante funcionava melhor quando ele dava toda a atenção.

Christner desenvolveu melanoma e morreu há quatro anos. Durante sua doença, a qualidade do restaurante piorou um pouco, mas as coisas têm voltado ao normal - o que significa extraordinário no caso de Del Frisco - nos últimos anos. Mais uma vez, há uma ênfase em satisfazer o desejo por um bife espesso, suculento, de alta qualidade e bem preparado servido com orgulho por uma equipe atenciosa.
Um pedaço de carne mais fino do que a tira prime de 16 onças (US $ 35,95) seria difícil de encontrar. Foi cozido precisamente na hora, um centro muito vermelho dentro de um exterior carbonizado crocante que, felizmente, não estava coberto com pimenta, como foi a última vez que jantei lá. O fato de o lombo principal (US $ 30,95), um corte com osso que também pesava 16 onças, não era tão bom quanto a tira é apenas para dizer o quão incrível a tira era. Ambos valeram o preço, que, você deve saber, compra apenas a carne - os lados têm um preço extra.

O aperitivo frito de ostras, são maravilhosos. Ostras enormes e rechonchudas usando casacos dourados crocantes. Eu os recebi na minha primeira visita e gostei tanto que os encomendei novamente na minha segunda viagem.

Também pedi uma amostra de três tipos de camarão resfriado, que incluía quatro camarões semelhantes a camarões com remoulade, coquetel e molhos de mostarda. Mais ostras, por favor.

Para a sobremesa havia um bolo de cenoura perfeitamente maravilhoso, cujo preço de US $ 5,95 desmente seu tamanho. Úmido e multi-camadas com uma cobertura cremosa. O praliné parfait (US $ 5,95) também era bom, com nozes e caramelo com sorvete.

A lista de vinhos é uma decepção. Bifes maravilhosos merecem uma lista mais variada com seleções melhores e mais complexas.

A decoração nunca foi um dos pontos de venda do Del Frisco. Mas é apropriadamente masculino, sombrio e temperamental. Talvez um pouco mal-humorado - uma briga quase estourou entre vários convidados do sexo masculino em uma de minhas visitas. Pedaços grandes de carne tendem a despertar o homem das cavernas.

Carole Christner continua a operar o restaurante como a única franquia da Del Frisco. Seu filho David, que trabalhava no restaurante quando este foi inaugurado e depois saiu para seguir a carreira de piloto, voltou como coproprietário. Se os dois são relutantes proprietários acidentais apenas seguindo o sonho de Russ Christner, você não saberia. Eles abraçaram o papel de proprietários com a mesma excelência prática que os habitantes da Flórida Central esperam de uma das últimas ótimas churrascarias independentes do país.

Del Frisco's fica em 729 Lee Road, Orlando. Está aberto para jantar de segunda a sábado. O número de telefone é 407-645-4443. Visite o site aqui.

Esperamos que as nossas análises e artigos de notícias sejam úteis e divertidos. Sempre foi nosso objetivo ajudá-lo a tomar decisões informadas ao gastar seu dinheiro em jantares. Se o ajudamos de alguma forma, considere fazer uma contribuição para nos ajudar a continuar nosso jornalismo. Obrigada.


Escrito por Scott Joseph em 21 de julho de 2009.

Eu finalmente tive a chance de parar no Del Frisco's para conferir as reformas que a churrascaria sofisticada passou no ano passado.

Basicamente, as duas entidades separadas - a sala de jantar principal e o lounge e piano bar ao lado - foram unidas como uma só com a adição de um foyer semelhante a uma catedral e uma entrada principal. Passe pela porta da frente e vá para a direita para a antiga sala de jantar (a entrada original está bloqueada e o corredor está sendo usado como depósito) ou vá para a esquerda para chegar ao bar e lounge. Na noite em que visitei, mais pessoas estavam escolhendo o lounge do que a sala de jantar. Mas o bom é que todo o menu está disponível no bar - algo que nem sempre era possível quando o piano bar foi adicionado pela primeira vez.

A outra coisa boa é que a comida ainda é de primeira.

Del Frisco's já existe há 16 anos. Quando foi inaugurado na Lee Road em meados de 1993, tornou-se um favorito instantâneo, não só meu, mas também dos Central Foridians que adoram bife excelente. Quando a revista Florida conduziu seu primeiro Foodie Awards anual em 1998, ela ganhou o prêmio de melhor churrascaria sofisticada tanto dos leitores quanto do crítico. E permaneceu como um favorito por vários anos, mesmo com o aumento da concorrência no mercado de carnes caras. Estávamos dispostos a pagar preços premium pelos bifes Del Frisco porque a qualidade era inquestionável, eles eram preparados com expertise de precisão e o serviço era um dos mais profissionais da cidade. O jantar aqui era uma indulgência especial.

Mas então a Lone Star Steakhouse & Saloon comprou o Double Eagle original da Del Frisco no Texas e começou a abrir outros locais como sua marca de luxo. Del Frisco's - Double Eagles all - apareceu em Denver, Las Vegas e Manhattan. A corporatização de churrascarias sofisticadas vem acontecendo há vários anos. Uma churrascaria de propriedade independente é quase tão rara hoje em dia quanto o atum grelhado, se você me perdoa a metáfora ligeiramente confusa.

Mas por causa de um acordo pré-existente, o proprietário de Orlando, Russ Christner, conseguiu manter alguma independência.

E isso foi importante porque muito do sucesso inicial do restaurante apareceu devido a Christner e sua presença constante nas salas de jantar, vagando entre as mesas e cabines sempre cheias em sua camisa azul de marca registrada com uma toalha de veludo chamuscada pendurada em seu ombro. A toalha não era apenas um adereço, mas uma ferramenta necessária para agarrar os pratos impossivelmente quentes, se ele precisasse dar uma mão. Ele era literalmente um proprietário prático, e o restaurante funcionava melhor quando ele dava toda a atenção.

Christner desenvolveu melanoma e morreu há quatro anos. Durante sua doença, a qualidade do restaurante piorou um pouco, mas as coisas têm voltado ao normal - o que significa extraordinário no caso de Del Frisco - nos últimos anos. Mais uma vez, há uma ênfase em satisfazer o desejo por um bife espesso, suculento, de alta qualidade e bem preparado servido com orgulho por uma equipe atenciosa.
Um pedaço de carne mais fino do que a tira nobre de 16 onças (US $ 35,95) seria difícil de encontrar. Foi cozido precisamente na hora, um centro muito vermelho dentro de um exterior carbonizado crocante que, felizmente, não estava coberto com pimenta, como foi a última vez que jantei lá. Que o lombo principal (US $ 30,95), um corte com osso que também pesava 16 onças, não era tão bom quanto a tira é apenas para dizer o quão incrível a tira era. Ambos valeram o preço, que, você deve saber, compra apenas a carne - os lados têm um preço extra.

O aperitivo frito de ostras, são maravilhosos. Ostras enormes e rechonchudas usando casacos dourados crocantes. Eu os recebi na minha primeira visita e gostei tanto que os encomendei novamente na minha segunda viagem.

Também pedi uma amostra de três tipos de camarão resfriado, que incluía quatro camarões semelhantes a camarões com remoulade, coquetel e molhos de mostarda. Mais ostras, por favor.

Para sobremesa havia um bolo de cenoura perfeitamente maravilhoso, cujo preço de US $ 5,95 desmente seu tamanho. Úmido e multi-camadas com uma cobertura cremosa. O praliné parfait (US $ 5,95) também era bom, com nozes e caramelo com sorvete.

A lista de vinhos é uma decepção. Bifes maravilhosos merecem uma lista mais variada com seleções melhores e mais complexas.

A decoração nunca foi um dos pontos de venda do Del Frisco. Mas é apropriadamente masculino, sombrio e temperamental. Talvez um pouco mal-humorado - uma briga quase estourou entre vários convidados do sexo masculino em uma de minhas visitas. Pedaços grandes de carne tendem a despertar o homem das cavernas.

Carole Christner continua a operar o restaurante como a única franquia da Del Frisco. Seu filho David, que trabalhava no restaurante quando este foi inaugurado e depois saiu para seguir a carreira de piloto, voltou como coproprietário. Se os dois são relutantes proprietários acidentais apenas seguindo o sonho de Russ Christner, você não saberia. Eles abraçaram o papel de proprietários com a mesma excelência prática que os habitantes da Flórida Central esperam de uma das últimas ótimas churrascarias independentes do país.

Del Frisco's fica em 729 Lee Road, Orlando. Está aberto para jantar de segunda a sábado. O número de telefone é 407-645-4443. Visite o site aqui.

Esperamos que nossos comentários e artigos de notícias sejam úteis e divertidos. Sempre foi nosso objetivo ajudá-lo a tomar decisões informadas ao gastar seu dinheiro em jantares. Se o ajudamos de alguma forma, considere fazer uma contribuição para nos ajudar a continuar nosso jornalismo. Obrigada.


Escrito por Scott Joseph em 21 de julho de 2009.

Eu finalmente tive a chance de parar no Del Frisco's para conferir as reformas que a churrascaria sofisticada passou no ano passado.

Basicamente, as duas entidades separadas - a sala de jantar principal e o lounge e piano bar ao lado - foram unidas como uma só com a adição de um foyer semelhante a uma catedral e uma entrada principal. Passe pela porta da frente e vá para a direita para a antiga sala de jantar (a entrada original está bloqueada e o corredor está sendo usado como depósito) ou vá para a esquerda para chegar ao bar e lounge. Na noite em que visitei, mais pessoas estavam escolhendo o lounge do que a sala de jantar. Mas o bom é que todo o menu está disponível no bar - algo que nem sempre era possível quando o piano bar foi adicionado pela primeira vez.

A outra coisa boa é que a comida ainda é de primeira.

Del Frisco's já existe há 16 anos. Quando foi inaugurado na Lee Road em meados de 1993, tornou-se um favorito instantâneo, não só meu, mas também dos Central Foridians que adoram bife excelente. Quando a revista Florida conduziu seu primeiro Foodie Awards anual em 1998, ela ganhou o prêmio de melhor churrascaria sofisticada tanto dos leitores quanto do crítico. E permaneceu como um favorito por vários anos, mesmo com o aumento da concorrência no mercado de carnes caras. Estávamos dispostos a pagar preços premium pelos bifes Del Frisco porque a qualidade era inquestionável, eles eram preparados com expertise de precisão e o serviço era um dos mais profissionais da cidade. O jantar aqui era uma indulgência especial.

Mas então a Lone Star Steakhouse & Saloon comprou o Double Eagle original da Del Frisco no Texas e começou a abrir outros locais como sua marca de luxo. Del Frisco's - Double Eagles all - apareceu em Denver, Las Vegas e Manhattan. A corporatização de churrascarias sofisticadas vem acontecendo há vários anos. Uma churrascaria de propriedade independente é quase tão rara hoje em dia quanto o atum grelhado, se você me perdoa a metáfora ligeiramente confusa.

Mas por causa de um acordo pré-existente, o proprietário de Orlando, Russ Christner, conseguiu manter alguma independência.

E isso foi importante porque muito do sucesso inicial do restaurante apareceu devido a Christner e sua presença constante nas salas de jantar, vagando entre as mesas e cabines sempre cheias em sua camisa azul de marca registrada com uma toalha de veludo chamuscada pendurada em seu ombro. A toalha não era apenas um adereço, mas uma ferramenta necessária para agarrar os pratos impossivelmente quentes, se ele precisasse dar uma mão. Ele era literalmente um proprietário prático, e o restaurante funcionava melhor quando ele dava toda a atenção.

Christner desenvolveu melanoma e morreu há quatro anos. Durante sua doença, a qualidade do restaurante piorou um pouco, mas as coisas têm voltado ao normal - o que significa extraordinário no caso de Del Frisco - nos últimos anos. Mais uma vez, há uma ênfase em satisfazer o desejo por um bife espesso, suculento, de alta qualidade e bem preparado servido com orgulho por uma equipe atenciosa.
Um pedaço de carne mais fino do que a tira prime de 16 onças (US $ 35,95) seria difícil de encontrar. Foi cozido precisamente na hora, um centro muito vermelho dentro de um exterior carbonizado crocante que, felizmente, não estava coberto com pimenta, como foi a última vez que jantei lá. O fato de o lombo principal (US $ 30,95), um corte com osso que também pesava 16 onças, não era tão bom quanto a tira é apenas para dizer o quão incrível a tira era. Ambos valeram o preço, que, você deve saber, compra apenas a carne - os lados têm um preço extra.

O aperitivo frito de ostras, são maravilhosos. Ostras enormes e rechonchudas usando casacos dourados crocantes. Eu os recebi na minha primeira visita e gostei tanto que os encomendei novamente na minha segunda viagem.

Também pedi uma amostra de três tipos de camarão resfriado, que incluía quatro camarões semelhantes a camarões com remoulade, coquetel e molhos de mostarda. Mais ostras, por favor.

Para sobremesa havia um bolo de cenoura perfeitamente maravilhoso, cujo preço de US $ 5,95 desmente seu tamanho. Úmido e multi-camadas com uma cobertura cremosa. O praliné parfait (US $ 5,95) também era bom, com nozes e caramelo com sorvete.

A lista de vinhos é uma decepção. Bifes maravilhosos merecem uma lista mais variada com seleções melhores e mais complexas.

A decoração nunca foi um dos pontos de venda do Del Frisco. Mas é apropriadamente masculino, sombrio e temperamental. Talvez um pouco mal-humorado - uma briga quase estourou entre vários convidados do sexo masculino em uma de minhas visitas. Pedaços grandes de carne tendem a despertar o homem das cavernas.

Carole Christner continua a operar o restaurante como a única franquia da Del Frisco. Seu filho David, que trabalhava no restaurante quando este foi inaugurado e depois saiu para seguir a carreira de piloto, voltou como coproprietário. Se os dois são relutantes proprietários acidentais apenas seguindo o sonho de Russ Christner, você não saberia. Eles abraçaram o papel de proprietários com a mesma excelência prática que os moradores da Flórida Central esperam de uma das últimas ótimas churrascarias independentes do país.

Del Frisco's fica em 729 Lee Road, Orlando. Está aberto para jantar de segunda a sábado. O número de telefone é 407-645-4443. Visite o site aqui.

Esperamos que nossos comentários e artigos de notícias sejam úteis e divertidos. Sempre foi nosso objetivo ajudá-lo a tomar decisões informadas ao gastar seu dinheiro em jantares. Se o ajudamos de alguma forma, considere fazer uma contribuição para nos ajudar a continuar nosso jornalismo. Obrigada.


Escrito por Scott Joseph em 21 de julho de 2009.

Eu finalmente tive a chance de parar no Del Frisco's para conferir as reformas que a churrascaria sofisticada passou no ano passado.

Basicamente, as duas entidades separadas - a sala de jantar principal e o lounge e piano bar ao lado - foram unidas como uma só com a adição de um foyer semelhante a uma catedral e uma entrada principal. Passe pela porta da frente e vá para a direita para a antiga sala de jantar (a entrada original está bloqueada e o corredor está sendo usado como depósito) ou vá para a esquerda para chegar ao bar e lounge. Na noite em que visitei, mais pessoas estavam escolhendo o lounge do que a sala de jantar. Mas o bom é que todo o menu está disponível no bar - algo que nem sempre era possível quando o piano bar foi adicionado pela primeira vez.

A outra coisa boa é que a comida ainda é de primeira.

Del Frisco's já existe há 16 anos. Quando foi inaugurado na Lee Road em meados de 1993, tornou-se um favorito instantâneo, não só meu, mas também dos Central Foridians que adoram bife excelente. Quando a revista Florida conduziu seu primeiro Foodie Awards anual em 1998, ela ganhou o prêmio de melhor churrascaria sofisticada tanto dos leitores quanto do crítico. E permaneceu como um favorito por vários anos, mesmo com o aumento da concorrência no mercado de carnes caras. Estávamos dispostos a pagar preços premium pelos bifes Del Frisco porque a qualidade era inquestionável, eles eram preparados com expertise de precisão e o serviço era um dos mais profissionais da cidade. O jantar aqui era uma indulgência especial.

Mas então a Lone Star Steakhouse & Saloon comprou o Double Eagle original da Del Frisco no Texas e começou a abrir outros locais como sua marca de luxo. Del Frisco's - Double Eagles all - apareceu em Denver, Las Vegas e Manhattan. A corporatização de churrascarias sofisticadas vem acontecendo há vários anos. Uma churrascaria de propriedade independente é quase tão rara hoje em dia quanto o atum grelhado, se você me perdoa a metáfora ligeiramente confusa.

Mas por causa de um acordo pré-existente, o proprietário de Orlando, Russ Christner, conseguiu manter alguma independência.

E isso foi importante porque muito do sucesso inicial do restaurante apareceu devido a Christner e sua presença constante nas salas de jantar, vagando entre as mesas e cabines sempre cheias em sua camisa azul de marca registrada com uma toalha de veludo chamuscada pendurada em seu ombro. A toalha não era apenas um adereço, mas uma ferramenta necessária para agarrar os pratos impossivelmente quentes, se ele precisasse dar uma mão. Ele era literalmente um proprietário prático, e o restaurante funcionava melhor quando ele dava toda a atenção.

Christner desenvolveu melanoma e morreu há quatro anos. Durante sua doença, a qualidade do restaurante piorou um pouco, mas as coisas têm voltado ao normal - o que significa extraordinário no caso de Del Frisco - nos últimos anos. Mais uma vez, há uma ênfase em satisfazer o desejo por um bife espesso, suculento, de alta qualidade e bem preparado servido com orgulho por uma equipe atenciosa.
Um pedaço de carne mais fino do que a tira prime de 16 onças (US $ 35,95) seria difícil de encontrar. Foi cozido precisamente na hora, um centro muito vermelho dentro de um exterior carbonizado crocante que, felizmente, não estava coberto com pimenta, como foi a última vez que jantei lá. O fato de o lombo principal (US $ 30,95), um corte com osso que também pesava 16 onças, não era tão bom quanto a tira só para dizer o quão incrível a tira era. Ambos valeram o preço, que, você deve saber, compra apenas a carne - os lados têm um preço extra.

O aperitivo frito de ostras, são maravilhosos. Ostras enormes e rechonchudas usando casacos dourados crocantes. Eu os recebi na minha primeira visita e gostei tanto que os encomendei novamente na minha segunda viagem.

Também pedi uma amostra de três tipos de camarão resfriado, que incluía quatro camarões semelhantes a camarões com remoulade, coquetel e molhos de mostarda. Mais ostras, por favor.

Para a sobremesa havia um bolo de cenoura perfeitamente maravilhoso, cujo preço de US $ 5,95 desmente seu tamanho. Úmido e multi-camadas com uma cobertura cremosa. O praliné parfait (US $ 5,95) também era bom, com nozes e caramelo com sorvete.

A lista de vinhos é uma decepção. Bifes maravilhosos merecem uma lista mais variada com seleções melhores e mais complexas.

A decoração nunca foi um dos pontos de venda do Del Frisco. Mas é apropriadamente masculino, sombrio e temperamental. Talvez um pouco mal-humorado - uma briga quase estourou entre vários convidados do sexo masculino em uma de minhas visitas. Pedaços grandes de carne tendem a despertar o homem das cavernas.

Carole Christner continua a operar o restaurante como a única franquia da Del Frisco. Seu filho David, que trabalhava no restaurante quando este foi inaugurado e depois saiu para seguir a carreira de piloto, voltou como coproprietário. Se os dois são relutantes proprietários acidentais apenas seguindo o sonho de Russ Christner, você não saberia. Eles abraçaram o papel de proprietários com a mesma excelência prática que os habitantes da Flórida Central esperam de uma das últimas ótimas churrascarias independentes do país.

Del Frisco's fica em 729 Lee Road, Orlando. Está aberto para jantar de segunda a sábado. O número de telefone é 407-645-4443. Visite o site aqui.

Esperamos que nossos comentários e artigos de notícias sejam úteis e divertidos. Sempre foi nosso objetivo ajudá-lo a tomar decisões informadas ao gastar seu dinheiro em jantares. Se o ajudamos de alguma forma, considere fazer uma contribuição para nos ajudar a continuar nosso jornalismo. Obrigada.


Escrito por Scott Joseph em 21 de julho de 2009.

Eu finalmente tive a chance de parar no Del Frisco's para conferir as reformas que a churrascaria sofisticada passou no ano passado.

Basicamente, as duas entidades separadas - a sala de jantar principal e o lounge e piano bar ao lado - foram unidas como uma só com a adição de um foyer semelhante a uma catedral e uma entrada principal. Passe pela porta da frente e vá para a direita para a antiga sala de jantar (a entrada original está bloqueada e o corredor está sendo usado como depósito) ou vá para a esquerda para chegar ao bar e lounge. Na noite em que visitei, mais pessoas estavam escolhendo o lounge do que a sala de jantar. Mas o bom é que todo o menu está disponível no bar - algo que nem sempre era possível quando o piano bar foi adicionado pela primeira vez.

A outra coisa boa é que a comida ainda é de primeira.

Del Frisco's já existe há 16 anos. Quando foi inaugurado na Lee Road em meados de 1993, tornou-se um favorito instantâneo, não só meu, mas também dos Central Foridians que adoram bife excelente. Quando a revista Florida conduziu seu primeiro Foodie Awards anual em 1998, ganhou o prêmio de melhor churrascaria sofisticada tanto dos leitores quanto do crítico. E permaneceu como um favorito por vários anos, mesmo com o aumento da concorrência no mercado de carnes caras. Estávamos dispostos a pagar preços premium pelos bifes Del Frisco porque a qualidade era inquestionável, eles eram preparados com expertise de precisão e o serviço era um dos mais profissionais da cidade. O jantar aqui era uma indulgência especial.

Mas então a Lone Star Steakhouse & Saloon comprou o Double Eagle original da Del Frisco no Texas e começou a abrir outros locais como sua marca de luxo. Del Frisco's - Double Eagles all - apareceu em Denver, Las Vegas e Manhattan. A corporatização de churrascarias sofisticadas vem acontecendo há vários anos. Uma churrascaria de propriedade independente é quase tão rara hoje em dia quanto o atum grelhado, se você me perdoa a metáfora ligeiramente confusa.

Mas por causa de um acordo pré-existente, o proprietário de Orlando, Russ Christner, conseguiu manter alguma independência.

E isso foi importante porque muito do sucesso inicial do restaurante apareceu devido a Christner e sua presença constante nas salas de jantar, vagando entre as mesas e cabines sempre cheias em sua camisa azul de marca registrada com uma toalha de veludo chamuscada pendurada em seu ombro. A toalha não era apenas um adereço, mas uma ferramenta necessária para agarrar os pratos impossivelmente quentes, se ele precisasse dar uma mão. Ele era literalmente um proprietário prático, e o restaurante funcionava melhor quando ele dava toda a atenção.

Christner desenvolveu melanoma e morreu há quatro anos. Durante sua doença, a qualidade do restaurante piorou um pouco, mas as coisas têm voltado ao normal - o que significa extraordinário no caso de Del Frisco - nos últimos anos. Mais uma vez, há uma ênfase em satisfazer o desejo por um bife espesso, suculento, de alta qualidade e bem preparado servido com orgulho por uma equipe atenciosa.
Um pedaço de carne mais fino do que a tira prime de 16 onças (US $ 35,95) seria difícil de encontrar. Foi cozido precisamente na hora, um centro muito vermelho dentro de um exterior carbonizado crocante que, felizmente, não estava coberto com pimenta, como foi a última vez que jantei lá. O fato de o lombo principal (US $ 30,95), um corte com osso que também pesava 16 onças, não era tão bom quanto a tira só para dizer o quão incrível a tira era. Ambos valeram o preço, que, você deve saber, compra apenas a carne - os lados têm um preço extra.

O aperitivo frito de ostras, são maravilhosos. Ostras enormes e rechonchudas usando casacos dourados crocantes. Eu os recebi na minha primeira visita e gostei tanto que os encomendei novamente na minha segunda viagem.

Também pedi uma amostra de três tipos de camarão resfriado, que incluía quatro camarões semelhantes a camarões com remoulade, coquetel e molhos de mostarda. Mais ostras, por favor.

Para a sobremesa havia um bolo de cenoura perfeitamente maravilhoso, cujo preço de US $ 5,95 desmente seu tamanho. Úmido e multi-camadas com uma cobertura cremosa. O praliné parfait (US $ 5,95) também era bom, com nozes e caramelo com sorvete.

A lista de vinhos é uma decepção. Bifes maravilhosos merecem uma lista mais variada com seleções melhores e mais complexas.

A decoração nunca foi um dos pontos de venda do Del Frisco. Mas é apropriadamente masculino, sombrio e temperamental. Talvez um pouco mal-humorado - uma briga quase estourou entre vários convidados do sexo masculino em uma de minhas visitas. Pedaços grandes de carne tendem a despertar o homem das cavernas.

Carole Christner continua a operar o restaurante como a única franquia da Del Frisco. Seu filho David, que trabalhava no restaurante quando este foi inaugurado e depois saiu para seguir a carreira de piloto, voltou como coproprietário. Se os dois são relutantes proprietários acidentais apenas seguindo o sonho de Russ Christner, você não saberia. Eles abraçaram o papel de proprietários com a mesma excelência prática que os moradores da Flórida Central esperam de uma das últimas ótimas churrascarias independentes do país.

Del Frisco's fica em 729 Lee Road, Orlando. Está aberto para jantar de segunda a sábado. O número de telefone é 407-645-4443. Visite o site aqui.

Esperamos que as nossas análises e artigos de notícias sejam úteis e divertidos. Sempre foi nosso objetivo ajudá-lo a tomar decisões informadas ao gastar seu dinheiro em jantares. Se o ajudamos de alguma forma, considere fazer uma contribuição para nos ajudar a continuar nosso jornalismo. Obrigada.


Escrito por Scott Joseph em 21 de julho de 2009.

Finalmente tive a chance de parar no Del Frisco's para conferir as reformas que a churrascaria sofisticada passou no ano passado.

Basically, the two separate entities -- the main dining room and the lounge and piano bar next door -- were joined together as one with the addition of a cathedral-like foyer and main entrance. Walk through the front door and go to the right for the old dining room (the original entrance is blocked and the hallway is being used as storage) or go to the left to reach the bar and lounge. The night I visited more people were choosing the lounge than the dining room. But the nice thing is that the entire menu is available at the bar -- something that was not always possible when the piano bar was first added.

The other nice thing is that the food is still first rate.

Del Frisco’s has now been around for 16 years. When it first opened on Lee Road in mid 1993 it became an instant favorite, not only of mine but of Central Foridians who love great steak. When Florida magazine conducted its first annual Foodie Awards in 1998 it earned the award for best high-end steakhouse from both the readers and the critic. And it remained a favorite for several years even as competition in the high-priced meat market grew. We were willing to pay premium prices for Del Frisco’s steaks because the quality was unquestionable, they were cooked with precision expertise and the service was among the most professional in town. Dinner here was a special indulgence.

But then Lone Star Steakhouse & Saloon bought the original Del Frisco’s Double Eagle in Texas and began to open other locations as their upscale brand. Del Frisco’s – Double Eagles all – popped up in Denver, Las Vegas and Manhattan. The corporatization of high-end steakhouses has been happening for several years. An independently-owned steakhouse is almost as rare these days as seared tuna, if you’ll forgive the slightly mixed metaphor.

But because of a pre-existing arrangement, Orlando owner Russ Christner was able to retain some independence.

And that was important because much of the restaurant’s early success appeared due to Christner and his ever-presence in the dining rooms, roaming among the always-full tables and booths in his trademark blue shirt with scorched terrycloth towel draped over his shoulder. The towel wasn’t just a prop but a necessary tool for grabbing the impossibly hot plates if he needed to lend a hand. He was literally a hands-on owner, and the restaurant operated best when he was giving it his full attention.

Christner developed melanoma and died four years ago. During his illness the quality of the restaurant flagged a bit, but things have been getting back to normal -- which means extraordinary in Del Frisco’s case -- for the last few years. There’s once again an emphasis on indulging a craving for a thick, juicy, high-quality, well-prepared steak served with pride by a mindful staff.
A finer piece of meat than the 16-ounce prime strip ($35.95) would be hard to come by. It was cooked precisely to order, a very red center within a crispy charred exterior that, thankfully, wasn’t coated with pepper, as it was the last time I had dined there. That the prime ribeye ($30.95), a bone-in cut that also weighed in at 16-ounces, wasn’t quite as good as the strip is only to say how terrific the strip was. Both were worth the price, which, you should know, buys only the meat – sides are extra.

The fried oysters appetizer, are wonderful. Huge, plump oysters wearing crispy golden jackets. I had them on my first visit and enjoyed them so much I ordered them again on my second trip.

I also had a sampler of three types of chilled shrimp, which included four prawnlike shrimp with remoulade, cocktail and mustard sauces. More oysters, please.

For dessert there was a perfectly wonderful carrot cake, whose $5.95 price tag belies its size. Moist and multi-layered with a creamy frosting. Praline parfait ($5.95) was good, too, with pecans and caramel over ice cream.

The wine list is a disappointment. Wonderful steaks deserve a more varied list with better, more complex selections.

The décor has never been one of the Del Frisco’s selling points. But it’s appropriately masculine, dark and moody. Perhaps a little too moody – a fight nearly broke out between several male guests on one of my visits. Big hunks of meat tend to bring out the caveman.

Carole Christner continues to operate the restaurant as the only Del Frisco’s franchise. Her son David, who worked at the restaurant when it first opened and then left to pursue a career as a pilot, has returned as co-owner. If the two of them are reluctant accidental owners only following Russ Christner’s dream, you wouldn’t know it. They have embraced the role of owner with the same hands-on excellence that Central Floridians have some to expect from one of the last great independently owned fine steakhouses in the country.

Del Frisco’s is at 729 Lee Road, Orlando. It’s open for dinner Monday through Saturday. The phone number is 407-645-4443. Visit the Web site here.

We hope you find our reviews and news articles useful and entertaining. It has always been our goal to assist you in making informed decisions when spending your dining dollars. If we’ve helped you in any way, please consider making a contribution to help us continue our journalism. Obrigada.


Written by Scott Joseph on 21 July 2009 .

I finally had a chance to stop by Del Frisco’s to check out the renovations the high-end steakhouse underwent last year.

Basically, the two separate entities -- the main dining room and the lounge and piano bar next door -- were joined together as one with the addition of a cathedral-like foyer and main entrance. Walk through the front door and go to the right for the old dining room (the original entrance is blocked and the hallway is being used as storage) or go to the left to reach the bar and lounge. The night I visited more people were choosing the lounge than the dining room. But the nice thing is that the entire menu is available at the bar -- something that was not always possible when the piano bar was first added.

The other nice thing is that the food is still first rate.

Del Frisco’s has now been around for 16 years. When it first opened on Lee Road in mid 1993 it became an instant favorite, not only of mine but of Central Foridians who love great steak. When Florida magazine conducted its first annual Foodie Awards in 1998 it earned the award for best high-end steakhouse from both the readers and the critic. And it remained a favorite for several years even as competition in the high-priced meat market grew. We were willing to pay premium prices for Del Frisco’s steaks because the quality was unquestionable, they were cooked with precision expertise and the service was among the most professional in town. Dinner here was a special indulgence.

But then Lone Star Steakhouse & Saloon bought the original Del Frisco’s Double Eagle in Texas and began to open other locations as their upscale brand. Del Frisco’s – Double Eagles all – popped up in Denver, Las Vegas and Manhattan. The corporatization of high-end steakhouses has been happening for several years. An independently-owned steakhouse is almost as rare these days as seared tuna, if you’ll forgive the slightly mixed metaphor.

But because of a pre-existing arrangement, Orlando owner Russ Christner was able to retain some independence.

And that was important because much of the restaurant’s early success appeared due to Christner and his ever-presence in the dining rooms, roaming among the always-full tables and booths in his trademark blue shirt with scorched terrycloth towel draped over his shoulder. The towel wasn’t just a prop but a necessary tool for grabbing the impossibly hot plates if he needed to lend a hand. He was literally a hands-on owner, and the restaurant operated best when he was giving it his full attention.

Christner developed melanoma and died four years ago. During his illness the quality of the restaurant flagged a bit, but things have been getting back to normal -- which means extraordinary in Del Frisco’s case -- for the last few years. There’s once again an emphasis on indulging a craving for a thick, juicy, high-quality, well-prepared steak served with pride by a mindful staff.
A finer piece of meat than the 16-ounce prime strip ($35.95) would be hard to come by. It was cooked precisely to order, a very red center within a crispy charred exterior that, thankfully, wasn’t coated with pepper, as it was the last time I had dined there. That the prime ribeye ($30.95), a bone-in cut that also weighed in at 16-ounces, wasn’t quite as good as the strip is only to say how terrific the strip was. Both were worth the price, which, you should know, buys only the meat – sides are extra.

The fried oysters appetizer, are wonderful. Huge, plump oysters wearing crispy golden jackets. I had them on my first visit and enjoyed them so much I ordered them again on my second trip.

I also had a sampler of three types of chilled shrimp, which included four prawnlike shrimp with remoulade, cocktail and mustard sauces. More oysters, please.

For dessert there was a perfectly wonderful carrot cake, whose $5.95 price tag belies its size. Moist and multi-layered with a creamy frosting. Praline parfait ($5.95) was good, too, with pecans and caramel over ice cream.

The wine list is a disappointment. Wonderful steaks deserve a more varied list with better, more complex selections.

The décor has never been one of the Del Frisco’s selling points. But it’s appropriately masculine, dark and moody. Perhaps a little too moody – a fight nearly broke out between several male guests on one of my visits. Big hunks of meat tend to bring out the caveman.

Carole Christner continues to operate the restaurant as the only Del Frisco’s franchise. Her son David, who worked at the restaurant when it first opened and then left to pursue a career as a pilot, has returned as co-owner. If the two of them are reluctant accidental owners only following Russ Christner’s dream, you wouldn’t know it. They have embraced the role of owner with the same hands-on excellence that Central Floridians have some to expect from one of the last great independently owned fine steakhouses in the country.

Del Frisco’s is at 729 Lee Road, Orlando. It’s open for dinner Monday through Saturday. The phone number is 407-645-4443. Visit the Web site here.

We hope you find our reviews and news articles useful and entertaining. It has always been our goal to assist you in making informed decisions when spending your dining dollars. If we’ve helped you in any way, please consider making a contribution to help us continue our journalism. Obrigada.


Written by Scott Joseph on 21 July 2009 .

I finally had a chance to stop by Del Frisco’s to check out the renovations the high-end steakhouse underwent last year.

Basically, the two separate entities -- the main dining room and the lounge and piano bar next door -- were joined together as one with the addition of a cathedral-like foyer and main entrance. Walk through the front door and go to the right for the old dining room (the original entrance is blocked and the hallway is being used as storage) or go to the left to reach the bar and lounge. The night I visited more people were choosing the lounge than the dining room. But the nice thing is that the entire menu is available at the bar -- something that was not always possible when the piano bar was first added.

The other nice thing is that the food is still first rate.

Del Frisco’s has now been around for 16 years. When it first opened on Lee Road in mid 1993 it became an instant favorite, not only of mine but of Central Foridians who love great steak. When Florida magazine conducted its first annual Foodie Awards in 1998 it earned the award for best high-end steakhouse from both the readers and the critic. And it remained a favorite for several years even as competition in the high-priced meat market grew. We were willing to pay premium prices for Del Frisco’s steaks because the quality was unquestionable, they were cooked with precision expertise and the service was among the most professional in town. Dinner here was a special indulgence.

But then Lone Star Steakhouse & Saloon bought the original Del Frisco’s Double Eagle in Texas and began to open other locations as their upscale brand. Del Frisco’s – Double Eagles all – popped up in Denver, Las Vegas and Manhattan. The corporatization of high-end steakhouses has been happening for several years. An independently-owned steakhouse is almost as rare these days as seared tuna, if you’ll forgive the slightly mixed metaphor.

But because of a pre-existing arrangement, Orlando owner Russ Christner was able to retain some independence.

And that was important because much of the restaurant’s early success appeared due to Christner and his ever-presence in the dining rooms, roaming among the always-full tables and booths in his trademark blue shirt with scorched terrycloth towel draped over his shoulder. The towel wasn’t just a prop but a necessary tool for grabbing the impossibly hot plates if he needed to lend a hand. He was literally a hands-on owner, and the restaurant operated best when he was giving it his full attention.

Christner developed melanoma and died four years ago. During his illness the quality of the restaurant flagged a bit, but things have been getting back to normal -- which means extraordinary in Del Frisco’s case -- for the last few years. There’s once again an emphasis on indulging a craving for a thick, juicy, high-quality, well-prepared steak served with pride by a mindful staff.
A finer piece of meat than the 16-ounce prime strip ($35.95) would be hard to come by. It was cooked precisely to order, a very red center within a crispy charred exterior that, thankfully, wasn’t coated with pepper, as it was the last time I had dined there. That the prime ribeye ($30.95), a bone-in cut that also weighed in at 16-ounces, wasn’t quite as good as the strip is only to say how terrific the strip was. Both were worth the price, which, you should know, buys only the meat – sides are extra.

The fried oysters appetizer, are wonderful. Huge, plump oysters wearing crispy golden jackets. I had them on my first visit and enjoyed them so much I ordered them again on my second trip.

I also had a sampler of three types of chilled shrimp, which included four prawnlike shrimp with remoulade, cocktail and mustard sauces. More oysters, please.

For dessert there was a perfectly wonderful carrot cake, whose $5.95 price tag belies its size. Moist and multi-layered with a creamy frosting. Praline parfait ($5.95) was good, too, with pecans and caramel over ice cream.

The wine list is a disappointment. Wonderful steaks deserve a more varied list with better, more complex selections.

The décor has never been one of the Del Frisco’s selling points. But it’s appropriately masculine, dark and moody. Perhaps a little too moody – a fight nearly broke out between several male guests on one of my visits. Big hunks of meat tend to bring out the caveman.

Carole Christner continues to operate the restaurant as the only Del Frisco’s franchise. Her son David, who worked at the restaurant when it first opened and then left to pursue a career as a pilot, has returned as co-owner. If the two of them are reluctant accidental owners only following Russ Christner’s dream, you wouldn’t know it. They have embraced the role of owner with the same hands-on excellence that Central Floridians have some to expect from one of the last great independently owned fine steakhouses in the country.

Del Frisco’s is at 729 Lee Road, Orlando. It’s open for dinner Monday through Saturday. The phone number is 407-645-4443. Visit the Web site here.

We hope you find our reviews and news articles useful and entertaining. It has always been our goal to assist you in making informed decisions when spending your dining dollars. If we’ve helped you in any way, please consider making a contribution to help us continue our journalism. Obrigada.


Written by Scott Joseph on 21 July 2009 .

I finally had a chance to stop by Del Frisco’s to check out the renovations the high-end steakhouse underwent last year.

Basically, the two separate entities -- the main dining room and the lounge and piano bar next door -- were joined together as one with the addition of a cathedral-like foyer and main entrance. Walk through the front door and go to the right for the old dining room (the original entrance is blocked and the hallway is being used as storage) or go to the left to reach the bar and lounge. The night I visited more people were choosing the lounge than the dining room. But the nice thing is that the entire menu is available at the bar -- something that was not always possible when the piano bar was first added.

The other nice thing is that the food is still first rate.

Del Frisco’s has now been around for 16 years. When it first opened on Lee Road in mid 1993 it became an instant favorite, not only of mine but of Central Foridians who love great steak. When Florida magazine conducted its first annual Foodie Awards in 1998 it earned the award for best high-end steakhouse from both the readers and the critic. And it remained a favorite for several years even as competition in the high-priced meat market grew. We were willing to pay premium prices for Del Frisco’s steaks because the quality was unquestionable, they were cooked with precision expertise and the service was among the most professional in town. Dinner here was a special indulgence.

But then Lone Star Steakhouse & Saloon bought the original Del Frisco’s Double Eagle in Texas and began to open other locations as their upscale brand. Del Frisco’s – Double Eagles all – popped up in Denver, Las Vegas and Manhattan. The corporatization of high-end steakhouses has been happening for several years. An independently-owned steakhouse is almost as rare these days as seared tuna, if you’ll forgive the slightly mixed metaphor.

But because of a pre-existing arrangement, Orlando owner Russ Christner was able to retain some independence.

And that was important because much of the restaurant’s early success appeared due to Christner and his ever-presence in the dining rooms, roaming among the always-full tables and booths in his trademark blue shirt with scorched terrycloth towel draped over his shoulder. The towel wasn’t just a prop but a necessary tool for grabbing the impossibly hot plates if he needed to lend a hand. He was literally a hands-on owner, and the restaurant operated best when he was giving it his full attention.

Christner developed melanoma and died four years ago. During his illness the quality of the restaurant flagged a bit, but things have been getting back to normal -- which means extraordinary in Del Frisco’s case -- for the last few years. There’s once again an emphasis on indulging a craving for a thick, juicy, high-quality, well-prepared steak served with pride by a mindful staff.
A finer piece of meat than the 16-ounce prime strip ($35.95) would be hard to come by. It was cooked precisely to order, a very red center within a crispy charred exterior that, thankfully, wasn’t coated with pepper, as it was the last time I had dined there. That the prime ribeye ($30.95), a bone-in cut that also weighed in at 16-ounces, wasn’t quite as good as the strip is only to say how terrific the strip was. Both were worth the price, which, you should know, buys only the meat – sides are extra.

The fried oysters appetizer, are wonderful. Huge, plump oysters wearing crispy golden jackets. I had them on my first visit and enjoyed them so much I ordered them again on my second trip.

I also had a sampler of three types of chilled shrimp, which included four prawnlike shrimp with remoulade, cocktail and mustard sauces. More oysters, please.

For dessert there was a perfectly wonderful carrot cake, whose $5.95 price tag belies its size. Moist and multi-layered with a creamy frosting. Praline parfait ($5.95) was good, too, with pecans and caramel over ice cream.

The wine list is a disappointment. Wonderful steaks deserve a more varied list with better, more complex selections.

The décor has never been one of the Del Frisco’s selling points. But it’s appropriately masculine, dark and moody. Perhaps a little too moody – a fight nearly broke out between several male guests on one of my visits. Big hunks of meat tend to bring out the caveman.

Carole Christner continues to operate the restaurant as the only Del Frisco’s franchise. Her son David, who worked at the restaurant when it first opened and then left to pursue a career as a pilot, has returned as co-owner. If the two of them are reluctant accidental owners only following Russ Christner’s dream, you wouldn’t know it. They have embraced the role of owner with the same hands-on excellence that Central Floridians have some to expect from one of the last great independently owned fine steakhouses in the country.

Del Frisco’s is at 729 Lee Road, Orlando. It’s open for dinner Monday through Saturday. The phone number is 407-645-4443. Visit the Web site here.

We hope you find our reviews and news articles useful and entertaining. It has always been our goal to assist you in making informed decisions when spending your dining dollars. If we’ve helped you in any way, please consider making a contribution to help us continue our journalism. Obrigada.


Written by Scott Joseph on 21 July 2009 .

I finally had a chance to stop by Del Frisco’s to check out the renovations the high-end steakhouse underwent last year.

Basically, the two separate entities -- the main dining room and the lounge and piano bar next door -- were joined together as one with the addition of a cathedral-like foyer and main entrance. Walk through the front door and go to the right for the old dining room (the original entrance is blocked and the hallway is being used as storage) or go to the left to reach the bar and lounge. The night I visited more people were choosing the lounge than the dining room. But the nice thing is that the entire menu is available at the bar -- something that was not always possible when the piano bar was first added.

The other nice thing is that the food is still first rate.

Del Frisco’s has now been around for 16 years. When it first opened on Lee Road in mid 1993 it became an instant favorite, not only of mine but of Central Foridians who love great steak. When Florida magazine conducted its first annual Foodie Awards in 1998 it earned the award for best high-end steakhouse from both the readers and the critic. And it remained a favorite for several years even as competition in the high-priced meat market grew. We were willing to pay premium prices for Del Frisco’s steaks because the quality was unquestionable, they were cooked with precision expertise and the service was among the most professional in town. Dinner here was a special indulgence.

But then Lone Star Steakhouse & Saloon bought the original Del Frisco’s Double Eagle in Texas and began to open other locations as their upscale brand. Del Frisco’s – Double Eagles all – popped up in Denver, Las Vegas and Manhattan. The corporatization of high-end steakhouses has been happening for several years. An independently-owned steakhouse is almost as rare these days as seared tuna, if you’ll forgive the slightly mixed metaphor.

But because of a pre-existing arrangement, Orlando owner Russ Christner was able to retain some independence.

And that was important because much of the restaurant’s early success appeared due to Christner and his ever-presence in the dining rooms, roaming among the always-full tables and booths in his trademark blue shirt with scorched terrycloth towel draped over his shoulder. The towel wasn’t just a prop but a necessary tool for grabbing the impossibly hot plates if he needed to lend a hand. He was literally a hands-on owner, and the restaurant operated best when he was giving it his full attention.

Christner developed melanoma and died four years ago. During his illness the quality of the restaurant flagged a bit, but things have been getting back to normal -- which means extraordinary in Del Frisco’s case -- for the last few years. There’s once again an emphasis on indulging a craving for a thick, juicy, high-quality, well-prepared steak served with pride by a mindful staff.
A finer piece of meat than the 16-ounce prime strip ($35.95) would be hard to come by. It was cooked precisely to order, a very red center within a crispy charred exterior that, thankfully, wasn’t coated with pepper, as it was the last time I had dined there. That the prime ribeye ($30.95), a bone-in cut that also weighed in at 16-ounces, wasn’t quite as good as the strip is only to say how terrific the strip was. Both were worth the price, which, you should know, buys only the meat – sides are extra.

The fried oysters appetizer, are wonderful. Huge, plump oysters wearing crispy golden jackets. I had them on my first visit and enjoyed them so much I ordered them again on my second trip.

I also had a sampler of three types of chilled shrimp, which included four prawnlike shrimp with remoulade, cocktail and mustard sauces. More oysters, please.

For dessert there was a perfectly wonderful carrot cake, whose $5.95 price tag belies its size. Moist and multi-layered with a creamy frosting. Praline parfait ($5.95) was good, too, with pecans and caramel over ice cream.

The wine list is a disappointment. Wonderful steaks deserve a more varied list with better, more complex selections.

The décor has never been one of the Del Frisco’s selling points. But it’s appropriately masculine, dark and moody. Perhaps a little too moody – a fight nearly broke out between several male guests on one of my visits. Big hunks of meat tend to bring out the caveman.

Carole Christner continues to operate the restaurant as the only Del Frisco’s franchise. Her son David, who worked at the restaurant when it first opened and then left to pursue a career as a pilot, has returned as co-owner. If the two of them are reluctant accidental owners only following Russ Christner’s dream, you wouldn’t know it. They have embraced the role of owner with the same hands-on excellence that Central Floridians have some to expect from one of the last great independently owned fine steakhouses in the country.

Del Frisco’s is at 729 Lee Road, Orlando. It’s open for dinner Monday through Saturday. The phone number is 407-645-4443. Visit the Web site here.

We hope you find our reviews and news articles useful and entertaining. It has always been our goal to assist you in making informed decisions when spending your dining dollars. If we’ve helped you in any way, please consider making a contribution to help us continue our journalism. Obrigada.


Assista o vídeo: Del Friscos Boston Phantom Gourmet (Setembro 2021).