Receitas tradicionais

Chipotle melhora o rendimento para níveis de pico pré-recessão

Chipotle melhora o rendimento para níveis de pico pré-recessão

A Chipotle Mexican Grill moveu os clientes através de sua linha de serviço com mais rapidez e eficiência do que nunca durante o primeiro trimestre, indicando que os esforços da empresa para melhorar o rendimento estão funcionando, disseram as autoridades na quinta-feira.

Depois de reportar um sétimo trimestre consecutivo de crescimento de vendas na mesma loja de dois dígitos, funcionários da empresa disseram a analistas durante uma teleconferência que a rede ultrapassou sua meta de restaurar as contagens de transações por hora aos picos anteriores de 2007, algo que a empresa tem se concentrado em desde novembro.

Durante o trimestre encerrado em 31 de março, as vendas nas mesmas lojas durante os horários de pico de almoço e jantar nos dias de semana aumentaram mais rápido do que no resto do dia, disse Monty Moran, co-presidente executivo da Chipotle. “Nossas equipes estão agora mais rápidas do que nunca nesta época do ano”, disse ele.

Os esforços da empresa para melhorar o rendimento incluíram:

• Treinar funcionários para preparar "mise en place" ou ter tudo pronto antes do início do horário de pico

• Ter “craques em seus lugares” ou todos os funcionários em posição de servir aos hóspedes

• Ter um expedidor, a pessoa que fica entre a última embalagem de burrito e o caixa, no local durante todos os horários de pico para embalar as refeições e permitir que o caixa se concentre em sacar

• Tendo um apoiador de linha no lugar, normalmente um gerente geral ou gerente de serviço, que fica atrás da linha e garante que as panelas estejam cheias de comida, a linha parece limpa e os trabalhadores têm as ferramentas de que precisam sem ter que desviar os olhos dos hóspedes

Moran disse que a empresa lançou um vídeo sobre o rendimento que demonstra como uma linha deve se mover e como é uma equipe bem administrada. O vídeo, feito em um local movimentado no centro de Chicago, mostra que o rendimento efetivo não parece frenético, espástico ou desorganizado, mas não há desperdício de movimentos. Se erros forem cometidos, eles são detectados rapidamente e corrigidos, e os trabalhadores parecem calmos, competentes e se divertem, afirmou.

O objetivo desses esforços é levar os hóspedes através da fila de forma eficiente, fazer com que os membros da equipe façam contato visual e se comuniquem melhor com os hóspedes, além de servir comida mais quente e fresca, observou Moran.

“A velocidade não é o primeiro objetivo do rendimento”, disse ele. “O primeiro objetivo é fornecer o melhor atendimento ao cliente, com ótimo contato visual, ótima comunicação e de forma educada e eficiente com os clientes. Todas essas coisas, quando bem feitas, tendem a resultar em um serviço muito, muito rápido. "

Embora o primeiro trimestre seja normalmente a época mais lenta do ano para a Chipotle, Moran estimou que as melhorias no rendimento adicionaram outras cinco transações à média do horário de pico do almoço de cerca de 100 transações durante o trimestre. Esse número pode aumentar no segundo trimestre, que é tradicionalmente mais movimentado para a Chipotle, mas Moran alertou que os aumentos nas transações podem não impactar diretamente as vendas nas mesmas lojas - pelo menos, não imediatamente.

“Isso é algo que acreditamos que, com o tempo, vai melhorar como resultado de um grande rendimento, mas não é uma reação imediata”, disse ele. “Se as pessoas querem vir à Chipotle com mais frequência, queremos fazer tudo o que pudermos para recompensar essa decisão com uma experiência incrível para o hóspede, e uma grande parte dessa incrível experiência para o hóspede é o rendimento.”

Steve Ells, fundador e co-presidente executivo da Chipotle, disse que a rede deu outro "salto significativo" durante o trimestre ao educar os consumidores sobre seu compromisso com ingredientes de qualidade de fontes sustentáveis. A empresa continuará a expandir sua plataforma de marketing "Cultivate", que incluirá festivais de um dia inteiro planejados para Denver e Chicago este ano e outros esforços não tradicionais.

A Chipotle continuará a se concentrar nos ingredientes, fazendo uma série de melhorias nos alimentos. A empresa adicionará mais trigo integral às tortilhas para melhorar o conteúdo nutricional e o sabor, disse Ells, e no segundo trimestre usará apenas creme de leite proveniente de vacas criadas a pasto. Além disso, a empresa está testando em Portland e Nova York uma tortilla de milho macia melhorada com uma mistura de farinha de masa branca e amarela e está testando um novo processo para cozinhar feijão para torná-los mais consistentes.

A empresa tem dois restaurantes abertos no Reino Unido e mais três programados lá antes do final do ano. O primeiro local em Paris está prestes a ser inaugurado nesta primavera, e um local em Toronto foi inaugurado durante o primeiro trimestre, com mais dois planejados para este ano.

Entre em contato com Lisa Jennings em [email protected]
Siga-a no Twitter: @livetodineout


Chipotle Mexican Grill, Inc. Parece saboroso depois de um retrocesso

Os investidores não ficaram muito satisfeitos com Chipotle Mexican GrillRelatório de lucros recentes da (NYSE: CMG). Embora o lucro por ação tenha crescido 7,8% para US $ 2,64, ficou aquém da estimativa média dos analistas de US $ 2,86. Como resultado, as ações caíram cerca de 6%. No entanto, embora as ações da Chipotle tenham subido 50% ano após ano, essa queda parece uma grande oportunidade de compra.

Chipotle Mexican Grill - Gráfico de Ações de 1 Ano. Fonte: YCharts.

Em primeiro lugar, a Chipotle gerou um crescimento inacreditável nas vendas de restaurantes comparáveis ​​de 13,4% no último trimestre, apesar do mau tempo. Em segundo lugar, a empresa ainda está aumentando sua contagem de restaurantes em mais de 10% ao ano, aumentando ainda mais o crescimento da receita. Terceiro, a Chipotle tem o poder de precificação para recuperar as margens que perdeu devido à inflação de custos no último trimestre - e planeja implementar um aumento de preço muito em breve.

A eficiência atinge o pico
Uma boa parte do ganho de vendas de restaurantes comparáveis ​​da Chipotle pode ser atribuída a melhorias no rendimento - o número de clientes que podem ser atendidos por hora. (Uma comparação fácil com o primeiro trimestre de 2013 também ajudou.) Isso permitiu que os restaurantes Chipotle atendessem cerca de sete clientes extras durante os horários de pico do almoço e jantar.

O forte desempenho de rendimento da Chipotle é um bom presságio para os próximos dois trimestres, que tendem a ser mais movimentados devido ao clima favorável. A maioria dos restaurantes Chipotle tem longas filas por várias horas por dia durante a alta temporada, portanto, um rendimento mais rápido significa que cada restaurante pode atender a mais clientes.

O rendimento mais rápido ajuda a Chipotle a atender mais clientes nos horários de pico.

Os ganhos nas vendas de restaurantes comparáveis ​​são obviamente bons para a receita, mas também ajudam a margem de lucro da Chipotle, fazendo melhor uso da mão-de-obra, ocupação e despesas de capital. No último trimestre, os custos de mão de obra caíram de 23,6% para 23% dos custos de ocupação da receita da Chipotle caíram de 6,6% para 6,1% da receita, e as despesas de depreciação e amortização caíram de 3,2% para 2,8% da receita.

Margem preocupa
Apesar da boa alavancagem de vendas em mão de obra, ocupação e custos de depreciação / amortização, a margem operacional da Chipotle caiu 150 pontos base no último trimestre. O custo da alimentação foi o principal culpado. O rápido aumento dos custos de carne bovina e laticínios fez com que os custos com alimentos, bebidas e embalagens passassem de 33% das vendas para 34,5% das vendas.

Além disso, as despesas corporativas gerais e administrativas cresceram mais de 50% em relação ao ano anterior, passando de 6,1% das vendas para 7,4% das vendas. Isso foi causado principalmente por despesas mais altas com compensação de ações.

Na semana passada, muitos investidores pareceram assustados com os problemas de margem da Chipotle. Isso se deveu em parte ao aumento nos custos dos alimentos no último trimestre, mas a previsão da administração de que os custos dos alimentos subiriam ainda mais no segundo trimestre agravou essas preocupações. Os investidores parecem temer que a Chipotle não consiga aumentar os preços rápido o suficiente para acompanhar a inflação dos preços dos alimentos.

Não há razão para temer
Essas preocupações parecem exageradas para mim. Na teleconferência de resultados, a Chipotle anunciou que implementará aumentos de preços de menu de meio dígito a partir do final deste trimestre.

Isso por si só não moverá os custos dos alimentos para menos de 33%, um nível visto recentemente em 2012. No entanto, os rápidos aumentos de preços vistos para itens como carne bovina (até 25% em apenas alguns meses) provavelmente serão revertidos.

A Chipotle planeja aumentar seus preços a partir do final deste trimestre.

Além disso, o aumento dos preços do cardápio deve melhorar a capacidade da Chipotle de alavancar os custos não alimentares, que representam cerca de 50% da receita. Obviamente, é necessária a mesma quantidade de trabalho e despesas gerais de armazenamento para servir o mesmo burrito depois que seu preço aumenta 5%.

Por último, o aumento dos custos gerais e administrativos diminuirá drasticamente no final deste ano, em grande parte porque as despesas de compensação de ações são desproporcionalmente ponderadas em relação ao primeiro semestre de 2014. Para o ano inteiro, os custos gerais e administrativos irão aumentar em apenas 50 a 60 pontos base em relação a 2013. Parte de este aumento é devido à conferência bienal All-Manager, que é realizada em anos pares e, portanto, se tornará um vento a favor em 2015.

Em suma, embora a Chipotle provavelmente tenha um segundo trimestre difícil em termos de margem, ela poderá ver uma expansão de margem sólida no segundo semestre de 2014 e 2015. Ela se beneficiará de preços mais altos, menor despesa de compensação de ações e, potencialmente, também de redução dos custos de commodities. Isso impulsionará o já forte crescimento de margem da Chipotle.

Conclusão tola
Durante grande parte do ano passado, desconfiei das ações da Chipotle, que pareciam supervalorizadas ao passar dos US $ 400, US $ 500 e, eventualmente, US $ 600. No entanto, a capacidade da empresa de manter um forte crescimento nas vendas de restaurantes comparáveis, acrescentando quase 200 restaurantes por ano - e a recente correção do preço das ações - mudou minha mente.

As ações da Chipotle ainda são caras, com ganhos futuros de mais de 30 vezes. No entanto, parece um preço que vale a pena pagar. A Chipotle tem perspectivas de crescimento tremendas a longo prazo e poder de preços suficiente para manter ou mesmo melhorar sua margem de lucro já estelar ao longo do tempo. Esta é uma receita para grandes retornos de investimento de longo prazo.


Chipotle Mexican Grill, Inc. Parece saboroso depois de um recuo

Os investidores não ficaram muito satisfeitos com Chipotle Mexican GrillRelatório de lucros recentes da (NYSE: CMG). Embora o lucro por ação tenha crescido 7,8% para US $ 2,64, ficou aquém da estimativa média dos analistas de US $ 2,86. Como resultado, as ações caíram cerca de 6%. No entanto, embora as ações da Chipotle tenham subido 50% ano após ano, essa queda parece uma grande oportunidade de compra.

Chipotle Mexican Grill - Gráfico de Ações de 1 Ano. Fonte: YCharts.

Em primeiro lugar, a Chipotle gerou um crescimento inacreditável nas vendas de restaurantes comparáveis ​​de 13,4% no último trimestre, apesar do mau tempo. Em segundo lugar, a empresa ainda está aumentando sua contagem de restaurantes em mais de 10% ao ano, aumentando ainda mais o crescimento da receita. Terceiro, a Chipotle tem o poder de precificação para recuperar as margens que perdeu devido à inflação de custos no último trimestre - e planeja implementar um aumento de preço muito em breve.

A eficiência atinge o pico
Uma boa parte do ganho de vendas de restaurantes comparáveis ​​da Chipotle pode ser atribuída a melhorias no rendimento - o número de clientes que podem ser atendidos por hora. (Uma comparação fácil com o primeiro trimestre de 2013 também ajudou.) Isso permitiu que os restaurantes Chipotle atendessem cerca de sete clientes extras durante os horários de pico do almoço e jantar.

O forte desempenho de rendimento da Chipotle é um bom presságio para os próximos dois trimestres, que tendem a ser mais movimentados devido ao clima favorável. A maioria dos restaurantes Chipotle tem longas filas por várias horas por dia durante a alta temporada, portanto, um rendimento mais rápido significa que cada restaurante pode atender a mais clientes.

O rendimento mais rápido ajuda a Chipotle a atender mais clientes nos horários de pico.

Os ganhos nas vendas de restaurantes comparáveis ​​são obviamente bons para a receita, mas também ajudam a margem de lucro da Chipotle, fazendo melhor uso da mão-de-obra, ocupação e despesas de capital. No último trimestre, os custos de mão de obra caíram de 23,6% para 23% dos custos de ocupação da receita da Chipotle caíram de 6,6% para 6,1% da receita, e as despesas de depreciação e amortização caíram de 3,2% para 2,8% da receita.

Margem preocupa
Apesar da boa alavancagem de vendas em mão de obra, ocupação e custos de depreciação / amortização, a margem operacional da Chipotle caiu 150 pontos base no último trimestre. O custo da alimentação foi o principal culpado. O rápido aumento dos custos de carne bovina e laticínios fez com que os custos com alimentos, bebidas e embalagens passassem de 33% das vendas para 34,5% das vendas.

Além disso, as despesas corporativas gerais e administrativas cresceram mais de 50% em relação ao ano anterior, passando de 6,1% das vendas para 7,4% das vendas. Isso foi causado principalmente por despesas mais altas com compensação de ações.

Na semana passada, muitos investidores pareceram assustados com os problemas de margem da Chipotle. Isso se deveu em parte ao aumento nos custos dos alimentos no último trimestre, mas a previsão da administração de que os custos dos alimentos subiriam ainda mais no segundo trimestre agravou essas preocupações. Os investidores parecem temer que a Chipotle não consiga aumentar os preços rápido o suficiente para acompanhar a inflação dos preços dos alimentos.

Não há razão para temer
Essas preocupações parecem exageradas para mim. Na teleconferência de resultados, a Chipotle anunciou que implementará aumentos de preços de menu de meio dígito a partir do final deste trimestre.

Isso por si só não moverá os custos dos alimentos para menos de 33%, um nível visto recentemente em 2012. No entanto, os rápidos aumentos de preços vistos para itens como carne bovina (até 25% em apenas alguns meses) provavelmente serão revertidos.

A Chipotle planeja aumentar seus preços a partir do final deste trimestre.

Além disso, o aumento dos preços do cardápio deve melhorar a capacidade da Chipotle de alavancar os custos não alimentares, que representam cerca de 50% da receita. Obviamente, é necessária a mesma quantidade de trabalho e despesas gerais de armazenamento para servir o mesmo burrito depois que seu preço aumenta 5%.

Por último, o aumento dos custos gerais e administrativos diminuirá drasticamente no final deste ano, em grande parte porque as despesas de compensação de ações são desproporcionalmente ponderadas em relação ao primeiro semestre de 2014. Para o ano inteiro, os custos gerais e administrativos irão aumentar em apenas 50 a 60 pontos base em relação a 2013. Parte de este aumento é devido à conferência bienal All-Manager, que é realizada em anos pares e, portanto, se tornará um vento a favor em 2015.

Em suma, embora a Chipotle provavelmente tenha um segundo trimestre difícil em termos de margem, ela poderá ver uma expansão de margem sólida no segundo semestre de 2014 e 2015. Ela se beneficiará de preços mais altos, menor despesa de compensação de ações e, potencialmente, também de redução dos custos de commodities. Isso impulsionará o já forte crescimento de margem da Chipotle.

Conclusão tola
Durante grande parte do ano passado, desconfiei das ações da Chipotle, que pareciam supervalorizadas ao passar dos US $ 400, US $ 500 e, eventualmente, US $ 600. No entanto, a capacidade da empresa de manter um forte crescimento nas vendas de restaurantes comparáveis, acrescentando quase 200 restaurantes por ano - e a recente correção do preço das ações - mudou minha mente.

As ações da Chipotle ainda são caras, com ganhos futuros de mais de 30 vezes. No entanto, parece um preço que vale a pena pagar. A Chipotle tem perspectivas de crescimento tremendas a longo prazo e poder de preços suficiente para manter ou mesmo melhorar sua margem de lucro já estelar ao longo do tempo. Esta é uma receita para grandes retornos de investimento de longo prazo.


Chipotle Mexican Grill, Inc. Parece saboroso depois de um recuo

Os investidores não ficaram muito satisfeitos com Chipotle Mexican GrillRelatório de lucros recentes da (NYSE: CMG). Embora o lucro por ação tenha crescido 7,8% para US $ 2,64, ficou aquém da estimativa média dos analistas de US $ 2,86. Como resultado, as ações caíram cerca de 6%. No entanto, embora as ações da Chipotle tenham subido 50% ano após ano, essa queda parece uma grande oportunidade de compra.

Chipotle Mexican Grill - Gráfico de Ações de 1 Ano. Fonte: YCharts.

Em primeiro lugar, a Chipotle gerou um crescimento inacreditável nas vendas de restaurantes comparáveis ​​de 13,4% no último trimestre, apesar do mau tempo. Em segundo lugar, a empresa ainda está aumentando sua contagem de restaurantes em mais de 10% ao ano, aumentando ainda mais o crescimento da receita. Terceiro, a Chipotle tem o poder de precificação para recuperar as margens que perdeu devido à inflação de custos no último trimestre - e planeja implementar um aumento de preço muito em breve.

A eficiência atinge o pico
Uma boa parte do ganho de vendas de restaurantes comparáveis ​​da Chipotle pode ser atribuída a melhorias no rendimento - o número de clientes que podem ser atendidos por hora. (Uma comparação fácil com o primeiro trimestre de 2013 também ajudou.) Isso permitiu que os restaurantes Chipotle atendessem cerca de sete clientes extras durante os horários de pico do almoço e jantar.

O forte desempenho de rendimento da Chipotle é um bom presságio para os próximos dois trimestres, que tendem a ser mais movimentados devido ao clima favorável. A maioria dos restaurantes Chipotle tem longas filas por várias horas por dia durante a alta temporada, portanto, um rendimento mais rápido significa que cada restaurante pode atender a mais clientes.

O rendimento mais rápido ajuda a Chipotle a atender mais clientes nos horários de pico.

Os ganhos nas vendas de restaurantes comparáveis ​​são obviamente bons para a receita, mas também ajudam a margem de lucro da Chipotle, fazendo melhor uso de mão-de-obra, ocupação e despesas de capital. No último trimestre, os custos de mão de obra caíram de 23,6% para 23% dos custos de ocupação da receita da Chipotle caíram de 6,6% para 6,1% da receita, e as despesas de depreciação e amortização caíram de 3,2% para 2,8% da receita.

Margem preocupa
Apesar da boa alavancagem de vendas em mão de obra, ocupação e custos de depreciação / amortização, a margem operacional da Chipotle caiu 150 pontos base no último trimestre. O custo da alimentação foi o principal culpado. O rápido aumento dos custos de carne bovina e laticínios fez com que os custos com alimentos, bebidas e embalagens passassem de 33% das vendas para 34,5% das vendas.

Além disso, as despesas corporativas gerais e administrativas cresceram mais de 50% em relação ao ano anterior, passando de 6,1% das vendas para 7,4% das vendas. Isso foi causado principalmente por despesas mais altas com compensação de ações.

Na semana passada, muitos investidores pareceram assustados com os problemas de margem da Chipotle. Isso se deveu em parte ao aumento nos custos dos alimentos no último trimestre, mas a previsão da administração de que os custos dos alimentos subiriam ainda mais no segundo trimestre agravou essas preocupações. Os investidores parecem temer que a Chipotle não consiga aumentar os preços rápido o suficiente para acompanhar a inflação dos preços dos alimentos.

Não há razão para temer
Essas preocupações parecem exageradas para mim. Na teleconferência de resultados, a Chipotle anunciou que implementará aumentos de preços de menu de meio dígito a partir do final deste trimestre.

Isso por si só não moverá os custos dos alimentos para menos de 33%, um nível visto recentemente em 2012. No entanto, os rápidos aumentos de preços vistos para itens como carne bovina (até 25% em apenas alguns meses) provavelmente serão revertidos.

A Chipotle planeja aumentar seus preços a partir do final deste trimestre.

Além disso, o aumento dos preços do cardápio deve melhorar a capacidade da Chipotle de alavancar os custos não alimentares, que representam cerca de 50% da receita. Obviamente, é necessária a mesma quantidade de trabalho e despesas gerais de armazenamento para servir o mesmo burrito depois que seu preço aumenta 5%.

Por último, o aumento nos custos gerais e administrativos diminuirá drasticamente no final deste ano, em grande parte porque as despesas de compensação de ações são desproporcionalmente ponderadas em relação ao primeiro semestre de 2014. Para o ano inteiro, os custos gerais e administrativos irão aumentar em apenas 50 a 60 pontos base em relação a 2013. Parte de este aumento é devido à conferência bienal All-Manager, que é realizada em anos pares e, portanto, se tornará um vento a favor em 2015.

Em suma, embora a Chipotle provavelmente tenha um segundo trimestre difícil em termos de margem, ela poderá ver uma expansão de margem sólida no segundo semestre de 2014 e 2015. Ela se beneficiará de preços mais altos, menor despesa de compensação de ações e, potencialmente, também de redução dos custos de commodities. Isso impulsionará o já forte crescimento de margem da Chipotle.

Conclusão tola
Durante grande parte do ano passado, desconfiei das ações da Chipotle, que pareciam supervalorizadas ao passar dos US $ 400, US $ 500 e, eventualmente, US $ 600. No entanto, a capacidade da empresa de manter um forte crescimento nas vendas de restaurantes comparáveis ​​e, ao mesmo tempo, adicionar cerca de 200 restaurantes por ano - e a recente correção do preço das ações - mudou minha opinião.

As ações da Chipotle ainda são caras, com ganhos futuros de mais de 30 vezes. No entanto, parece um preço que vale a pena pagar. A Chipotle tem perspectivas de crescimento tremendas a longo prazo e poder de preços suficiente para manter ou mesmo melhorar sua margem de lucro já estelar ao longo do tempo. Esta é uma receita para grandes retornos de investimento de longo prazo.


Chipotle Mexican Grill, Inc. Parece saboroso depois de um recuo

Os investidores não ficaram muito satisfeitos com Chipotle Mexican GrillRelatório de lucros recentes da (NYSE: CMG). Embora o lucro por ação tenha crescido 7,8% para US $ 2,64, ficou aquém da estimativa média dos analistas de US $ 2,86. Como resultado, as ações caíram cerca de 6%. No entanto, embora as ações da Chipotle tenham subido 50% ano após ano, essa queda parece uma grande oportunidade de compra.

Chipotle Mexican Grill - Gráfico de Ações de 1 Ano. Fonte: YCharts.

Em primeiro lugar, a Chipotle gerou um crescimento inacreditável nas vendas de restaurantes comparáveis ​​de 13,4% no último trimestre, apesar do mau tempo. Em segundo lugar, a empresa ainda está aumentando sua contagem de restaurantes em mais de 10% ao ano, aumentando ainda mais o crescimento da receita. Terceiro, a Chipotle tem o poder de precificação para recuperar as margens que perdeu devido à inflação de custos no último trimestre - e planeja implementar um aumento de preço muito em breve.

A eficiência atinge o pico
Uma boa parte do ganho de vendas de restaurantes comparáveis ​​da Chipotle pode ser atribuída a melhorias no rendimento - o número de clientes que podem ser atendidos por hora. (Uma comparação fácil com o primeiro trimestre de 2013 também ajudou.) Isso permitiu que os restaurantes Chipotle atendessem cerca de sete clientes extras durante os horários de pico do almoço e jantar.

O forte desempenho de rendimento da Chipotle é um bom presságio para os próximos dois trimestres, que tendem a ser mais movimentados devido ao clima favorável. A maioria dos restaurantes Chipotle tem longas filas por várias horas por dia durante a alta temporada, portanto, um rendimento mais rápido significa que cada restaurante pode atender a mais clientes.

O rendimento mais rápido ajuda a Chipotle a atender mais clientes nos horários de pico.

Os ganhos nas vendas de restaurantes comparáveis ​​são obviamente bons para a receita, mas também ajudam a margem de lucro da Chipotle, fazendo melhor uso de mão-de-obra, ocupação e despesas de capital. No último trimestre, os custos de mão de obra caíram de 23,6% para 23% dos custos de ocupação da receita da Chipotle caíram de 6,6% para 6,1% da receita, e as despesas de depreciação e amortização caíram de 3,2% para 2,8% da receita.

Margem preocupa
Apesar da boa alavancagem de vendas sobre mão de obra, ocupação e custos de depreciação / amortização, a margem operacional da Chipotle caiu 150 pontos base no último trimestre. O custo da alimentação foi o principal culpado. O rápido aumento dos custos de carne bovina e laticínios fez com que os custos com alimentos, bebidas e embalagens passassem de 33% das vendas para 34,5% das vendas.

Além disso, as despesas corporativas gerais e administrativas cresceram mais de 50% em relação ao ano anterior, passando de 6,1% das vendas para 7,4% das vendas. Isso foi causado principalmente por despesas mais altas com compensação de ações.

Na semana passada, muitos investidores pareceram assustados com os problemas de margem da Chipotle. Isso se deveu em parte ao aumento nos custos dos alimentos no último trimestre, mas a previsão da administração de que os custos dos alimentos subiriam ainda mais no segundo trimestre agravou essas preocupações. Os investidores parecem temer que a Chipotle não consiga aumentar os preços rápido o suficiente para acompanhar a inflação dos preços dos alimentos.

Não há razão para temer
Essas preocupações parecem exageradas para mim. Na teleconferência de resultados, a Chipotle anunciou que implementará aumentos de preços de menu de meio dígito a partir do final deste trimestre.

Isso por si só não moverá os custos dos alimentos para menos de 33%, um nível visto recentemente em 2012. No entanto, os rápidos aumentos de preços vistos para itens como carne bovina (até 25% em apenas alguns meses) provavelmente serão revertidos.

A Chipotle planeja aumentar seus preços a partir do final deste trimestre.

Além disso, o aumento dos preços do cardápio deve melhorar a capacidade da Chipotle de alavancar os custos não alimentares, que representam cerca de 50% da receita. Obviamente, é necessária a mesma quantidade de trabalho e despesas gerais de armazenamento para servir o mesmo burrito depois que seu preço aumenta 5%.

Por último, o aumento nos custos G & ampA diminuirá drasticamente no final deste ano, em grande parte porque as despesas de compensação de ações são desproporcionalmente ponderadas em relação ao primeiro semestre de 2014. Para o ano inteiro, os custos G & ampA aumentarão em apenas 50 a 60 pontos base em relação a 2013. Parte de este aumento é devido à conferência bienal All-Manager, que é realizada em anos pares e, portanto, se tornará um vento a favor em 2015.

Em suma, embora a Chipotle provavelmente tenha um segundo trimestre difícil em termos de margem, ela poderá ver uma expansão de margem sólida no segundo semestre de 2014 e 2015. Ela se beneficiará de preços mais altos, menor despesa de compensação de ações e, potencialmente, também de redução dos custos de commodities. Isso impulsionará o já forte crescimento de margem da Chipotle.

Conclusão tola
Durante grande parte do ano passado, desconfiei das ações da Chipotle, que pareciam supervalorizadas ao passar dos US $ 400, US $ 500 e, eventualmente, US $ 600. No entanto, a capacidade da empresa de manter um forte crescimento nas vendas de restaurantes comparáveis, acrescentando quase 200 restaurantes por ano - e a recente correção do preço das ações - mudou minha mente.

As ações da Chipotle ainda são caras, com ganhos futuros de mais de 30 vezes. No entanto, parece um preço que vale a pena pagar. A Chipotle tem perspectivas de crescimento tremendas a longo prazo e poder de preços suficiente para manter ou mesmo melhorar sua margem de lucro já estelar ao longo do tempo. Esta é uma receita para grandes retornos de investimento de longo prazo.


Chipotle Mexican Grill, Inc. Parece saboroso depois de um retrocesso

Os investidores não ficaram muito satisfeitos com Chipotle Mexican GrillRelatório de lucros recentes da (NYSE: CMG). Embora o lucro por ação tenha crescido 7,8% para US $ 2,64, ficou aquém da estimativa média dos analistas de US $ 2,86. Como resultado, as ações caíram cerca de 6%. No entanto, embora as ações da Chipotle tenham subido 50% ano após ano, essa queda parece uma grande oportunidade de compra.

Chipotle Mexican Grill - Gráfico de Ações de 1 Ano. Fonte: YCharts.

Em primeiro lugar, a Chipotle gerou um crescimento inacreditável nas vendas de restaurantes comparáveis ​​de 13,4% no último trimestre, apesar do mau tempo. Em segundo lugar, a empresa ainda está aumentando sua contagem de restaurantes em mais de 10% ao ano, aumentando ainda mais o crescimento da receita. Terceiro, a Chipotle tem o poder de precificação para recuperar as margens que perdeu devido à inflação de custos no último trimestre - e planeja implementar um aumento de preço muito em breve.

A eficiência atinge o pico
Uma boa parte do ganho de vendas de restaurantes comparáveis ​​da Chipotle pode ser atribuída a melhorias no rendimento - o número de clientes que podem ser atendidos por hora. (Uma comparação fácil com o primeiro trimestre de 2013 também ajudou.) Isso permitiu que os restaurantes Chipotle atendessem cerca de sete clientes extras durante os horários de pico do almoço e jantar.

O forte desempenho de rendimento da Chipotle é um bom presságio para os próximos dois trimestres, que tendem a ser mais movimentados devido ao clima favorável. A maioria dos restaurantes Chipotle tem longas filas por várias horas por dia durante a alta temporada, portanto, um rendimento mais rápido significa que cada restaurante pode atender a mais clientes.

O rendimento mais rápido ajuda a Chipotle a atender mais clientes nos horários de pico.

Os ganhos nas vendas de restaurantes comparáveis ​​são obviamente bons para a receita, mas também ajudam a margem de lucro da Chipotle, fazendo melhor uso da mão-de-obra, ocupação e despesas de capital. No último trimestre, os custos de mão de obra caíram de 23,6% para 23% dos custos de ocupação da receita da Chipotle caíram de 6,6% para 6,1% da receita, e as despesas de depreciação e amortização caíram de 3,2% para 2,8% da receita.

Margem preocupa
Apesar da boa alavancagem de vendas sobre mão de obra, ocupação e custos de depreciação / amortização, a margem operacional da Chipotle caiu 150 pontos base no último trimestre. O custo da alimentação foi o principal culpado. O rápido aumento dos custos de carne bovina e laticínios fez com que os custos com alimentos, bebidas e embalagens passassem de 33% das vendas para 34,5% das vendas.

Além disso, as despesas corporativas gerais e administrativas cresceram mais de 50% em relação ao ano anterior, passando de 6,1% das vendas para 7,4% das vendas. Isso foi causado principalmente por despesas mais altas com compensação de ações.

Na semana passada, muitos investidores pareceram assustados com os problemas de margem da Chipotle. Isso se deveu em parte ao aumento nos custos dos alimentos no último trimestre, mas a previsão da administração de que os custos dos alimentos subiriam ainda mais no segundo trimestre agravou essas preocupações. Os investidores parecem temer que a Chipotle não consiga aumentar os preços rápido o suficiente para acompanhar a inflação dos preços dos alimentos.

Não há razão para temer
Essas preocupações parecem exageradas para mim. Na teleconferência de resultados, a Chipotle anunciou que implementará aumentos de preços de menu de meio dígito a partir do final deste trimestre.

Isso por si só não moverá os custos dos alimentos para menos de 33%, um nível visto recentemente em 2012. No entanto, os rápidos aumentos de preços vistos para itens como carne bovina (até 25% em apenas alguns meses) provavelmente serão revertidos.

A Chipotle planeja aumentar seus preços a partir do final deste trimestre.

Além disso, o aumento dos preços do cardápio deve melhorar a capacidade da Chipotle de alavancar os custos não alimentares, que representam cerca de 50% da receita. Obviamente, é necessária a mesma quantidade de trabalho e despesas gerais de armazenamento para servir o mesmo burrito depois que seu preço aumenta 5%.

Por último, o aumento nos custos gerais e administrativos diminuirá drasticamente no final deste ano, em grande parte porque as despesas de compensação de ações são desproporcionalmente ponderadas em relação ao primeiro semestre de 2014. Para o ano inteiro, os custos gerais e administrativos irão aumentar em apenas 50 a 60 pontos base em relação a 2013. Parte de este aumento é devido à conferência bienal All-Manager, que é realizada em anos pares e, portanto, se tornará um vento a favor em 2015.

Em suma, embora a Chipotle provavelmente tenha um segundo trimestre difícil em termos de margem, ela poderá ver uma expansão de margem sólida no segundo semestre de 2014 e 2015. Ela se beneficiará de preços mais altos, menor despesa de compensação de ações e, potencialmente, também de redução dos custos de commodities. Isso impulsionará o já forte crescimento de margem da Chipotle.

Conclusão tola
Durante grande parte do ano passado, desconfiei das ações da Chipotle, que pareciam supervalorizadas ao passar dos US $ 400, US $ 500 e, eventualmente, US $ 600. No entanto, a capacidade da empresa de manter um forte crescimento nas vendas de restaurantes comparáveis ​​e, ao mesmo tempo, adicionar cerca de 200 restaurantes por ano - e a recente correção do preço das ações - mudou minha opinião.

As ações da Chipotle ainda são caras, com ganhos futuros de mais de 30 vezes. No entanto, parece um preço que vale a pena pagar. A Chipotle tem perspectivas de crescimento tremendas a longo prazo e poder de preços suficiente para manter ou mesmo melhorar sua margem de lucro já estelar ao longo do tempo. Esta é uma receita para grandes retornos de investimento de longo prazo.


Chipotle Mexican Grill, Inc. Parece saboroso depois de um retrocesso

Os investidores não ficaram muito satisfeitos com Chipotle Mexican GrillRelatório de lucros recentes da (NYSE: CMG). Embora o lucro por ação tenha crescido 7,8% para US $ 2,64, ficou aquém da estimativa média dos analistas de US $ 2,86. Como resultado, as ações caíram cerca de 6%. No entanto, embora as ações da Chipotle tenham subido 50% ano após ano, essa queda parece uma grande oportunidade de compra.

Chipotle Mexican Grill - Gráfico de Ações de 1 Ano. Fonte: YCharts.

Em primeiro lugar, a Chipotle gerou um crescimento inacreditável nas vendas de restaurantes comparáveis ​​de 13,4% no último trimestre, apesar do mau tempo. Em segundo lugar, a empresa ainda está aumentando sua contagem de restaurantes em mais de 10% ao ano, aumentando ainda mais o crescimento da receita. Terceiro, a Chipotle tem o poder de precificação para recuperar as margens que perdeu devido à inflação de custos no último trimestre - e planeja implementar um aumento de preço muito em breve.

A eficiência atinge o pico
Uma boa parte do ganho de vendas de restaurantes comparáveis ​​da Chipotle pode ser atribuída a melhorias no rendimento - o número de clientes que podem ser atendidos por hora. (Uma comparação fácil com o primeiro trimestre de 2013 também ajudou.) Isso permitiu que os restaurantes Chipotle atendessem cerca de sete clientes extras durante os horários de pico do almoço e jantar.

O forte desempenho de rendimento da Chipotle é um bom presságio para os próximos dois trimestres, que tendem a ser mais movimentados devido ao clima favorável. Most Chipotle restaurants have long lines for several hours a day during the peak season, so faster throughput means that each restaurant can ultimately serve more customers.

Faster throughput helps Chipotle serve more customers at peak hours.

Comparable-restaurant sales gains are obviously good for revenue, but they also help Chipotle's profit margin by making better use of labor, occupancy, and capital expenses. Last quarter, labor costs fell from 23.6% to 23% of Chipotle's revenue occupancy costs fell from 6.6% to 6.1% of revenue, and depreciation and amortization expense fell from 3.2% to 2.8% of revenue.

Margin worries
Despite the good sales leverage on labor, occupancy, and depreciation/amortization costs, Chipotle's operating margin fell by 150 basis points last quarter. Food costs were the main culprit. Rapid cost increases for beef and dairy caused food, beverage, and packaging costs to move from 33% of sales to 34.5% of sales.

Furthermore, corporate general and administrative expenses soared more than 50% year over year, increasing from 6.1% of sales to 7.4% of sales. This was primarily caused by higher stock compensation expense.

Last week, many investors appeared to be spooked by Chipotle's margin issues. This was due in part to the rise in food costs last quarter, but management's forecast that food costs would rise even further in Q2 compounded these concerns. Investors seem to be worried that Chipotle can't raise prices fast enough to keep up with food cost inflation.

No reason to fear
These worries seem overblown to me. On the earnings call, Chipotle announced that it will implement mid-single-digit menu price increases starting later this quarter.

This alone will not move food costs back under 33%, a level seen as recently as 2012. However, the rapid price increases seen for items like beef (up 25% in just a few months) are likely to reverse eventually.

Chipotle plans to raise its prices starting later this quarter.

Moreover, the increase in menu prices should improve Chipotle's ability to leverage non-food costs, which represent about 50% of revenue. Obviously, it takes the same amount of labor and store overhead to serve the same burrito after its price goes up by 5%.

Lastly, the rise in G&A costs will slow dramatically later this year, largely because stock compensation expense is disproportionately weighted toward the first half of 2014. For the full year, G&A costs will increase by just 50 to 60 basis points over 2013. Part of this increase is due to the biennial All-Manager conference, which is held in even-numbered years and will therefore become a tailwind in 2015.

In sum, while Chipotle will probably have a tough Q2 margin-wise, it could see solid margin expansion in the second half of 2014 and 2015. It will benefit from higher prices, lower stock compensation expense, and potentially also from easing commodity costs. This will boost Chipotle's already-strong margin growth.

Foolish conclusion
For much of the past year, I have been wary of Chipotle stock, which seemed overpriced as it rose past $400, $500, and eventually $600. However, the company's ability to keep posting strong comparable-restaurant sales growth while adding nearly 200 restaurants a year -- and the recent stock price correction -- have changed my mind.

Chipotle stock is still pricey at more than 30 times forward earnings. This seems like a price worth paying, though. Chipotle has tremendous long-term growth prospects and enough pricing power to maintain or even improve its already-stellar profit margin over time. This is a recipe for great long-term investing returns.


Chipotle Mexican Grill, Inc. Looks Tasty After a Pullback

Investors weren't too pleased with Chipotle Mexican Grill's (NYSE:CMG) recent earnings report. While earnings per share grew 7.8% to $2.64, that fell short of the average analyst estimate of $2.86. As a result, shares fell about 6%. However, while Chipotle stock is up 50% year over year, this drop seems like a great buying opportunity.

Chipotle Mexican Grill 1-Year Stock Chart. Source: YCharts.

First of all, Chipotle generated unbelievable comparable-restaurant sales growth of 13.4% last quarter, in spite of bad weather. Second, the company is still growing its restaurant count by more than 10% annually, pushing revenue growth even higher. Third, Chipotle has the pricing power to win back the margins it lost due to cost inflation last quarter -- and it plans to implement a price increase very soon.

Efficiency hits a peak
A good portion of Chipotle's comparable-restaurant sales gain can be attributed to improvements in throughput -- the number of customers who can be served per hour. (An easy comparison to Q1 2013 also helped.) This allowed Chipotle restaurants to serve about seven extra customers during the peak lunch and dinner hours.

Chipotle's strong throughput performance bodes well for the next two quarters, which tend to be busier due to the favorable weather. Most Chipotle restaurants have long lines for several hours a day during the peak season, so faster throughput means that each restaurant can ultimately serve more customers.

Faster throughput helps Chipotle serve more customers at peak hours.

Comparable-restaurant sales gains are obviously good for revenue, but they also help Chipotle's profit margin by making better use of labor, occupancy, and capital expenses. Last quarter, labor costs fell from 23.6% to 23% of Chipotle's revenue occupancy costs fell from 6.6% to 6.1% of revenue, and depreciation and amortization expense fell from 3.2% to 2.8% of revenue.

Margin worries
Despite the good sales leverage on labor, occupancy, and depreciation/amortization costs, Chipotle's operating margin fell by 150 basis points last quarter. Food costs were the main culprit. Rapid cost increases for beef and dairy caused food, beverage, and packaging costs to move from 33% of sales to 34.5% of sales.

Furthermore, corporate general and administrative expenses soared more than 50% year over year, increasing from 6.1% of sales to 7.4% of sales. This was primarily caused by higher stock compensation expense.

Last week, many investors appeared to be spooked by Chipotle's margin issues. This was due in part to the rise in food costs last quarter, but management's forecast that food costs would rise even further in Q2 compounded these concerns. Investors seem to be worried that Chipotle can't raise prices fast enough to keep up with food cost inflation.

No reason to fear
These worries seem overblown to me. On the earnings call, Chipotle announced that it will implement mid-single-digit menu price increases starting later this quarter.

This alone will not move food costs back under 33%, a level seen as recently as 2012. However, the rapid price increases seen for items like beef (up 25% in just a few months) are likely to reverse eventually.

Chipotle plans to raise its prices starting later this quarter.

Moreover, the increase in menu prices should improve Chipotle's ability to leverage non-food costs, which represent about 50% of revenue. Obviously, it takes the same amount of labor and store overhead to serve the same burrito after its price goes up by 5%.

Lastly, the rise in G&A costs will slow dramatically later this year, largely because stock compensation expense is disproportionately weighted toward the first half of 2014. For the full year, G&A costs will increase by just 50 to 60 basis points over 2013. Part of this increase is due to the biennial All-Manager conference, which is held in even-numbered years and will therefore become a tailwind in 2015.

In sum, while Chipotle will probably have a tough Q2 margin-wise, it could see solid margin expansion in the second half of 2014 and 2015. It will benefit from higher prices, lower stock compensation expense, and potentially also from easing commodity costs. This will boost Chipotle's already-strong margin growth.

Foolish conclusion
For much of the past year, I have been wary of Chipotle stock, which seemed overpriced as it rose past $400, $500, and eventually $600. However, the company's ability to keep posting strong comparable-restaurant sales growth while adding nearly 200 restaurants a year -- and the recent stock price correction -- have changed my mind.

Chipotle stock is still pricey at more than 30 times forward earnings. This seems like a price worth paying, though. Chipotle has tremendous long-term growth prospects and enough pricing power to maintain or even improve its already-stellar profit margin over time. This is a recipe for great long-term investing returns.


Chipotle Mexican Grill, Inc. Looks Tasty After a Pullback

Investors weren't too pleased with Chipotle Mexican Grill's (NYSE:CMG) recent earnings report. While earnings per share grew 7.8% to $2.64, that fell short of the average analyst estimate of $2.86. As a result, shares fell about 6%. However, while Chipotle stock is up 50% year over year, this drop seems like a great buying opportunity.

Chipotle Mexican Grill 1-Year Stock Chart. Source: YCharts.

First of all, Chipotle generated unbelievable comparable-restaurant sales growth of 13.4% last quarter, in spite of bad weather. Second, the company is still growing its restaurant count by more than 10% annually, pushing revenue growth even higher. Third, Chipotle has the pricing power to win back the margins it lost due to cost inflation last quarter -- and it plans to implement a price increase very soon.

Efficiency hits a peak
A good portion of Chipotle's comparable-restaurant sales gain can be attributed to improvements in throughput -- the number of customers who can be served per hour. (An easy comparison to Q1 2013 also helped.) This allowed Chipotle restaurants to serve about seven extra customers during the peak lunch and dinner hours.

Chipotle's strong throughput performance bodes well for the next two quarters, which tend to be busier due to the favorable weather. Most Chipotle restaurants have long lines for several hours a day during the peak season, so faster throughput means that each restaurant can ultimately serve more customers.

Faster throughput helps Chipotle serve more customers at peak hours.

Comparable-restaurant sales gains are obviously good for revenue, but they also help Chipotle's profit margin by making better use of labor, occupancy, and capital expenses. Last quarter, labor costs fell from 23.6% to 23% of Chipotle's revenue occupancy costs fell from 6.6% to 6.1% of revenue, and depreciation and amortization expense fell from 3.2% to 2.8% of revenue.

Margin worries
Despite the good sales leverage on labor, occupancy, and depreciation/amortization costs, Chipotle's operating margin fell by 150 basis points last quarter. Food costs were the main culprit. Rapid cost increases for beef and dairy caused food, beverage, and packaging costs to move from 33% of sales to 34.5% of sales.

Furthermore, corporate general and administrative expenses soared more than 50% year over year, increasing from 6.1% of sales to 7.4% of sales. This was primarily caused by higher stock compensation expense.

Last week, many investors appeared to be spooked by Chipotle's margin issues. This was due in part to the rise in food costs last quarter, but management's forecast that food costs would rise even further in Q2 compounded these concerns. Investors seem to be worried that Chipotle can't raise prices fast enough to keep up with food cost inflation.

No reason to fear
These worries seem overblown to me. On the earnings call, Chipotle announced that it will implement mid-single-digit menu price increases starting later this quarter.

This alone will not move food costs back under 33%, a level seen as recently as 2012. However, the rapid price increases seen for items like beef (up 25% in just a few months) are likely to reverse eventually.

Chipotle plans to raise its prices starting later this quarter.

Moreover, the increase in menu prices should improve Chipotle's ability to leverage non-food costs, which represent about 50% of revenue. Obviously, it takes the same amount of labor and store overhead to serve the same burrito after its price goes up by 5%.

Lastly, the rise in G&A costs will slow dramatically later this year, largely because stock compensation expense is disproportionately weighted toward the first half of 2014. For the full year, G&A costs will increase by just 50 to 60 basis points over 2013. Part of this increase is due to the biennial All-Manager conference, which is held in even-numbered years and will therefore become a tailwind in 2015.

In sum, while Chipotle will probably have a tough Q2 margin-wise, it could see solid margin expansion in the second half of 2014 and 2015. It will benefit from higher prices, lower stock compensation expense, and potentially also from easing commodity costs. This will boost Chipotle's already-strong margin growth.

Foolish conclusion
For much of the past year, I have been wary of Chipotle stock, which seemed overpriced as it rose past $400, $500, and eventually $600. However, the company's ability to keep posting strong comparable-restaurant sales growth while adding nearly 200 restaurants a year -- and the recent stock price correction -- have changed my mind.

Chipotle stock is still pricey at more than 30 times forward earnings. This seems like a price worth paying, though. Chipotle has tremendous long-term growth prospects and enough pricing power to maintain or even improve its already-stellar profit margin over time. This is a recipe for great long-term investing returns.


Chipotle Mexican Grill, Inc. Looks Tasty After a Pullback

Investors weren't too pleased with Chipotle Mexican Grill's (NYSE:CMG) recent earnings report. While earnings per share grew 7.8% to $2.64, that fell short of the average analyst estimate of $2.86. As a result, shares fell about 6%. However, while Chipotle stock is up 50% year over year, this drop seems like a great buying opportunity.

Chipotle Mexican Grill 1-Year Stock Chart. Source: YCharts.

First of all, Chipotle generated unbelievable comparable-restaurant sales growth of 13.4% last quarter, in spite of bad weather. Second, the company is still growing its restaurant count by more than 10% annually, pushing revenue growth even higher. Third, Chipotle has the pricing power to win back the margins it lost due to cost inflation last quarter -- and it plans to implement a price increase very soon.

Efficiency hits a peak
A good portion of Chipotle's comparable-restaurant sales gain can be attributed to improvements in throughput -- the number of customers who can be served per hour. (An easy comparison to Q1 2013 also helped.) This allowed Chipotle restaurants to serve about seven extra customers during the peak lunch and dinner hours.

Chipotle's strong throughput performance bodes well for the next two quarters, which tend to be busier due to the favorable weather. Most Chipotle restaurants have long lines for several hours a day during the peak season, so faster throughput means that each restaurant can ultimately serve more customers.

Faster throughput helps Chipotle serve more customers at peak hours.

Comparable-restaurant sales gains are obviously good for revenue, but they also help Chipotle's profit margin by making better use of labor, occupancy, and capital expenses. Last quarter, labor costs fell from 23.6% to 23% of Chipotle's revenue occupancy costs fell from 6.6% to 6.1% of revenue, and depreciation and amortization expense fell from 3.2% to 2.8% of revenue.

Margin worries
Despite the good sales leverage on labor, occupancy, and depreciation/amortization costs, Chipotle's operating margin fell by 150 basis points last quarter. Food costs were the main culprit. Rapid cost increases for beef and dairy caused food, beverage, and packaging costs to move from 33% of sales to 34.5% of sales.

Furthermore, corporate general and administrative expenses soared more than 50% year over year, increasing from 6.1% of sales to 7.4% of sales. This was primarily caused by higher stock compensation expense.

Last week, many investors appeared to be spooked by Chipotle's margin issues. This was due in part to the rise in food costs last quarter, but management's forecast that food costs would rise even further in Q2 compounded these concerns. Investors seem to be worried that Chipotle can't raise prices fast enough to keep up with food cost inflation.

No reason to fear
These worries seem overblown to me. On the earnings call, Chipotle announced that it will implement mid-single-digit menu price increases starting later this quarter.

This alone will not move food costs back under 33%, a level seen as recently as 2012. However, the rapid price increases seen for items like beef (up 25% in just a few months) are likely to reverse eventually.

Chipotle plans to raise its prices starting later this quarter.

Moreover, the increase in menu prices should improve Chipotle's ability to leverage non-food costs, which represent about 50% of revenue. Obviously, it takes the same amount of labor and store overhead to serve the same burrito after its price goes up by 5%.

Lastly, the rise in G&A costs will slow dramatically later this year, largely because stock compensation expense is disproportionately weighted toward the first half of 2014. For the full year, G&A costs will increase by just 50 to 60 basis points over 2013. Part of this increase is due to the biennial All-Manager conference, which is held in even-numbered years and will therefore become a tailwind in 2015.

In sum, while Chipotle will probably have a tough Q2 margin-wise, it could see solid margin expansion in the second half of 2014 and 2015. It will benefit from higher prices, lower stock compensation expense, and potentially also from easing commodity costs. This will boost Chipotle's already-strong margin growth.

Foolish conclusion
For much of the past year, I have been wary of Chipotle stock, which seemed overpriced as it rose past $400, $500, and eventually $600. However, the company's ability to keep posting strong comparable-restaurant sales growth while adding nearly 200 restaurants a year -- and the recent stock price correction -- have changed my mind.

Chipotle stock is still pricey at more than 30 times forward earnings. This seems like a price worth paying, though. Chipotle has tremendous long-term growth prospects and enough pricing power to maintain or even improve its already-stellar profit margin over time. This is a recipe for great long-term investing returns.


Chipotle Mexican Grill, Inc. Looks Tasty After a Pullback

Investors weren't too pleased with Chipotle Mexican Grill's (NYSE:CMG) recent earnings report. While earnings per share grew 7.8% to $2.64, that fell short of the average analyst estimate of $2.86. As a result, shares fell about 6%. However, while Chipotle stock is up 50% year over year, this drop seems like a great buying opportunity.

Chipotle Mexican Grill 1-Year Stock Chart. Source: YCharts.

First of all, Chipotle generated unbelievable comparable-restaurant sales growth of 13.4% last quarter, in spite of bad weather. Second, the company is still growing its restaurant count by more than 10% annually, pushing revenue growth even higher. Third, Chipotle has the pricing power to win back the margins it lost due to cost inflation last quarter -- and it plans to implement a price increase very soon.

Efficiency hits a peak
A good portion of Chipotle's comparable-restaurant sales gain can be attributed to improvements in throughput -- the number of customers who can be served per hour. (An easy comparison to Q1 2013 also helped.) This allowed Chipotle restaurants to serve about seven extra customers during the peak lunch and dinner hours.

Chipotle's strong throughput performance bodes well for the next two quarters, which tend to be busier due to the favorable weather. Most Chipotle restaurants have long lines for several hours a day during the peak season, so faster throughput means that each restaurant can ultimately serve more customers.

Faster throughput helps Chipotle serve more customers at peak hours.

Comparable-restaurant sales gains are obviously good for revenue, but they also help Chipotle's profit margin by making better use of labor, occupancy, and capital expenses. Last quarter, labor costs fell from 23.6% to 23% of Chipotle's revenue occupancy costs fell from 6.6% to 6.1% of revenue, and depreciation and amortization expense fell from 3.2% to 2.8% of revenue.

Margin worries
Despite the good sales leverage on labor, occupancy, and depreciation/amortization costs, Chipotle's operating margin fell by 150 basis points last quarter. Food costs were the main culprit. Rapid cost increases for beef and dairy caused food, beverage, and packaging costs to move from 33% of sales to 34.5% of sales.

Furthermore, corporate general and administrative expenses soared more than 50% year over year, increasing from 6.1% of sales to 7.4% of sales. This was primarily caused by higher stock compensation expense.

Last week, many investors appeared to be spooked by Chipotle's margin issues. This was due in part to the rise in food costs last quarter, but management's forecast that food costs would rise even further in Q2 compounded these concerns. Investors seem to be worried that Chipotle can't raise prices fast enough to keep up with food cost inflation.

No reason to fear
These worries seem overblown to me. On the earnings call, Chipotle announced that it will implement mid-single-digit menu price increases starting later this quarter.

This alone will not move food costs back under 33%, a level seen as recently as 2012. However, the rapid price increases seen for items like beef (up 25% in just a few months) are likely to reverse eventually.

Chipotle plans to raise its prices starting later this quarter.

Moreover, the increase in menu prices should improve Chipotle's ability to leverage non-food costs, which represent about 50% of revenue. Obviously, it takes the same amount of labor and store overhead to serve the same burrito after its price goes up by 5%.

Lastly, the rise in G&A costs will slow dramatically later this year, largely because stock compensation expense is disproportionately weighted toward the first half of 2014. For the full year, G&A costs will increase by just 50 to 60 basis points over 2013. Part of this increase is due to the biennial All-Manager conference, which is held in even-numbered years and will therefore become a tailwind in 2015.

In sum, while Chipotle will probably have a tough Q2 margin-wise, it could see solid margin expansion in the second half of 2014 and 2015. It will benefit from higher prices, lower stock compensation expense, and potentially also from easing commodity costs. This will boost Chipotle's already-strong margin growth.

Foolish conclusion
For much of the past year, I have been wary of Chipotle stock, which seemed overpriced as it rose past $400, $500, and eventually $600. However, the company's ability to keep posting strong comparable-restaurant sales growth while adding nearly 200 restaurants a year -- and the recent stock price correction -- have changed my mind.

Chipotle stock is still pricey at more than 30 times forward earnings. This seems like a price worth paying, though. Chipotle has tremendous long-term growth prospects and enough pricing power to maintain or even improve its already-stellar profit margin over time. This is a recipe for great long-term investing returns.


Assista o vídeo: Chipotle - The Rise and Fall..And Rise Again (Outubro 2021).